Postagens

Mostrando postagens de Setembro 1, 2013

COMENTANDO JESUS 1: ESQUISITICES NÃO!

SÉRIE DE COMENTÁRIOS SOBRE A PESSOA E OS FEITOS DE JESUS CRISTO
Resolvi que, sempre que possível, farei pequenas reflexões sobre a Pessoa de Jesus Cristo, Seus ensinos e Seu extraordinário Ministério terreno, a partir do olhar diferenciado que a graça me proporciona. Este primeiro comentário ocorre com base em uma pequena parte do capítulo 12 (Esquisitices, não) do livro Maravilhosa Graça, de autoria de Phillip Yancey (editora Vida, edição 2000, p. 158,159), com o que concordo plenamente:
Eis a citação: “Jesus apareceu na terra exatamente quando a Palestina estava experimentando um reavivamento religioso. Os fariseus, por exemplo, ditavam regras precisas para a manutenção da pureza: nunca entrar na casa de um gentio (não judeu), nunca jantar com pecadores, não trabalhar aos sábados, lavar as mãos sete vezes antes de comer. Assim, quando espalharam-se rumores de que Jesus podia ser o Messias há muito esperado, os judeus ficaram mais escandalizados do que galvanizados. Ele não podia tocar…

DEUS CHAMA E ESCOLHE, MAS PARA SE PERMANECER EM SUA PRESENÇA É PRECISO TER UMA FÉ OPERANTE!

A Segunda Carta de Pedro foi escrita em Roma provavelmente em 63/67 d.C. e tinha um propósito: alertar os cristãos contra os falsos mestres e encorajá-los a crescer na fé e no conhecimento de Cristo. No capítulo 1, após as saudações de praxe, o apóstolo esclarece que o poder de Deus nos dá tudo o que necessitamos para viver uma vida que agrada a Ele. Isso ocorre por meio do conhecimento de Jesus Cristo que nos chamou para fazer parte de Sua glória e bondade. Por essa razão nos deu dons maravilhosos e preciosos. Seu propósito ao nos conceder os dons está firmado na certeza de que, por meio deles, podemos fugir da imoralidade que os maus desejos trazem a este mundo e que, então, pudéssemos tomar parte em Sua natureza divina (v.3;4). Após esta introdução, o apóstolo Pedro (v.5-10) afirma que devemos nos empenhar – fazer todo o possível – para que possamos desenvolver as sete qualidades que se aliam ao dom da fé: - a FÉ não pode seguir sozinha, precisa se aliar à bondade (virtude). - a bondad…