quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

OS DISCÍPULOS DE JESUS SÃO RECONHECIDOS PORQUE AMAM!

Nossa reflexão está fundamentada em João 13.34,35. Inicialmente, precisamos estar avisados que o mandamento do amor já existia, mas em Cristo ele se reveste de novo, ao ser exaltado na vida e na morte do Senhor e, em especial, porque Ele nos amou primeiro.  
    I – O Novo Mandamento.
1. "Como Eu vos amei a vós." - João 13.34.
2. O amor é implantado pelo Espírito Santo. – Romanos 5.5: “Essa esperança não nos deixa decepcionados, pois Deus derramou o Seu amor no nosso coração, por meio do Espírito Santo, que Ele nos deu”.
3. O supremo sacrifício do amor. - João 15.13: “Ninguém tem mais amor pelos seus amigos do que aquele que dá a sua vida por eles”.
 I João 3.16: “Sabemos o que é o amor por causa disto: Cristo deu a Sua vida por nós. Por isso nós também devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos”.
II – O novo  não Anula o velho.
1. Cristo não mudou a lei. - Mateus 5 .17-20: “Não pensem que eu vim para acabar com a Lei de Moisés ou com os ensinamentos dos profetas. Não vim para acabar com eles, mas para dar o seu sentido completo. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: enquanto o céu e a terra durarem, nada será tirado da Lei – nem a menor letra, nem qualquer acento. E assim será até o fim de todas as coisas. Portanto, qualquer um que desobedecer ao menor mandamento e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino do Céu. Por outro lado, quem obedecer à Lei e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado grande no Reino do Céu. Pois eu afirmo a vocês que só entrarão no Reino do Céu se forem mais fiéis em fazer a vontade de Deus do que os mestres da Lei e fariseus.
3. Ele renovou um velho mandamento. - Levítico 19.17-18: “Não guarde ódio no coração contra outro israelita, mas corrija-o com franqueza para que você não acabe cometendo um pecado por causa dele. Não se vingue, nem guarde ódio de alguém do seu povo, mas ame os outros como você ama a você mesmo. Eu sou o Senhor”.
 III – Interpretação Inspirada.
1.     O velho e o novo mandamento. - I João 2.7-8: “Meus queridos amigos, este mandamento que estou dando a vocês não é novo. É o mandamento antigo, aqueles que vocês receberam lá no começo. O mandamento antigo é a mensagem que vocês já ouviram. Porém o mandamento que eu estou dando a vocês é novo porque a sua verdade é vista em Cristo e também em vocês. Pois a escuridão já passou, e já está brilhando a verdadeira luz”.
2. A mensagem que vem do princípio. - I João 3.11: “A mensagem que vocês ouviram desde o princípio é esta: que nos amemos uns aos outros”.
3. O ódio gera a morte. - I João 3.12, 15:” Não sejamos como Caim, que pertencia ao Maligno e matou o próprio irmão. E por que o matou? Porque o que Caim fazia era mau, e o que o seu irmão fazia era bom”.
Quem odeia o seu irmão é assassino, e vocês sabem que nenhum assassino tem a vida eterna”.
 4. O amor gera relacionamentos saudáveis: vida!
 IV – Evidência do Discipulado.
1. Revelação a todos os homens. - João 13.34, 35.
a) Não é pelo jeito de andar e se vestir, pela crença mais fundamentalista, pela austeridade de vida ou pelos ritos e cerimônias que os seguidores de Cristo são reconhecidos.
Mas pelo amor que são capazes de gerar e fazer frutificar nos relacionamentos pautados em respeito, gratidão e capacidade de perdoar, superando os obstáculos e as rejeições dos homens que insistem em pagar o mal com o mal.
2. Testemunhas perante o mundo. - João 17.21-26.
3. Genuíno amor fraternal. – Romanos 12.9-10.
“Que o amor de vocês não seja fingido. Odeiem o mal e sigam o que é bom. Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito”.
Que todos os que se dizem discípulos de Cristo pensem e reflitam sobre isso!
(Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 14/12/2014). 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O SENHOR É CONTIGO, SEMPRE!

