segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

MULTIPLICAÇÃO DE PÃES EM 2012!

Ao refletirmos sobre o episódio da multiplicação dos pães e peixes, em Jo 6.1-14, poderemos aprender sobre atitudes  e expectativas, na entrada de um NOVO ANO, como agora em 2012. Aprendemos que você precisa, assim como eu:
1. TER INTERESSE EM OUVIR JESUS. Aquela grande multidão estava ali para ouvir e aprender com o Mestre. Isto é o que temos que fazer, sempre!
2. SABER QUE JESUS TESTA A NOSSA FÉ. Ele perguntou a Felipe (v.7) e pergunta a mim e a você, também, testando nossa fé. Não O desaponte!
3. SER GENEROSO. Às vezes, dependendo das circunstâncias, temos que abrir mão do que temos. Saber que o que temos não é nosso, mas dEle. Então, consulte-O sempre, quando pensar em fazer algo. Mas esta é uma atitude pessoal, opcional, portanto. Uns fazem, outros não.
4. OBEDECER. Jesus pediu que os discípulos fizessem o povo sentar e o povo sentou. Aprendemos que não se questiona uma ordem de Jesus, obedeça, simplesmente. 
5. DAR GRAÇAS SEMPRE. Ao pegar os pães e os peixes, Jesus ergue os olhos aos céus e agradece. Devemos fazer o mesmo, sempre!
E POR FALAR NISTO, O QUE TEM VOCÊ EM SUAS MÃOS PARA AGRADECER?
• E NO QUE VOCÊ TEM, DEUS O FARÁ PROSPERAR. ELE VAI ABENÇOAR E MULTIPLICAR A PARTIR DAQUILO QUE VOCÊ POSSUI.
• CUIDE, ZELE, TENHA CUIDADO NO POUCO QUE TEM E ELE CERTAMENTE MULTIPLICARÁ, A PONTO DE VOCÊ SER CANAL DE BENÇÃOS PARA OUTROS; ASSIM ACONTECEU COM AQUELE MENINO QUE NA SIMPLICIDADE DE UM LANCHE ALIMENTOU UMA MULTIDÃO.
Jesus multiplicou os pães e peixes porque ali a prioridade era alimentar aquela multidão. O Senhor agiu como Jeová Jiré, o Deus que provê e supre as necessidades humanas. 
EX 3.14: “ DISSE DEUS A MOISES: EU SOU O QUE SOU. DISSE MAIS: ASSIM DIRÁS AOS FILHOS DE ISRAEL: EU SOU ME ENVIOU A VÓS OUTROS. DISSE DEUS AINDA MAIS A MOISÉS: ASSIM DIRÁS AOS FILHOS DE ISRAEL: O SENHOR, O DEUS DE VOSSOS PAIS, O DEUS DE ABRAÃO, O DEUS DE ISAQUE E O DEUS DE JACÓ, ME ENVIOU A VÓS OUTROS;
ESTE É O MEU NOME ETERNAMENTE, E ASSIM, SEREI LEMBRADO DE GERAÇÃO EM GERAÇAO"
Deus é Deus de todas as gerações. O próprio Deus explicou o significado do Seu nome a Moisés. Ele é o que é, o grande Eu Sou. Digamos que você pudesse se tornar o que desejasse. O que faria pelos seus amigos? Se um  adoecesse gravemente, você poderia tornar-se um bom médico e curá-lo. Se outro sofresse um problema financeiro, poderia tornar-se um rico benfeitor e socorrê-lo. Mas a verdade é que você, como todos nós, é limitado no que pode se tornar!
Mas Jeová, Deus,  se torna o que for necessário para cumprir suas promessas e Ele se agrada em usar o Seu Poder em favor dos que o amam. Vejamos 2 Cr 16.9: PORQUE, QUANTO AO SENHOR, SEUS OLHOS PASSAM POR TODA A TERRA,PARA MOSTRAR-SE FORTE PARA COM AQUELES CUJO CORAÇÃO É TOTALMENTE DELE.”
Simplesmente clame por Ele; saiba que Ele assumirá o que for possível e conveniente, segundo sua necessidade. Assim, Ele é o Médico que cura, o Advogado que defende suas causas na justiça, o Pai que acolhe e dá colo, o Pastor que cuida e apascenta! Isto e muito...muito mais! Enfim, Ele é Tudo em todos! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, pela Pra. Isabel Cristina, no Culto da Virada, 31/12/2011).

OS TRÊS MOMENTOS REQUERIDOS PELA BÊNÇÃO ALCANÇADA!

