Postagens

Mostrando postagens de 2008

O NATAL E O NASCIMENTO DE JESUS PARA MIM

O texto de Lc 2.1-20 nos relata o nascimento de Jesus, o Ungido Filho de Deus, o Messias, o Cristo. Muito já se escreveu e certamente se continuará escrevendo sobre o nascimento de Jesus Cristo. Muitas são as polêmicas sobre esse acontecimento extraordinário e sobrenatural. Não irei entrar nas discussões sobre o natal, quanto à data de 25 de dezembro, e sua origem de festa pagã, nem sobre a esdrúxula figura de um velhinho com um saco nas costas que surge todos os anos nesta época e que parece “cegar o entendimento” de tantos, crianças e adultos. Não me interessa, também, analisar se a idéia do “espírito natalino” conduz à mais generosidade e alegre comunhão entre os homens. Precisamos discernir entre mentira e verdade, entre o que é e o que parece ser. Vamos tentar entender por partes toda esta história. Primeiro, natal nos conduz à natalício, nascimento. Muitos são os que – até no meio evangélico – entendem que não é possível celebrar o nascimento de Jesus em 25 de dezembro, posto q…

O MELHOR AINDA ESTÁ POR VIR

Em Jo 2.1-11 há a descrição do primeiro milagre realizado por Jesus. A característica ímpar deste milagre, o da transformação de água em vinho, releva-se por dois propósitos. PRIMEIRO: para que a Glória de Deus se manifestasse através de Seu Filho, o Messias. SEGUNDO: para que a Fé fosse despertada em Seus discípulos.As mais diversas interpretações teológicas confirmam o que logo se destaca no texto: 1)Jesus aprova a vida social; 2) Jesus aprova o casamento. Na falta do vinho – o que estava causando visível constrangimento aos noivos – pois a festa judaica costumava durar sete dias, Jesus realiza o milagre, o suprimento sobrenatural (v.6-10). Mas a despeito do milagre ser o que é - ação miraculosa - somente aconteceu porque algo foi feito como mensagem de fé: 1) a mãe de Jesus sabia que seu filho podia fazer algo que livrasse os noivos daquele embaraço, ela teve fé no Filho; 2) os serviçais obedeceram à voz de comando de Jesus para que enchessem as talhas (potes) com água. Havia falt…

A ROCHA, A AREIA E SEUS FUNDAMENTOS

Tanto em Lc 6.46-49 quanto em Mt 7.21-29 nos é descrito um episódio em que Jesus ilustra seu ensino com o uso de mais uma parábola. Desta feita, é destacado que: chamar Jesus de Senhor e não se submeter a Ele em obediência mostra uma total contradição. Assim, nos é ensinado que nossas atitudes, aceitando e vivendo (pondo em prática), ou não, o senhorio dEle sobre nós, configura dois fundamentos.O Fundamento na Rocha:quem ouve as palavras (ensinos) de Jesus e pratica é semelhante ao homem prudente. Homem prudente para Jesus é o que se firma na Rocha, que é Ele, o próprio Cristo. O homem prudente é obediente, sábio, pois usa a sabedoria do alto em tudo o que faz. O homem prudente constrói a sua casa (toda a sua vida) sobre as rochas do verdadeiro discipulado, em uma submissão genuína a Cristo.O salmo 18.1,2 diz: “Eu te amo, ó Senhor, força minha. O Senhor é a minha rocha, a minha cidadela, o meu libertador, o meu Deus, o meu rochedo em que me refugio; o meu escudo, a força da minha sal…

A VIDA ETERNA E AS ESCOLHAS ENTRE O CERTO E O BEM

Lc 10.25-37 nos descreve um episódio em certo dia na vida de Jesus que precisa merecer nossa melhor atenção. Muito são os textos bíblicos que por serem muito conhecidos, são também os menos compreendidos. Explico: eles são tão lidos e pregados que acabam por cauterizar nossas mentes e corações, deixando-nos imunes à sua mensagem. A parábola do samaritano é muito conhecida, mas o que temos lido e ouvido nos levam a concluir apenas que os religiosos (o sacerdote e o levita) foram frios e distantes e que o samaritano foi sensível ao ver o homem caído. Existe algo mais, que não nos foi revelado, mas que se encontra presente no texto? Creio que sim e vejamos o que Jesus realmente expressa e ensina a todos nós. Lemos que um doutor (intérprete) da Lei pergunta a Jesus – testando-O – o que deve fazer para herdar a vida eterna. Na seqüência da leitura do texto fica evidente que a mente de Cristo funciona de forma combinada com elementos lógicos e analógicos, ou seja, confronta o raciocínio ló…

LIBERTOS PELA VERDADE OU PRESOS PELA COVARDIA?