Em Deuteronômio 31.7,8 no ato de nomeação de Josué como sucessor de Moisés, este chama a Josué e declara perante todas as doze tribos reunidas:
“Esforça-te e anima-te, porque com este povo entrará na terra que o Senhor jurou a teus pais lhes dar; e tu os farás herdá-la.
O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te desamparará; não temas, nem te espantes”.
Há momentos na vida em que somos desafiados a enfrentar o desconhecido e os gigantes que nos esperam e aí os temores surgem. As vezes, a vida nos apresenta, lutas e dificuldades que estão além de nossa compreensão e podemos até pensar em desistir de tudo.
Mas o texto que lemos nos apresenta três verdades:
1) O Senhor está conosco e diz para nos esforçar e ter bom ânimo:
Não existe momento na vida em que Deus não esteja conosco. Em alguns momentos somos levados a pensar que nossas orações não passam do teto. Mas na verdade nossas orações não precisam passar do teto mesmo, porque Deus está sempre ao nosso lado!
E isto implica em um entendimento, com três partes:
Primeira: Se Deus está com você no momento que sofre, Ele vê o que você está passando;
Segunda: Se Ele está com você e, mesmo assim, você está sofrendo é porque Ele tem algum propósito: talvez queira fazer você crescer;
Terceira: Se Ele está sempre com você, significa que quer ser seu amigo íntimo; somente pessoas íntimas estão sempre conosco.
As vezes, não entendemos algumas coisas que acontecem, porque apesar de Deus estar sempre conosco, nós não estamos sempre com Ele.
Deus nunca nos abandona, e importa termos essa consciência de que Ele está sempre conosco, em todos os momentos. Ele está com você, quando vai ao shopping, quando estuda, ou trabalha, enfim, em todo lugar. 
Mas além de Deus estar conosco sempre, também temos a informação no texto de que:
2) O Senhor é aquele que vai adiante de você e não o desamparará:
Esta é a informação mais valiosa. Além de Ele estar sempre conosco, ainda é poderoso para nos salvar. Ele não desampara Seus filhos!
Você está passando por muitas lutas, então saiba que o Senhor está adiante e pode socorrer você!
Você está preocupado, pois vai enfrentar um novo trabalho e quer ser bem sucedido?
O Senhor é poderoso para salvar você!
E, por isso, a Bíblia, ainda, diz no texto que ...
3) O Senhor é quem livra dos temores e dos espantos:
Deus é um Deus de alegria, não de temores.
Nada há para temer. Mesmo diante do grande problema, mesmo diante de um mar à frente e um exército inimigo atrás, não tema! O Senhor dará o livramento. O Senhor libertará, o Senhor salvará! 
Você está pensando em desistir? Deus está dizendo hoje que quer renovar as suas forças , então, não desista! Busque-O de todo o seu coração. Confie nEle e certamente você será um vitorioso, pois Ele renovará suas forças. Pense nisto e assim como fez Josué, TOME POSSE da PROMESSA de Deus! (Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 7/12/2104). 

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

O QUE ESCOLHER, CAMINHOS NOVOS E MODERNOS OU VEREDAS ANTIGAS?

Há um tema central no livro do profeta Jeremias: a falta de arrependimento levará à destruição. O povo havia sucumbido às novas práticas de idolatria e desobediência sistemática a Deus e isso, advertia o profeta, iria levá-lo à destruição. Em especial em Jeremias 6. 16, o Senhor Deus fala ao povo de Israel e adverte para ANDAR NAS VEREDAS ANTIGAS da justiça.  
Mas em sua dureza de coração, o povo se negava; ele estava trilhando novos caminhos – e esses novos caminhos levariam à ruína, à morte! (Provérbio 16. 25:” Há caminhos que PARECE DIREITO ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte”. Assim, devemos estar alertas: há caminhos que são para a vida e há caminhos que são para a morte.
O que você escolhe?
Na longa ou curta existência de uma vida humana, estamos constantemente em marcha, do berço ao túmulo, sempre.
I – A humanidade está, há bastante tempo, no campo das escolhas dos caminhos.
-na área política – totalitarismo, ditaduras e governos de exceção ou democracia?
-na área econômica - capitalismo ou socialismo?
-na área religiosa – cristianismo autêntico ou cristianismo superficial, ou, ainda, charlatanismo, espiritismo, esoterismo, paganismo e ateísmo?
-na área da espiritualidade – indiferença, discriminação e sarcasmo ou compaixão, relacionamentos solidários e santidade?
- na área conjugal – relacionamentos sadios em termos dos propósitos de Deus para o casal ou relacionamentos com ênfase em coisas relativas, que ao menor abalo, faz a união se desfazer, levando à separação e ao divórcio?
- na área da relação pais e filhos – modelo bíblico de submissão de filhos aos pais ou modelos pedagógicos modernos, reforçados por legislação que limita a atuação de pais responsáveis?
II – Para todos, indistintamente, é chegado o tempo de pensamento e meditação.
- Pare um pouco: o tempo necessário para reflexão.
- Investigue: Veja qual o caminho que levará você mais adiante de maneira segura.
- Pergunte, questione: Se não sabe o caminho certo, leia a Bíblia, questione seu pastor, seja um “inconformado”, Romanos 12.2.
Veja o que nos ensina Jesus em João 5.39: “Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que testificam de mim”.
E em Mateus 7. 13,14: “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso, o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram nela; e porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem”.
- e aí tome uma decisão. Deixe a hesitação ou o vacilo. Decida-se. Antes, consulte a Deus e siga em frente.
III – Escolha as veredas antigas.
Nem todos os velhos caminhos são bons: mentiras, enganos, trapaças, tempos de escravidão, os vícios, a ignorância e os maus costumes.
Mas as veredas antigas, ou o caminho antigo de Cristo e da cruz é muito bom, pois nos levam à eternidade com Cristo.
A vereda antiga da obediência traçada por Deus é mais segura.
Sigamos os exemplos de pessoas que fizeram uma escolha segura: – Abraão, José, Moisés, Josué, Paulo, e tantos outros heróis da fé, conhecidos e desconhecidos!
Uma pessoa de fé repousa na certeza de que Deus está sempre agindo para cumprir a Sua Palavra.
Faça uma avaliação de qualquer novo ensinamento e não se distancie do correto significado da Palavra de Deus.
Lembre-se que ninguém pode dar alterar ou modificar a Palavra de Deus.
Cuidado com os modismos e os “movimentos”, até no meio das igrejas. Saiba discernir e não se iluda com os caminhos que parecem bem aplainados, são tão bonitos e encantadores, mas levam, não à salvação, mas à perdição! Cuidado! (Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 30/11/2014).

