segunda-feira, 21 de julho de 2008

CURA COMO RESPOSTA À FÉ INDIVIDUAL E COLETIVA

Tanto em Mc 1.40-45; 2. 1-12 quanto em Lc 5. 12-26 são descritos dois episódios de milagres em que Jesus ministrou cura sobre dois enfermos. O primeiro exemplo de cura é o de um homem “coberto por lepra”. O que nos ensina o texto sagrado: a fé determinou a bênção. Vendo-a Jesus, de forma determinada, disse QUERO, em resposta à afirmação do homem que sabia que se Ele quisesse poderia purificá-lo. Aquele leproso veio a Jesus todo coberto não somente da doença terrível que atingia todo o seu corpo, mas carregado de estigma, do preconceito contra ele, das imposições da lei mosaica que o impediam de transitar em liberdade. Ao se aproximar de Jesus o leproso usou da palavra que libera bênção. Ele demonstrou a firme convicção de que há poder, autoridade em Jesus e que se submetia à Sua vontade. E aí, então, Jesus tocou nas chagas e o curou. Jesus tem sempre a vontade de nos fazer o bem. Afinal, Ele é amor, Ele é bom e Sua benignidade dura para sempre (Sl 136). Em Jesus nós temos o amor de Deus para conosco. Em Jesus estaremos sempre ouvindo o amém – sim, assim seja - de Deus. A fé daquele homem operou a vontade de Deus, através de Jesus Cristo. O segundo exemplo de cura é o de um homem paralítico que como tal não podia se locomover, posto que jazia em uma cama. Sozinho, ou seja, por si só, mesmo com fé, não poderia ir fisicamente até Jesus e pedir cura. O que nos ensina o texto sagrado: a ação determinou a bênção. A determinação dos quatro amigos, que não se intimidaram diante das dificuldades de fazer chegar o enfermo até Jesus, visto que a multidão os impedia de chegar a Ele, quer por portas ou janelas, tiveram a idéia de subir ao telhado, abrir um buraco suficiente para fazer chegar a cama com o paralítico aos pés de Jesus. O reconhecimento imediato que Jesus teve quanto à fé dos homens, faz com que se voltasse para o paralítico e declarasse: “homem os teus pecados estão perdoados”. Mas ao ouvir os pensamentos dos religiosos presentes (fariseus e escribas) perguntou-lhes sobre o que mais fácil fazer - perdoar pecados ou dizer levanta-te e anda – e, então, para ressaltar Sua autoridade e poder oriundos do Pai, vira-se para o paralítico e determina: “levanta-te, toma a tua cama e anda”. O que de tudo isso devemos aprender e a reter sempre em nossos corações, crendo em Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador: a oração com fé e o esforço para levar o enfermo até Jesus tornaram-se eficazes e conduziram à cura. Fé é crer somente. Mas a própria fé nos conduz à ação. A atitude de fé do primeiro homem moveu Jesus. De igual modo, as atitudes de generosidade dos amigos contribuíram para que Jesus se movesse e liberasse graça, misericórdia, bênçãos, enfim. Aprendamos com Jesus: a despeito das adversidades, dos problemas e das dificuldades diárias insista, persista e não desista nunca. Sempre com fé, busque mais para si, mas não esqueça: você recebe Graça, então, libere Graça. Você quer mais de Deus, antes aprenda a dar-se mais para Deus, e também para seu próximo. Seja generoso! Seja solidário! E aí... as bênçãos de Deus serão multiplicadas em sua vida! (Síntese da mensagem deste pastor levada à Comunidade no culto de domingo 20/07/2008).