Mc 10. 17-22 nos descreve um encontro de um jovem rico com Jesus. Aprendemos ali que aquele jovem teve a iniciativa de procurar Jesus. E Jesus o amou, por sua sinceridade. Mas ao final do encontro salta aos olhos que o jovem se deparou com uma verdade que o massacrou: vender tudo o que possuía e doar aos pobres, e depois seguir a Jesus se quisesse a vida eterna. Imaginemos quantos pensamentos passaram pela cabeça daquele moço! Ele olhou para Jesus e se deparou com a realidade da vida cotidiana do Mestre, que se vestia de forma simples, não tinha posses, enfim, vivia de forma muito simples e despretensiosa. E certamente isto contrastava muito com sua vida de rico...! Como ele poderia vender tudo e segui-LO? O versículo 22 nos expõe o fato de que ele ficou abatido e afastou-se triste porque tinha muitas riquezas.Aquele jovem obedecia a Lei no exterior, porém, recusava-se a obedecer em seu interior. Em todo o contexto fica evidente que o Senhor não queria necessariamente transformar aqu…

CAMINHO DA VIDA E CAMINHOS DA MORTE

Pv 14.12 nos ensina algo extraordinário, pois “ há um caminho que parece direito ao homem, mas o fim dele são os caminhos da morte”. Em nossas escolhas no dia-a-dia optamos por um caminho que nos parece reto e adequado. Esse caminho reto promete sucesso e uma trajetória vitoriosa, mas no final se revela uma vereda traiçoeira e enganosa, como verdadeiros caminhos da morte. Muitas são as pessoas que afirmam e asseguram que todos os caminhos levam a Deus, e que, portanto não faz nenhuma diferença a escolha da religião, pois todas são boas. Esta é “a verdade’ maior do universalismo e do ecumenismo. Muitas são as coisas feitas em nome da religião que não são aprovadas por Deus: poligamia, prostituição sagrada, idolatrias, adivinhações, invocação de mortos, feitiçarias, sacrifícios de crianças a demônios, e outras mais que ocasionam mortes em nome da divindade. Todos esses caminhos conduzem à morte. Jesus se posiciona de forma clara e contundente em relação ao caminho da vida e os caminhos …

REDEFININDO NOSSAS PRIORIDADES

Lc 10.38-41 nos narra um episódio em que Jesus se hospeda na casa de duas irmãs, Marta e Maria. Os momentos vividos ali pelo Filho do homem nos ensinam muito sobre prioridades. Principalmente, faz-nos refletir sobre o que tem sido mais importante para nós: estamos super atarefados com as múltiplas atividades de nosso dia-a-dia, e nunca temos tempo para mais nada, ou encontramos tempo para adorar ao Senhor, para ler a Sua Palavra? Vejamos, então, o que podemos realmente aprender com a leitura bíblica. 1) É PRECISO RESERVAR TEMPO PARA ESTAR COM DEUS, POR MAIS OCUPADOS QUE ESTEJAMOS. Por mais atarefado que você esteja, encontre tempo para orar, ler a Bíblia, enfim, aproxime-se mais de Deus. A maioria de nós não tem muito tempo para Deus. A maioria, na realidade, identifica-se como Marta, e quase sempre muitos estão pensando ou falando o seguinte:...o trabalho tem que ser feito. É preciso fazer isto, é preciso fazer aquilo... Eu trabalho na igreja, mas não tenho muito tempo para orar... …

