terça-feira, 31 de dezembro de 2013

O OLHAR IMPREGNADO DE FÉ CONSEGUE VER ALÉM DAS ESTRELAS! O OLHAR IMPREGNADO DE FÉ ALCANÇA VITÓRIA!

PRIMEIRO EXEMPLO DE FÉ: ABRAÃO E AS ESTRELAS DO CÉU
Em Gênesis 15. 1-6 há uma cena impactante de promessa de Deus sobre bênçãos incontáveis e da fé de um homem que soube esperar por elas.
A um homem idoso e sem filhos, casado com uma mulher idosa, o Senhor faz uma promessa humanamente impossível de ser realizada: ele teria filhos e sua descendência seria incontável, assim como as estrelas do céu!
Você olha para o céu – em uma noite calma e limpa – e consegue ver as muitas estrelas que iluminam todo o firmamento! Você realmente consegue vê-las? Mais do que ver, consegue contá-las? Talvez algumas poucas centenas e poucos milhares, mas certamente será incapaz de contar todas! Sabe por que, porque são incontáveis!
A olhos nu somos capazes de contar cerca de 6.000 estrelas no céu. Se usarmos uma luneta ou algo mais sofisticado esse número sobre para cerca de 30.000. Através de um telescópio super potente somos capazes de observar mais de 1.000.000 de estrelas. Mas quantas estrelas realmente existem no universo? Essa é uma das perguntas que astrônomos há muito estão buscando resposta. O que se sabe que é preciso lançar mão de modelos teóricos, pois mesmo lançando mão dos mais possantes telescópios o homem ainda não conseguiu ver sua totalidade, que se acredita ser mais do que as células no corpo humano, cerca de 50.000 bilhões. Ufa!
Voltemos ao texto bíblico: Diante das adversidades e do impossível – aos olhos de qualquer ser humano – Abraão com 99 anos e sua mulher com 89 terem um filho! Que absurdo, parecia a todos!
Você acreditaria em uma promessa assim!
A Bíblia afirma – Gn 15.6 – que Abraão creu no Senhor e que isto lhe foi imputado por justiça!
SEGUNDO EXEMPLO DE FÉ: JOSUÉ, CALEBE E A TERRA QUE MANAVA LEITE E MEL
Em Números 13.1-14.22 há a descrição da viagem de inspeção dos doze espias à terra de Canaã. E de como o relato aterrorizado de dez espias convenceu o povo que era impossível prosseguir, tendo logo passado a murmurar contra Moisés e o Senhor. O relato de Josué e Calebe mais realista, porém cheio de fé, a ninguém convenceu e foram vencidos pela argumentação dos descrentes e amedrontados espias. A resposta em forma de sentença veio de Deus: ninguém daquela geração entraria na Terra Prometida, tão somente Calebe e Josué! Que exemplo de fé e como isso agradou a Deus!
Para Deus importa fé e atitude, aprendamos, pois com esses homens de fé:
I – SOMENTE ESTÁ APTO A RECEBER INCONTÁVEIS BÊNÇÃOS QUEM TEM A VISÃO ELEVADA E BEM AMPLA.
II – PARA ALCANÇAR INCONTÁVEIS BÊNÇÃOS É PRECISO CONTINUAR EM FRENTE, SEMPRE.
III – ALÉM DE CONTINUAR A TRABALHAR, É PRECISO ACEITAR DESAFIOS E NÃO TEMER O JULGAMENTO DE OUTROS.
IV- NÃO ALCANÇA INCONTÁVEIS BÊNÇÃOS QUEM VACILA E NÃO CONSEGUE AMPLIAR SUA VISÃO.
V – SE VOCÊ PRETENDE ALCANÇAR BÊNÇÃOS SEM MEDIDA, SIGA ESTES PASSOS: 
   Tenha um coração cheio de esperança os dez espias viram a realidade nua e crua, mas dois deles (Josué e Calebe) conseguiram ver além da realidade, detendo-se naquilo que a realidade pode vir a ser (Números 14. 7 e 8: “A terra que espiamos é muito boa. Se o Senhor se agradar de nós, então nos porá nesta terra e nos dará, terra que mana leite e mel”).
      Tenha uma atitude cheia de perseverança. É preciso insistir, persistir e não desistir nunca. A perseverança assim só nos impulsiona para a frente, nunca para os lados ou para baixo. 
     Tenha ânimo pelas promessas de Deus - Em Números 14.24;38 Josué e Calebe poderiam pensar que não teriam idade para usufruir da promessa, mas o cumprimento veio na hora certa. 
        Tenha razões específicas pelas quais lutar Josué e Calebe tinham um alvo. Eles acreditaram, lutaram e conquistaram a vitória.
Você pode mudar de atitude em relação aos desafios do dia-a-dia com fé, esperança e perseverança, alcançando em Deus vitória em sua vida, de forma incontável, assim como as estrelas a olho nu. Conte as estrelas com fé e conseguirá vê-las, vendo Deus realizar Suas promessas em você. Creia, simplesmente creia. E o impossível acontecerá em sua vida! É preciso romper em fé! É preciso acreditar, a despeito de tudo, na possibilidade de não conseguir e de até fracassar, não importa, porém é necessário prosseguir e ir em frente! Insista, persista e não desista de seus sonhos, nunca!
Se para você há algo difícil de acontecer, não vacile, não desista, simplesmente creia no Deus do impossível! E o milagre vai acontecer!
Creia, confie e Nele espere!
Em 2014 assuma as virtudes cristãs, tão bem expostas por Paulo: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor” (1 Coríntios 13.13).
Oro a Deus, então, para que verdadeiramente todos possam compreender que mais importante do que a fé e a esperança que alegra o coração de Deus, é o amor que constitui a maior manifestação da presença de Deus em nossas vidas! 
Feliz 2014 na presença de Deus - com muita fé, mais esperança e muito, muito amor!!!
(Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no Culto de Celebração e Ação de Graças, o Culto da Virada).