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O QUE É MESMO VERDADE? ONDE EU A ENCONTRO?

João 18. 28-40 nos mostra algo muito importante. Vejamos por parte:
I – A humanidade, desnorteada na sua rota, procura ansiosamente por um sentido, uma direção que seja fiel e verdadeira:
O homem não é um ser irracional, cuja existência termina no túmulo! 
Daí o motivo da ansiedade universal sobre a vida após a morte. Mas a verdade, o que é?
No texto, temos a pergunta de Pilatos: "Que é a verdade?"
A humanidade continua, ainda, a fazer a mesma pergunta.
Muitos procuram a solução nos credos religiosos e ouve a cada passo, em cada um que:  "Aqui é que está a verdade!". Diante de tantas variantes, a verdade torna-se de difícil alcance.
II – Por que é tão difícil achar a verdade, como guia infalível e fiel para a eternidade?
Porque o caminho é escuro.
Em Isaías 60.1-2, há um alerta para Jerusalém, que se aplica a todos nós: “Levanta-te e resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti, porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti”.
E há mais em Isaías 59.9,10: “Por isso, o juízo está longe de nós, e a justiça não nos alcança; esperamos pela luz, e eis que só há trevas; pelo resplendor, mas andamos em escuridão. Apalpamos as paredes como cegos; sim, como os que não têm olhos, andamos apalpando; tropeçamos ao meio-dia como nas trevas e nos lugares escuros somos como mortos”.
Porque a humanidade é muito crédula e não investigadora, daí ser enganada pelos falsos ensinadores e falsas luzes.
Ezequiel 22. 23-29: “E veio a mim a palavra do Senhor dizendo: Filho do Homem dize-lhe: Tu és uma terra que não está purificada e que não tem chuva no dia da indignação. Conjuração dos seus profetas há no meio dela, como um leão que ruge, que arrebenta a presa; eles devoram as almas; tesouros e coisas preciosas tomam, multiplicando as suas viúvas no meio dela. Os seus sacerdotes transgridem a minha lei e profanam as minhas coisas santas; entre o santo e o profano não fazem diferença, nem discernem o impuro do puro; e de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles".
2 Coríntios 11.13-15: "Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras”.
Porque o caminho é de difícil acesso.
Mateus 7.14: “Porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.
III – Como podemos achar a verdade, o guia infalível, que nos mostre o caminho seguro?
Como se acha um caminho em noite escura? – Acendendo uma lâmpada, buscando uma lanterna. Assim é na pesquisa religiosa.
 A Palavra de Deus é uma Luz e Lanterna.
 II Pedro 1.19: “ E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia esclareça, e a estrela da alva apareça em vosso coração”.
 Salmo 119.105: “Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz para o meu caminho”.
Mas devemos atentar para o conselho de Deus:
*Não confiar nos homens.
 Salmo 146.3: “Não confieis em príncipes nem em filhos de homens, em quem não há salvação”.
Jeremias 17.5: Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!
**Mas a confiar nEle: v.7: “Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor”.
***Examinar as Escrituras.  Romanos 10.17: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”.  João 5.39: “Examinai as Escrituras, porque vós cuidais ter a vida eterna, e são elas que de mim testificam”.
João 17.17: “santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade”.
Atualmente, muitos vão atrás do que diz o homem e das filosofias vãs, e desprezam as Escrituras, achando-as sem valor e arcaicas.
IV – O que faz a verdade para aqueles que a acham?
*Liberta-os da confusão e dos vícios.
 João 8.31,32: “Jesus dizia, pois, aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos, e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”
**Transforma radicalmente a vida.
-Madalena, é um exemplo bem nítido. De prostituta à seguidora fiel ao Mestre.
***É guia infalível e fiel que seguramente nos aponta o destino eterno.
2 Pedro 2.19: “Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos e reservar os injustos para o Dia do Juízo, para serem castigados”.
****É a rocha da Salvação.
Mateus 7.24-25: “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha. E descer a chuva, e correram os rios, e assopraram os ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha”.
E finalmente, vejamos Tiago 1.19-25, que, em essência nos assegura que “o Evangelho é a lei perfeita que dá liberdade às pessoas. Se alguém examina bem essa lei e não a esquece, mas a põe em prática, Deus vai abençoar tudo o que essa pessoa fizer” (NTLH). Jesus disse: Eu sou o caminho, a verdade e a vida".... (João 14.6). Portanto, Jesus Cristo é a verdade! Pense isso! (Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 23/11/14). 