A IRA, A RAIVA E SUAS CONSEQUENCIAS

Diz a Bíblia: "Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo" (Ef 4. 26,27), Percebe-se aí que a ira, em si, não constitui pecado. A ira de Deus é muito citada no Antigo Testamento. Jesus também se irou: "Olhando-os ao redor, indignado e condoído com a dureza do seu coração..." (Mc 3. 5). É preciso aprender a ser como o Mestre; e ser como Jesus significa desenvolver o tipo certo de ira antes de mesmo tentar eliminar a ira. A raiz da ira precisa ser justa. O Senhor disse a Caim: "Por que andas irado? e por que descaiu o teu semblante?" (Gn 4. 6). O porquê é muito importante. A ira de Caim tinha uma raiz má: inveja. O sacrifício de Abel foi aceito, o dele não. Vejamos outros exemplos: Ele prosperou, eu não. Ou: eles o ouvem, a mim não. Ou, também: ele foi convidado, eu não. Ou, mesmo: Eles o cumprimentam, mas me ignoram. Ainda: Meus sentimentos estão feridos. Ele me expôs na frente dos outros, eu me senti ofendido! …

O OLHAR DE JESUS LANÇADO SOBRE NÓS

Lc 13.10-17 nos apresenta um episódio em que Jesus estava em uma sinagoga. Era um sábado, e Ele ensinava. Ali havia, dentre tantas outras pessoas, uma mulher que padecia de uma enfermidade física e espiritual. O texto sagrado nos conta que ela estava possessa de um espírito de enfermidade, posto que há dezoito anos vivia olhando para o chão, encurvada, incapaz de andar ereta, ou mesmo sentar-se direito.Aquela mulher estava ali e é isso que inicialmente me chama a atenção.Outra pessoa talvez depois de tanto tempo de sofrimento, poderia ter ficado em casa, lamuriando-se, reclamando da vida ou de sua sorte. Mas ela estava ali, na sinagoga, na casa de orações. Ela estava ouvindo Jesus, disposta a aprender com Seus ensinos. Outro detalhe ainda se destaca: Ela não pediu a Jesus para ser curada.Ele simplesmente a viu ali encurvada e lançou, então, Seu olhar cheio de graça e misericórdia sobre ela, teve compaixão e a tocou. Ela foi curada e imediatamente glorificou a Deus pelo milagre. Quand…

ENFRENTANDO AS BATALHAS DIÁRIAS

Paulo se encontrava preso em Roma quando escreveu a epístola à igreja em Éfeso. Além de ensinar, advertir e aconselhar, o apóstolo comenta sobre as lutas constantes que enfrentamos, mas que em Cristo, revestidos com a armadura de Deus, estaremos preparados para a vitória. Paulo se espelha em um soldado romano e seu uniforme, na realidade, uma armadura, para melhor ilustrar o que queria ensinar. Em nossas vidas travamos muitas batalhas contra os poderes das trevas. O inimigo não descansa, ao contrário, é muito persistente. Ele não se dá por vencido. Se depois de tentar alguém durante certo tempo, sem obter sucesso, ele se afastar, sua ausência será apenas por “algum tempo” ( Lc 4.13).Um espírito maligno, uma vez expulso, achará reforços e procurará retornar ao lar perdido (Mt 12.43-45). Por isso a preocupação de Paulo retratada em Ef 6.10-20, alertando os efésios a serem vigilantes e a estarem preparados. 1)- É PRECISO SER FORTE PARA ENFRENTAR A BATALHA: somente seremos vitoriosos sobr…

CURA COMO RESPOSTA À FÉ INDIVIDUAL E COLETIVA

Tanto em Mc 1.40-45; 2. 1-12 quanto em Lc 5. 12-26 são descritos dois episódios de milagres em que Jesus ministrou cura sobre dois enfermos. O primeiro exemplo de cura é o de um homem “coberto por lepra”. O que nos ensina o texto sagrado: a fé determinou a bênção. Vendo-a Jesus, de forma determinada, disse QUERO, em resposta à afirmação do homem que sabia que se Ele quisesse poderia purificá-lo. Aquele leproso veio a Jesus todo coberto não somente da doença terrível que atingia todo o seu corpo, mas carregado de estigma, do preconceito contra ele, das imposições da lei mosaica que o impediam de transitar em liberdade. Ao se aproximar de Jesus o leproso usou da palavra que libera bênção. Ele demonstrou a firme convicção de que há poder, autoridade em Jesus e que se submetia à Sua vontade. E aí, então, Jesus tocou nas chagas e o curou. Jesus tem sempre a vontade de nos fazer o bem. Afinal, Ele é amor, Ele é bom e Sua benignidade dura para sempre (Sl 136). Em Jesus nós temos o amor de De…