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

AO QUE É SEMELHANTE O REINO DOS CÉUS?

Mateus 13 constitui um capítulo que bem retrata, em parábolas, o ensino de Jesus sobre o Reino de Deus. Cerca de um terço dos ensinamentos de Jesus se deu em parábolas, histórias breves do cotidiano contadas em forma de analogia para ilustrar verdades espirituais.
O capítulo 13 retrata, ao todo, oito parábolas, com um só objetivo: revelar a todos o Reino de Deus (ou dos Céus, como expõe Mateus). Vejamos cada uma das parábolas:

v.3-23: a parábola do semeador è
A parábola do semeador nos ensina que o Reino está atualmente presente – embora não consumado - que a auto-suficiência se opõe ao Evangelho e que se pode esperar respostas maiores de muitos ..”um, a cem, a sessenta e a trinta”. Como assim? Muitos são os que apenas se limitam a  reproduzir a si mesmo (produzem a um), outros, conseguem 30x o primeiro, outros, conseguem 60x o primeiro, e por último, os mais que frutíferos, reproduzem 100x o primeiro. Em qual deles você se enquadra?

v.24-30: a parábola do trigo e do joio è
A mensagem principal desta parábola é que o Reino consumado de Deus será diferente do reino presente, pois o Reino consumado é um ambiente perfeito somente para filhos do Reino.
Atualmente, os filhos do Reino e os filhos do mal vivem juntos na sociedade humana.
O joio era muito comum na Palestina e muito parecido com o trigo; não é possível distingui-lo do trigo até o grão aparecer na época da colheita.
A questão da separação ou pureza relativa na conduta ou doutrina entre os discípulos e a Igreja é respondida segundo as diretrizes de Jesus. O mesmo não pode ser feito pelos discípulos ou pela Igreja – mas será feito em última análise pelos anjos de Deus (v.39,41).
A separação prematura na época atual está fora de questão e torna-se mais destrutiva que purificadora.
(Explicação da parábola isoladamente aos discípulos: v.37-43).

v.31-33: a parábola do grão de mostarda e do fermento è
Esta parábola ensina a grandiosidade destinada ao Reino. O Reino realizado por Jesus agora parece insignificante, mas sua grandiosidade será manifesta na consumação do final dos tempos.
No presente, o Reino não é totalmente manifesto, mas na consumação do tempo vindouro será revelado a todos. Enquanto isso, realiza seu trabalho de permear a sociedade humana, penetrando no mal e transformando vidas.

v.44 -51: as parábolas do tesouro escondido, da pérola e da rede è
As parábolas do tesouro escondido e da pérola de grande valor enfatizam o valor superlativo do Reino. Uma interpretação comum é que uma pessoa deve estar disposta a desfazer-se de tudo para possuir o Reino. Outro significado: Jesus é o comprador que deu tudo de si para assegurar o Reino (ver Atos 20.28).
A parábola da rede, como a parábola do joio (v.24-30), lida com santos (os bons) e pecadores (os maus) em uma sociedade mista. Sua singularidade é que faz alusão à responsabilidade da Igreja em transmitir a mensagem do Evangelho a toda a sociedade, percebendo que atrairá todo o tipo de pessoas, algumas das quais serão consideradas impenitentes –persistem no erro e no crime – pelos anjos na consumação dos séculos.

Por último, no v.52 a parábola do pai de família è
Em resposta à afirmação dos discípulos em relação ao que compreendiam, Jesus os compara a um chefe de família capaz de integrar o novo com o velho. O discípulo que foi adequadamente instruído tem sob seu comando tanto o Judaísmo (velho) quanto o Cristianismo (o novo).
Esclareceu, ou confundiu, mais ainda este ensino sobre o Reino de Deus? Oro, de antemão, para que o Espírito Santo, mais uma vez, atue, e convença você, com instruções sobre sua função no Reino! (Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 29/12/2013).