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O SENHOR FAZ UM NOVO CONCERTO COM SEU POVO EM MOABE! MAS NÃO HAVERÁ OUTRO... DEPOIS, SERÁ O JULGAMENTO, COM SALVAÇÃO OU CONDENAÇÃO ETERNA

O livro de Deuteronômio foi escrito quando Moisés tinha 120 anos e relata os fatos ocorridos nos dois últimos meses, pouco antes da morte de Moisés e da entrada na Terra Prometida. Após quase quarenta anos da peregrinação no deserto, Canaã estava  à frente. O livro é um grande relato, um discurso de Moisés, ao povo, expondo o que recebera do Senhor e repetindo os acontecimentos dos últimos quarenta anos.
Eis que no capítulo 29 e 30 Moisés descreve o concerto, a aliança que o Senhor, torna a fazer na terra de Moabe, além do concerto que fizera em Horebe (Sinai), com os israelitas.
Inicialmente, o Senhor traz à memória os Seus feitos, os sinais, os milagres e as maravilhas, para com o povo na travessia dos desertos e no sustento pelos quarenta anos.
Adverte-os quanto à desobediência, e os que se desviarem dEle e de Sua lei, para que não suscitem Sua ira. As consequências serão terríveis, advindo daí maldições e muito pesar e tristeza.
Os v. 1 a 10 do capítulo 30 revela a predição que vai de um futuro cativeiro causado pela desobediência a um período de arrependimento e restauração. Os passos para a restauração incluem:
- lembrar que estão no cativeiro como consequência inevitável da desobediência ao concerto (v.1).
- arrependimento (v.2).
-compromisso sincero em dar ouvidos à sua voz (v.2).
Deus, então, os fará voltar do cativeiro (v.3), se apiedará deles (v.3), os trará à terra (v.5),e circuncidará o seu coração (v.6) (UMA REFERÊNCIA AO CONCERTO MESSIÂNICO QUANDO DEUS LIDARIA COM O PROBLEMA ESPIRITUAL DO HOMEM POR MEIO DE UMA TRANSFORMAÇÃO INTERIOR).
 No v. 11 a 14 (cap.30) Moisés recorda o povo de que o mandamento NÃO IMPUNHA sobre o povo condições que não o pudessem compreender ou cumprir. Era prático e realista, logo, não HAVIA DESCULPA PARA A DESOBEDIÊNCIA.
A essência do capítulo 30 destaca a misericórdia de Deus para com os que se arrependem.
Mas se ocorrer o contrário no coração endurecido do homem, Ele sentencia a morte, a maldição.
Ontem, assim como hoje, o Senhor – na expressão do Pai, do Filho e do Espírito Santo -  espera pelo arrependimento e verdadeira conversão dos Seus filhos e filhas.
Mas o ser humano, por sua natureza pecaminosa, afasta-se de Deus, sofre, padece a miséria desse afastamento, algum tempo depois, arrepende-se e obtém a misericórdia e a graça de Deus.
Em um círculo quase sem fim.
A aceitação de Deus, a doce comunhão com Ele e com os irmãos, mas com o tempo, o desânimo, a frieza, o afastamento, os pecados, os prazeres, depois, novamente, o cansaço, a tristeza pela ausência de Deus e dos irmãos, o arrependimento, e aí, novamente, a busca a Deus, à igreja, o recomeço.
Até quando?
Assim como os israelitas, o povo de Deus, ali no deserto, após bênçãos, milagres e maravilhas, a murmuração, o afastamento, a busca, o reencontro, o novo concerto...!
Ontem, hoje, qual a diferença, mesmo?
Até quando? Será que não acabará nunca?
Acabará, sim! Com o advento, com a segunda vinda de Jesus, tudo isso cessará!
Esse ciclo de pecado -arrependimento – aceitação – liberação de perdão – comunhão- graça e paz -  esfriamento – pecado ....... terá um fim!
Com a chegada de Jesus, como Juiz, cessará a dispensação da graça, cessará a intercessão do Advogado e intercessor Espírito Santo!
Não haverá nova chance! Será o momento do julgamento!
Você está preparado para isso? (Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 16/11/2014). 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

JESUS CONDENA A HIPOCRISIA DOS RELIGIOSOS!