IGREJAS INFECTADAS

Transcrevo abaixo uma publicação do Pr. Ricardo Gondim (www. ricardogondim.com.br) . “Aos 25 anos de idade, depois de várias febres, muita rouquidão e um péssimo hálito, dei o braço a torcer e aceitei que o médico operasse as minhas amídalas. Resisti o quanto pude porque sabia que as amídalas existem para proteger as vias respiratórias. Contudo, o médico conseguiu me convencer de que as minhas estavam imprestáveis; tão infectadas que já não protegiam, mas contaminavam o resto do organismo. Só restava uma opção, arrancá-las fora. A partir daquele dia, aprendi que um órgão – qualquer um – pode perder a sua função original e passar a atacar o corpo.Nas relações humanas e sociais acontece o mesmo. Quando se perdem as finalidades originais, morrem casamentos, empresas, igrejas. Serve o exemplo da família: pai e mãe devem oferecer um ambiente em que os filhos aprendam a ter confiança, segurança, dignidade. Mas quando acontecem muitas brigas com ódio, quando falta paz, aquela família perde …

GRAÇA É GRAÇA... MESMO QUE VENHA EM MIGALHAS!

Mt 15.21-28 nos descreve a partida de Jesus e de Seus discípulos para os lados de Tiro e Sidom (território cananeu, cujo povo adorava aos deuses Baal e Astarote, e não a Javé). Lá Jesus teve um encontro com uma mulher siro-fenícia, ou seja, alguém não israelita. Ao ver Jesus a mulher passa a clamar: “Senhor, Filho de Davi, tenha compaixão de mim, pois minha filha está horrivelmente endemonhada”. O que acontece a seguir deixa-nos até hoje perplexos. É isto mesmo que aconteceu? Jesus parece não dar a mínima importância ao clamor daquela mulher. A descrição é de que “Ele não lhe respondeu palavra”. Ou seja, viu e ouviu a mulher, mas não lhe respondeu nada. É assim que você está agora: clama e clama ao Senhor e Ele não lhe responde? Aprendamos com aquela mulher o que devemos fazer nessa situação para alcançarmos a misericórdia do Senhor. Voltando ao episódio bíblico. Saiba que Jesus – não somente nada fez ou falou – porém a situação ainda se agrava mais, pois Seus discípulos sentem-se inc…

O TESTEMUNHO DO PAI SOBRE O FILHO

A primeira carta do apóstolo João é muito especial. Ela foi escrita para que os que cressem em Jesus Cristo soubessem que têm a vida eterna. Os versículos 6 a 12 do capítulo 5 nos falam muito sobre essa verdade, mas principalmente declaram que Deus, o Pai, dá testemunho sobre o Filho. Portanto, quem crê no Pai, também deve crer no Filho, senão estará chamando Deus de mentiroso, pois é Ele quem testifica de Jesus Cristo, o Filho. E mais diz a carta: que Deus nos deu a vida eterna e esta vida está em Seu Filho; quem tem o Filho, então, tem a vida, quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. Você tem o Filho, você está no Filho? Se sim, então que se cumpra o que afirma o versículo 14 que assegura “esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a vontade de Deus, Ele nos ouvirá.”Assim, o que você deseja do Pai, peça por intermédio do Filho, que lhe será concedido. Leia e medite sobre a ilustração a seguir quanto a uma pequena história qu…