Lc 17.11-19 trata do encontro de Jesus com dez leprosos. Ao entrar em uma aldeia, Jesus viu aqueles homens que, de longe, gritavam-Lhe pedindo por compaixão e misericórdia. Jesus, de pronto, determina que, simplesmente, fossem aos sacerdotes e se mostrassem a eles. A cura aconteceu (v. 14b) quando eles estavam indo cumprir a ordem do Senhor, conforme afirma o texto sagrado. A lepra era uma doença terrível e incurável naqueles tempos. Os leprosos sofriam física e psicologicamente. Fisicamente, havia sofrimento porque a pele dos leprosos, doentes e feridos, apodrecia sobre os corpos que exalavam mau cheiro. Estavam vivos, mas eram como uns cadáveres ambulantes! Psicologicamente, havia sofrimento, pois como a doença era contagiosa, cada leproso era separado da família, cônjuges, filhos, parentes e amigos. Enfim, os leprosos eram considerados párias e excluídos da sociedade, da sinagoga e do convívio social. Eram obrigados a viverem isolados, em sítios separados especialmente para eles, fora do arraial, do povoado, da aldeia e da cidadela.
PRIMEIRO MOMENTO: IR A JESUS E CLAMAR PELA BÊNÇÃO.
Para que o momento inicial de obtenção da bênção ocorra é preciso:
. Ir a Jesus (v. 12). Isso aconteceu com os leprosos, e aprendemos que de igual forma devemos fazer!
. Saber que eram impuros e que deveriam ficar distante (v. 12) Atualmente: saber que somos pecadores, portanto, estamos distantes de Deus, mas que por Sua Graça, poderemos receber o favor imerecido.
. Clamar o mais alto que se pode por misericórdia (v. 13).
SEGUNDO MOMENTO: TER FÉ E OBEDECER À VOZ DE JESUS.
O segundo estágio ou momento ocorre a partir do primeiro. Após a iniciativa de ir a Jesus, necessário se torna ouvir e obedecer ao que Ele ordenar que seja feito. Eles sentiam que Jesus poderia curá-los. Mas Jesus não os curou imediatamente; então, aprendemos que Jesus pretendia testar-lhes a fé. A obediência dos dez leprosos demonstra que a fé começara a operar neles.
TERCEIRO MOMENTO: OBTIDA A BÊNÇÃO, VOLTAR A JESUS E AGRADECER!
Ainda não tinham chegado ao sacerdote, e a cura aconteceu. Mas eis que o texto ressalta que dos dez curados, apenas um se dá conta que precisava voltar a Jesus para agradecer pela bênção que recebera. Os outros nove continuaram seu caminho, agora abençoados, sem se preocuparem em agradecer. Gritaram todos pedindo por misericórdia divina; mas, agora, curados, emudeceram à gratidão! Que triste e lamentável quadro: abrimos nossa boca somente até Deus abrir Suas mãos para nós; depois, cheios de boas coisas, ficamos mudos e indiferentes! Jesus vendo que apenas um retorna a Ele, questiona por somente ele voltar, e mais, demonstra admiração, sendo um samaritano, um estrangeiro, ainda!
Dez leprosos pediram ajuda e receberam, Mas nove deles não voltaram para agradecer! Eles se propuseram a pedir, MAS SE ESQUECERAM DE AGRADECER!
Não devemos agir como aqueles nove ingratos que não retornaram ao Senhor para agradecer! Você pode até ser uma pessoa que se mostra grata a Deus, quando alcança uma bênção! Mas cuidado, atente para o fato de que, muitas vezes, nos assemelhamos aos nove, pois:
- agimos de forma ingrata quando nos sentamos à mesa para comer, mas não agradecemos, em oração, pelo alimento recebido.
- agimos de forma ingrata quando antes de dormir, nos esquecemos de agradecer a Deus, em oração, pela proteção de mais um dia vivido.
- agimos de forma ingrata quando, ao levantarmos para um novo dia, nos esquecemos de agradecer pelo dia que inicia.
-agimos de forma ingrata quando trocamos o dia de render culto – de louvar, agradecer e bendizer a Deus – pelo cansaço e deixamos de ir à Igreja, ou optamos pelos passeios, pelas festas, por alegrias e diversões terrenas.
Atentemos em especial para o fato de que o que voltou era estrangeiro, samaritano: quando as dez tribos do Reino do Norte foram transportadas para o cativeiro da Assíria, milhares de pobres e excluídos sociais ficaram em Samaria. O rei da Assíria, além disso, enviou gente de outras partes de seu reino para colonizar Samaria, o que permitiu que se formasse uma raça mista e mística de samaritanos. Isso deu origem a um conflito religioso com os judeus ortodoxos, bastante presente nos dias de Jesus. Os leprosos eram desprezados por todos; ademais, os judeus odiavam e desprezavam os samaritanos. Mas aqueles homens estavam juntos, um samaritano no meio de judeus. Por que? Porque eles tinham algo em comum, a doença! Agora que todos foram curados, cada um foi procurar seu caminho; mas o estrangeiro samaritano voltou, quando poderia ter ido ao sacerdote simplesmente para atestar a todos de que agora era um homem limpo, purificado. Mas resolveu voltar e, antes de qualquer coisa, agradecer a quem lhe abençoou, curou e salvou!
O que o texto nos ensina, de forma categórica e em síntese? Evidencia, de forma extraordinária, a importância da gratidão para com Deus, demonstrada por todo aquele que tem uma bênção alcançada!
Você precisa de ajuda? Tem buscado Deus? Deus tem realizado algo em sua vida? Você tem agradecido? Não?
Por que, ainda, não agradeceu? Está esperando por quê? (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 02/01/2012).