Mateus 23.1-36 descreve uma cena em que Jesus fala à multidão e aos Seus discípulos  e faz uma clara censura aos religiosos (escribas e fariseus). Os fariseus constituíam um grupo de religiosos judeus devotos às Sagradas Escrituras, que surgiu no século II, antes de Cristo. Eles criaram uma lei oral, em conjunto com a Lei escrita, e foram os criadores da instituição da sinagoga. A palavra fariseu tem o significado de “separados”, “a verdadeira comunidade de Israel, os “santos”.
Sua oposição não somente a Jesus, mas depois, ao cristianismo rendeu-lhes, através dos anos, serem reconhecidos como fanáticos e hipócritas que apenas manipulam a lei para seu interesse. Esse comportamento deu origem à ofensa de usar a palavra fariseu, dentro e fora do cristianismo, para pessoas julgadas como religiosas aparentes. 
Cristo arrancou-lhes a máscara da hipocrisia e revelou-os aos Seus discípulos na hediondez e baixeza do seu caráter.
Jesus apresenta os sinais com que são identificados em todos os tempos. "Não julgueis segundo as aparências".
Assim como os fariseus, nos idos de Jesus, veja como podemos reconhecer um religioso presunçoso e hipócrita, nos dias de hoje: 
1.  Gostam de lugares de honra, de preeminência: a) Usurparam posição privilegiada (v. 7). b) "Amam os primeiros lugares" (v. 6).
2. Eles são Incoerentes: a) Pregam o bem e não o praticam (v. 3); b) Praticam o mal e o negam; c) Palavras sem atos; atos sem palavras (Pv 19.5). 
3. Eles são vaidosos: a) Fazem o bem para serem vistos pelos homens; b) Buscam louvores e aplausos (v. 7). 
4. Eles são comodistas: v. 4; 
5. Eles são desumanos: v. 14; 
6. Eles são cegos a) v. 19; b) Cegos para engolir camelos; de visão para coar mosquitos! Só enxergam quando querem ou quando lhes convém! . . . 
7. Eles são injustos: a) Fazem uma coisa e omitem outra (v. 19); b) Soltam Barrabás e crucificam Cristo! 
8. Eles são hipócritas: a) O exterior não corresponde ao interior (v. 23); b) Como sepulcros caiados (v. 27) 
9. Eles são orgulhosos: a) Pretendem ser Rabis (mestres), doutores da lei, consultores jurídicos religiosos; b) Vazios de bom senso e amor cristão (v. 12).
10. Eles são egoístas: a) Pensam mais em si mesmos que nos outros; b) Tratam mais de suas comodidades que das do próximo (Ez 34.2-11).
 NÃO ESQUEÇAM:
Mais do que ação religiosa, Deus quer um coração quebrantado e contrito! (Reflexão com base em mensagem anunciada por este pastor, no culto de domingo 09/11/2104).

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A RENÚNCIA E OS SEUS DESAFIOS!

Lucas 18.18-30 descreve o encontro de Jesus com um jovem rico e que é confrontado pelo Mestre para que renuncie aos seus bens materiais, se quiser alcançar a vida eterna. 
Mas o que é renunciar a algo por Deus?
É abrir mão da sua própria vontade por Ele.
É reconhecer que Deus é maior que sua vida e que você precisa dEle.
É entender que é importante viver para Ele. E que, portanto, o Senhor tem toda a liberdade para agir em sua vida.
O seu "Eu" cai por terra, deixando prevalecer a vontade de Deus, não a sua!
Mais importante do que riquezas materiais é a comunhão e a intimidade com Deus, assim, Jesus não exige que você venda tudo, materialmente falando.
O que Ele queria daquele jovem, e continua querendo de mim e de você, é a atitude (a disposição) de renunciar a TUDO por Ele.
Você necessariamente não precisa perder nada para segui-Lo, material e financeiramente falando! 
Mas deve deixar o orgulho, a vaidade, os maus hábitos, a intolerância, a prepotência, a auto suficiência, enfim, tudo o que pode atrapalhar seus relacionamentos com Ele e com as outras pessoas.
Muitos são os apegos excessivos das pessoas por suas coisas e até por outras pessoas, mais íntimas, como filhos, pais, cônjuges, amigos, mas Jesus PEDE a mim e a você que nos desapeguemos dessas coisas e dessas pessoas, e façamos dEle o bem mais importante, o bem mais precioso, o de maior valor que temos!
(Reflexão com base em destaque de aprendizagem de reunião de Pequenos Grupos em um estudo bíblico semanal).    

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

A RESPEITO DO ANÚNCIO DE QUE NASCEU O SALVADOR, CRISTO, O SENHOR!

Em Lucas 2.1-14 há a descrição do cumprimento da tão aguardada promessa: o Messias havia nascido! 
Interessante mesmo, na sequência extraordinária de todos os acontecimentos, é destacar que no nascimento do Salvador não houve procissão, nem sonido de trombetas, nem apoteótica recepção, tampouco feriado  por três dias, festas ou banquetes. Ele, o Messias, a Glória de Israel e Luz dos gentios nasceu e foi acolhido, em um pequeno berço, em uma manjedoura!
O anúncio único, impactou tanto os que o ouviram, que foram lá para ver e se certificarem do extraordinário feito.
Os detalhes da passagem bíblica nos revelam que:
1. O nascimento trouxe grande alegria (v.8-10).