APRENDENDO COM JESUS A DISTINGUIR O TIPO DE ENCONTRO QUE ELE APROVA

Em Lc 10.25-37 aprendemos com Jesus sobre encontros. Há encontros para a vida e há encontros para a morte. Na parábola tão conhecida – a do bom samaritano - o Mestre nos dá o exemplo da graça, da solidariedade, da generosidade e do amor altruísta, ao próximo, mas aproveita para nos ensinar sobre violência, egoísmo, indiferença e sobre a religiosidade e seus males. Destaca-se na parábola que um homem – o personagem central – teve três tipos de encontros. O primeiro encontro foi com os ladrões, o segundo foi com os religiosos e o terceiro foi com o samaritano. Em cada um dos encontros, o homem experimentou um tipo de sentimento bem diferente do anterior. O primeiro encontro que aquele homem teve - na estrada de Jerusalém para Jericó - foi com a violência e o egoísmo. O que pensa mesmo alguém violento e egoísta? Ele pensa assim: - Tudo que é meu é meu, e tudo o que é seu será meu também! Nem que seja à força. Se possível agirei por violência, pois defendo os meus direitos e não me impor…

A PRESENÇA DO SENHOR EM TODAS AS ESTAÇÕES (Compreendendo a beleza do Salmo 84 e da letra de “As Quatro Estações” de Kleber Lucas).

Flores de maio, sol de verão. A primavera está chegando, é o fim da solidão. Diz a Bíblia – Ec 3 – que para tudo há um tempo determinado. Às vezes, o tempo é bom, às vezes, não. E assim vivemos entre dois pólos. Um começa onde o outro termina. Então há tempo para: nascer, morrer; plantar, colher; derrubar, edificar; chorar, rir; prantear, saltar; abraçar, deixar de abraçar; estar calado, falar; guerra, paz. Em que tempo você está? Não esqueça: a primavera está chegando, é o fim da solidão (às vezes estamos rodeados por uma multidão, mas nos sentimos tão sozinhos, pelas circunstâncias!). O pardal encontrou casa. E a andorinha ninho para si. E eu os teus altares. Deus providencia ninho para o pardal e para a andorinha. Ele cuida de sua criação. Imagine os cuidados que Ele tem por nós, que somos feitos à Sua imagem e semelhança. Ele nos presenteia a todos nós, com os Seus altares, por isso sentimos seguros, protegidos, guardados, amparados. Nuvens e raios sobre o sertão. Avisa lá que est…

A FÉ QUE RESISTE ÀS TRIBULAÇÕES

O livro do profeta Habacuque apresenta inicialmente uma situação vivenciada por muitos crentes: a maldade não castigada e por que Deus, sendo justo e bom, pode permitir que os maus prosperem e tenham poder sobre Seus filhos. Todos os três capítulos do livro nos descrevem momentos marcantes para os hebreus. O reino do norte havia sido esmagado pelos assírios, e logo mais os terríveis caldeus – os babilônicos - viriam sobre Jerusalém, como capital do reino do Sul. Essa era a vontade de Deus pela desobediência do povo, mas Habacuque não sabia. E eis que surge o profeta orando e clamando. Aqui nos deparamos com o enigma da oração não respondida. O enigma para Habacuque era o silêncio, a aparente inatividade e despreocupação da parte de Deus em vista do pecado. O profeta olhava ao seu redor, via o pecado inflamando a todos e ficava em estado de perplexidade, perguntando-se: por que Deus não age? Este tem sido o clamor de crentes em todas as épocas. Deus, porém, sempre responde no tempo det…

AMOR

Hoje - como todos os dias - acordei pensando em Deus, mas também em Isabel Cristina, minha mulher, companheira, irmã, minha amada. Por isso Deus me impacta tanto, Ele é AMOR e me proporcionou encontrar em Isabel Cristina Sua própria essência, pois nela encontrei o amor. Daí ser a mensagem que ora apresento a vocês cheia de significados de GRAÇA, pois é sobre AMOR. Este é o título do poema de Carlos Drumond de Andrade que abaixo transcrevo. Drumond foi um poeta extraordinário, alguém reconhecidamente sensível, a quem certamente Deus abençoou com um dom maravilhoso, falar aos corações, falando das coisas da alma, falando do amor: "Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção. Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for inten…