2. O nascimento trouxe grande paz (v.13,14).

E mais aprendemos quando nos detemos nos pormenores do nascimento de Jesus, o Cristo:
- Ele estava para nascer, mas não havia, entre os homens e suas hospedarias, um lugar para recebê-Lo.
- Ele havia nascido, e a mensagem primeira de seu nascimento foi dada a singelos homens do campo, os humildes apascentadores de ovelhas, os pastores!
Estes dois destaques nos esclarecem muito da intenção de Deus e de Seu extraordinário conhecimento sobre o homem, Sua criação:
O ser humano se tornou insensível e egoísta e, no geral, não se solidariza com o sofrimento ou a aflição do outro.
Pouco importava se ali estavam dois caminhantes, sendo que a mulher já estava prestes a dar à luz a uma criança e precisam de um lugar para se hospedarem!
Pouco importava, no fim de tudo, se o único lugar que restava era um simples estábulo onde os animais se abrigavam para comer, beber e passar a noite!
Ali em Belém residiam os doutores da lei e autoridades locais - romanas ou judaicas e certamente eles não identificariam naquela mulher a mãe do Filho do Altíssimo, o Rei dos reis!
A aparência deles não lhes era favorável! Aquela, certamente, a julgar pelas condições físicas, de vestuário e transporte, não era uma família de posses! Ao contrário, eles eram pobres. Que importância poderiam ter? 
Será que ao longo dos séculos e dos dois milênios que se seguiram àquele dia, muita coisa mudou?
Será que o homem aprendeu com a mensagem de Jesus Cristo, em Suas Boas Novas de amor, graça, solidariedade, humildade, compaixão, comunhão, perdão, misericórdia, aceitação, acolhimento, e paz?
Será que hoje seria diferente?
Será que aprendemos que Deus se revela aos humildes e mansos, mas rejeita os presunçosos, arrogantes e indiferentes?
Faça Jesus nascer em seu coração!
Torne-se um discípulo dEle! Alguém mais espiritualmente amadurecido e verdadeiramente convertido.
Cuidado com a opressão da religiosidade que aprisiona e não traz libertação!
Não se esqueça que somente Cristo liberta,na compreensão plena do Amor à Deus e ao Próximo - quem quer que necessite de você !
(Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 02/11/2014).

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

QUE TIPO DE CRISTÃO É VOCÊ?

Em 3 João 1.1-14, o apóstolo dirige sua carta a Gaio, um dos cristãos em uma das igrejas da província da Ásia. A carta foi escrita por que os mestres enviados por João foram rejeitados em uma das igrejas da Ásia por um líder ditatorial que até mesmo expulsava membros que mostraram hospitalidade aos mensageiros de João. Ele envia essa carta para elogiar Gaio por ter dado hospitalidade e sustento a esses mestres e, de modo indireto, para advertir Diótrefes.
Na carta o apóstolo cita nomes de três homens, com características comuns a muitos outros nas igrejas espalhadas por todo o mundo.
O primeiro é Gaio, no versículo 1; 
O segundo é Diótrefes, no versículo 9; 
O terceiro é Demétrio no versículo 12.
Ao identificar os perfis desses três homens, constatamos que eles se encontram presentes na igreja cristã até nos dias de hoje, em todas as partes, inclusive em nosso meio.
I. CARACTERÍSTICAS DE GAIO: gracioso e piedoso, v.1-8.
Gaio era amado- v. 1: “O presbítero ao amado Gaio, a quem, na verdade, eu amo."
Gaio recebeu oração - v. 2: Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma." 
Gaio era respeitado- v.3,4: "Porque muito me alegrei quando os irmãos vieram e testificaram da tua verdade, como tu andas na verdade. Não tenho maior alegria do que ouvir que meus filhos andam na verdade".
Gaio era generoso - v.5-7: "Amado, procedes fielmente tudo o que fazes para com os irmãos, e para com os estranhos; que em presença da igreja testificaram da tua caridade, aos quais, se conduzirdes como é digno para com Deus farás; Por que, pelo seu nome saíram, nada tomando dos gentios".
Gaio era um exemplo a seguir - v.8: "Portanto, aos tais devemos receber, para que sejamos cooperadores da verdade."
II. CARACTERÍSTICAS DE DIÓTREFES: ditatorial, autoritário- v.9-11
Diótrefes era um cristão carnal- v.9: "Tenho escrito a igreja; mas Diótrefes, que gosta de tem a primazia entre eles, não nos recebe." 
Diótrefes era diabólico- v.10: "Pelo que, se eu for, trarei a memória as obras que ele faz, proferindo contra nós palavras maliciosas, e, não contente com isto, nem recebe os irmãos, e impede os que querem recebê-los, e os lança fora da igreja."  
Enfim, Diótrefes era um líder eclesiástico que exercia poderes ditatoriais na igreja. Por certo, tinha influência considerável, pois conseguia excluir pessoas da comunhão da igreja.
Diótrefes era um péssimo exemplo- v.11: "Amado, não sigas o mal, mas o bem. Quem faz o bem é de Deus, mas aquele que pratica o mal não tem visto a Deus".  
III. CARACTERÍSTICAS DE DEMÉTRIO: confiável- v.12-14.
Demétrio tinha um bom testemunho- v.12"Todos dão testemunho de Demétrio, até a mesma verdade; e também nós testemunhamos; e vós bem sabeis que o nosso testemunho é verdadeiro.”  
Finalizando,então:
Com qual dos três perfis você se identifica?
Você é semelhante a Gaio, é fiel, procura andar na verdade e tem prazer em saber que os irmãos, igualmente, estão andando na verdade?
Ou você é igual a Diótrefes, que gosta muito de ser e se sentir o mais importante, profere palavras maldosas, não recebe com prazer os irmãos, antes os impele a sair da igreja?
Ou, então, é semelhante a Demétrio, de quem todos falam bem, pois dá bom testemunho?
Afinal, quem é você?
Confiável e generoso, ou autoritário, insubmisso e ditador? (Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo, 26/10/2014).

domingo, 19 de outubro de 2014

CUIDE DE SUA VIDA!

Em Atos 20.28 o apóstolo Paulo faz uma última exortação aos presbíteros da igreja em Éfeso: cuidem de suas vidas!
“Vá cuidar da sua vida!”: esta frase geralmente é usada para pessoas que, não dando conta de sua própria vida, querem se meter na vida dos outros.
No texto, Paulo está viajando para Jerusalém e tinha pressa v.16. Ele sabia que seria sua última viagem, por isso mandou chamar os presbíteros e lhes dá muitos conselhos, dentre os quais se destaca o que “deveriam cuidar deles mesmos e de todo o rebanho” –v.28.
Vamos entender melhor o texto: pais cristãos normalmente estão interessados na vida espiritual de seus filhos, mas antes de cuidarem da vida de seus filhos precisam cuidar de suas próprias vidas espirituais. 
Insistem muito para que seus filhos vão à igreja, para que leiam a Bíblia, para que orem, mas na primeira oportunidade relaxam e não vão à igreja, deixam de ler a Bíblia e param de orar.
Mulheres e homens estão muito interessados na vida espiritual de seus cônjuges. 
E isso é muito bom e agradável a Deus. 
Mas antes disso, é preciso estar interessado em sua própria vida espiritual.
Muitos são os que querem que as pessoas tenham uma espiritualidade sadia, mas vivem vacilando na fé. Tudo é motivo para prostração, isolamento, desânimo, murmuração.
Em Mateus 16.26 o próprio Senhor Jesus adverte que de nada adianta ganhar a todos e perder a sua própria alma.
Se você quiser que seus familiares, cônjuges, filhos, amigos e vizinhos valorizem o relacionamento com Cristo, é preciso que, em primeiro ligar, você valorize este relacionamento com Ele.
Não se meta na vida de outros. 
Ou melhor, não se trata de cuidar de si e esquecer do outro. NÃO! 
É cuidar de si para, então, cuidar dos outros! 
(Detalhe de aprendizagem de reflexão apresentada em reuniões de Pequenos Grupos).

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

OS LIBERTOS EM CRISTO SÃO, VERDADEIRAMENTE, LIVRES!

Em João 8.36 Jesus declara: “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.
Impressiona-me como até no meio evangélico há grande confusão sobre a ideia geral de que libertação está, intimamente ligada à possessão demoníaca e ação direta de Satanás sobre os filhos de Deus.
Decididamente não é isso! Certamente que há necessidade de busca de santidade, fugir das obras da carne e do pecado que nos rodeia e nos assola a mente. Mas há um conceito maior sobre a libertação para os que são e estão em Cristo Jesus.
E tudo começa com uma pergunta que faço: LIVRES DE QUÊ?
DOS TEMORES: das opiniões contrárias de opositores e críticos, do medo de morrer e do inevitável encontro com Deus, do futuro.
DAS SUPERSTIÇÕES: passar debaixo de uma escada, da má sorte, do “mau-olhado”, da figa, de derrubar sal, quebrar espelho, a má sorte do número 13, e tantas outras coisas.
DO PECADO: de seu extraordinário poder, que parece forjar cadeias cada vez mais fortes e pesadas.
DA PRISÃO DA MENTE E DA ALIENAÇÃO: a ignorância, a falta de discernimento leva à podridão e à escuridão da ignorância, que não somente um processo intelectual, mas espiritual.
DAS FILOSOFIAS E VÃS SUTILEZAS BASEADAS NA TRADIÇÃO DOS HOMENS (Colossenses 2.8): ou seja não se torna presa fácil.
A Palavra é o meio que Cristo usa para promover em mim e em você, a LIBERTAÇÃO!
-        -A verdade liberta, assegura João 8.32
         - A Tua Palavra é a verdade, afirma João 17.17.
      Finalmente, quando o homem recebe estes ensinamentos em seu coração, a Palavra de Deus opera nele:
          A REGENERAÇÃO. ( I Pedro 1.23): (‘Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela Palavra de Deus, viva e que permanece para sempre”).
           A FÉ. ( Romanos 10.17)(“De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”). 
        A CERTEZA DA SALVAÇÃO. (I João 5.13): (“Estas coisas vos escrevi, para que saibais que tendes  a vida eterna e para que creiais no nome do Filho de Deus”). 
       Em Cristo, recebemos o Amor e a Graça de Deus, e aí mudamos (convertemo-nos),  pois assumimos passo a passo o caráter de Cristo, em um processo que resulta na ação libertadora, por completo! (Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 05/10/2014). 