O DISCERNIMENTO DE QUEM TEM O ESPÍRITO DE DEUS

Dn 1.1-21 descreve a situação do exílio na Babilônia quando Daniel e seus três jovens companheiros deram os primeiros e definitivos passos como escolhidos pelo rei Nabucodonosor, para receberem formação e treinamento nas ciências e nas artes, conquanto que passados três anos, fossem submetidos à apreciação real, e sendo aprovados passariam a servi-lo. Aprendemos aqui que o sucesso que vai caracterizar a vida de Daniel, muito tem a ver com essas primeiras atitudes que ele assume diante das circunstâncias adversas. Em primeiro lugar, Daniel se dá conta que é possível harmonizar a aparência externa com o interior. Ele não somente era um jovem saudável fisicamente e de boa aparência, mas em termos interiores, pode ser considerado instruído, apto para o novo, aberto para novas experiências, enfim, capaz de aprender, inclusive, outra cultura, tão diametralmente oposta à judaica. Em segundo lugar,Daniel soube perfeitamente discernir o que faz bem. Ele tinha plena consciência de que era escra…

SOU PASTOR, MAS NÃO CREIO MAIS...!

Sou pastor, mas não creio mais em programas televisivos de pastores evangélicos. Desde criança assisto TV, em especial aprecio filmes, jornais e documentários. Mas de algum tempo para cá, surgiram muitos programas ditos evangélicos, em que mensagens pastorais são expostas e todo um aparato de show é conduzido pelos pastores televisivos. Aquilo que em princípio parecia ser uma bênção, revelou-se maléfico, na prática. A televisão transforma pessoas comuns em ídolos. E os ídolos existem para serem adorados pelas pessoas. A televisão tem causada profunda transformação na percepção da realidade de muitos pastores, que começam humildes e sozinhos em seus programas. Em pouco tempo, pedem para os telespectadores contribuírem, sendo parceiros ou patrocinadores de seus programas. Infelizmente, a história nos mostra que algum tempo depois, muitos deles caem em contradições, daí os tantos casos de adultérios, sonegações fiscais, associações com gente suspeita, enriquecimento não explicado, dentre…

CONSELHOS PARA SOBREVIVER AO MUNDO GOSPEL (Pr. Ricardo Gondim)

O mundo gospel se torna cada dia mais patético; distante do protestantismo; em rota de colisão com o cristianismo apostólico; transformado numa gozação perigosa; adoecendo e enlouquecendo milhares que são moídos numa engrenagem que condena a um duplo inferno. Não consigo responder a todas as mensagens que entopem minha caixa postal. Milhares pedem socorro. Eu precisaria ter uma equipe de especialistas, todos me ajudando a atender os que me perguntam: “ a maldição do pastor vai pegar mesmo?”; “é preciso aceitar as patadas que recebo do púlpito?”; “em nome da evangelização, devo aturar esses sermões ralos?”.Realmente não dá mais. A grande mídia propaga o que há de pior entre os evangélicos com petição de dinheiro, venda de “Bíblias fantásticas”, milagres no atacado e simplismos hermenêuticos. As bobagens alcançaram níveis intoleráveis. O que fazer? Tenho algumas idéias. Aconselho que os crentes parem de consumir produtos evangélicos por um tempo. Não compre Cd de música ou de pregação …

O SERVIÇO NOS TORNA GRANDES, A HUMILDADE NOS FAZ MAIORES AINDA

Em Mt 20.17-28 nos deparamos com mais uma cena com fatos marcantes vividos por Jesus e Seus discípulos. A mulher de Zebedeu, mãe de Tiago e João, pede um favor ao Mestre: que no Reino de Deus, seus dois filhos se assentem um à direita e outro à esquerda de Jesus. Três pontos se destacam na análise de todo o texto: 1) a ambição da mãe que queria lugares de honra para seus filhos; 2) a própria posição de aceitação dos filhos posto que poderiam ter repreendido, embora com ternura, a mãe; 3) a posição irada dos dez outros discípulos mostra que não foram sábios e também reflete que existiam motivos egoístas em seus corações. A resposta de Jesus suscita uma advertência: quem pede honra e glória não sabe o que pede. É preciso estar disposto a tomar o cálice, é necessário carregar a cruz. E mais afirmou Jesus: no mundo, os príncipes dominam os gentios e sobre eles (os príncipes) existem outros que os dominam. Ou seja, nos reinos e nações dos homens, predomina o entendimento de que grandes sã…