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A FORÇA DO FRACO!

Em Apocalipse 3.7-13, eis que Jesus Cristo, na visão do apóstolo João, está falando à igreja de Filadélfia, que se sentia fraca.  Ele lembra à igreja que a porta que abre, ninguém fecha, mas que as portas que fecha, ninguém abre.
Jesus alerta que ninguém pode contrariar a Sua vontade. Ele abre portas que há muito estão fechadas: portas de oportunidades, caminhos e direções. Mas, por outro lado, Ele constantemente fecha portas para ajudar você a não seguir por caminhos errados.
Problemas ocorrem, muitas vezes, porque não queremos enxergar quando uma porta está fechada. Somos cabeças duras. No v.8 o Senhor está falando que sabe que aquela igreja tem pouca fé. Na verdade, a igreja de Filadélfia tinha a humildade de admitir que tinha pouca força. Isto sinaliza que aquela igreja entendia que sua capacidade, seus recursos, seus talentos não eram nada diante de Deus.
Admitir sua própria fraqueza não é aceitar a derrota. Ao contrário, é entender que a vitória vem de Deus. Antes, admitir a fraqueza é confiar, única e exclusivamente, no poder de Deus.
O apóstolo Paulo havia aprendido bem a lição, conforme confessa em 2 Coríntios 12.9,10: “ E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte”.
Como podemos reconhecer nossa fraqueza? Quando contemplamos o poder de Deus; então, nos colocamos em nosso devido lugar.
Como podemos fazer isso? Apegando-nos na Palavra de Deus, guardando-a em nosso coração.
Não podemos nunca nos esquecer do que nos ensina o Salmo 119. 105: “Lâmpada para os meus pés é a tua Palavra e luz para o meu caminho”, mesmo quando vem em forma de exortação.(Detalhe da aprendizagem do Estudo de Pequenos Grupos, nº 12, ministrado na Comunidade).    

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

LUZ REPRODUZ LUZ, VIDA GERA VIDA E UMA VIDA COM LUZ E CONSAGRAÇÃO NOS APROXIMA DE DEUS

O apóstolo Paulo em 1 Coríntios 10.32 alerta: “Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus”. E em 2 Coríntios 6.11- 7.1 nos convoca a termos uma vida consagrada ao Senhor. Vejamos, por partes: 
        I – DEUS EXIGE UMA VIDA CONSAGRADA.
           - Devemos, pois, nos separar do mundo
 II Coríntios 6.17. 
“Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei”.
    - Devemos levar uma vida correta.
Tito 2.11,12.
“Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens,ensinando-nos que, renunciando à impiedade e aos desejos mundanos, vivamos neste presente século sóbria, justa e piamente”. 
-  Devemos fugir do mal.
I Tessalonicenses 5.22.
“Abstende-vos de toda a aparência do mal”.
  II – COM UMA VIDA CONSAGRADA, OBTEREMOS SUCESSO.
     - É impossível amar a Deus e ao mundo.
I João 2.15.
“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele”.
- Não se pode servir a dois senhores.
Mateus 6.24.
“Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom”.
(Mamom é o deus–dinheiro, usado aqui para indicar todo o sistema do materialismo).
     - Deus destruirá se mancharmos o seu templo.
I Coríntios 3.16,17.
“Não sabeis vó que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”.
    III –COM UMA VIDA CONSAGRADA SEREMOS LUZ PARA OS OUTROS.
 João 8.12:
“De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não          andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida”.
Mateus 5.14
“Vós sois a luz do mundo”
Daí se extrai que:
1. Falhando a luz, outros podem se perder.
2. Raiando a luz, outros podem ver o caminho.
Mas como seremos raios de luz para outros?
a)  Assistindo aos cultos.
b) Tomando parte ativa nas atividades e trabalhos missionários da Igreja.
c) Contribuindo para a expansão do Evangelho.
d) Evangelizando e falando do amor de Deus para os que estão nas trevas e não têm intimidade com Deus.
e)  Assistindo e ajudando aos necessitados.
Reflita, pois, sobre isso. Agindo conforme a orientação paulina, verdadeiramente seremos Luz! 
(Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, em culto de domingo 28/09/2014).