REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

quarta-feira, 15 de julho de 2015

AS ESCOLHAS DE QUEM CAMINHA E AS DE QUEM NÃO CAMINHA COM O SENHOR!

Nossa reflexão tem por base os textos bíblicos, Gênesis 13.1-18; 14.12-16; 18.23-33; 19 (todo o capítulo). Em Gn 13.1-18 a escolha de Ló a este pareceu logicamente melhor. Ele escolheu a planície verdejante do rio Jordão, armando suas tendas em Sodoma. Assim, não restou a Abraão senão a terra de Canaã, junto aos carvalhos de Manre, em Hebrom.
Pelas escolhas feitas, vemos o caráter de Ló: ele procurava tirar vantagens em tudo. Na escolha da terra ele se guiou pela aparência. Certamente que sabendo que ali estavam as cidades de Sodoma e Gomorra, arriscou-se e foi com sua família para lá. Lá, nos textos de Gn 14.12-16; 18.23-33 e em todo o capítulo 19, ficamos sabendo o que aconteceu no futuro, como consequência daquela escolha feita, anteriormente. Em Gn 14. 12-16, eis que houve um período em que quatro reis de cidades –estados vizinhas entraram em guerra com outros cinco reis 23-33 e Ló foi feito prisioneiro e levado cativo, além de sua família, seus servos e sequestrados todos os seus bens. Mas eis que alguém conseguiu escapar do sequestro e foi até Abraão e lhe contou tudo. De imediato, Abraão armou os seus criados, nascidos em sua casa, e eram 318 homens e perseguiu os sequestradores até Hobá, que fica à esquerda de Damasco e tornou a trazer todos os bens, ao sobrinho, sua família e o povo, que ali estava cativo. Em Gn 18.1-15 é descrito o encontro de Abraão com o Senhor, mediante a presença de dois mensageiros de Deus, na companhia do Senhor, que ali foram para anunciar que Sara iria ter um filho, e dali surgiria uma grande nação.
Sara ri – pois tinha 90 anos e Abraão 100 anos de idade. Como isso seria possível?
Além do anuncio, o Senhor tinha um outro propósito com a visita.
Eis que no v.17,18 eles se levantam e o Senhor afirma que não poderia ocultar de Abraão o que iria fazer com Sodoma e Gomorra. As duas cidades do Mar Morto eram caracterizadas pela ausência de Deus, pela idolatria, pelo sexo, pela violência, pela corrupção e pela depravação, o que bem retrata o sistema do mundo.
No v. 20 vemos que “o clamor de Sodoma e Gomorra tem se multiplicado e o seu pecado tem se agravado muito. Clamor, no original hebraico, não é um clamor de intercessão, mas caláb, isto é “fazer segundo o seu clamor”. Sodoma e Gomorra estavam corrompidas de tal forma que a própria corrupção clamava pelo aniquilamento.
A corrupção e a depravação requerem de Deus o aniquilamento. Deus é justo e longânimo até que a medida de Sua tolerância transborda, e aí Ele atua como JUIZ.
A corrupção era tão grande que o próprio Deus desceu e foi ver o nível da corrupção. Abraão intercede por eles, mas no final nada consegue fazer, mesmo tendo usado a estratégia de falar que se houvesse 50 justos dentro da cidade, esta não seria destruída. Como não havia, tornou ele a apelar, e reduziu o número para 10, mas mesmo assim, não conseguiu evitar a destruição, pois não havia sequer dez pessoas justas ali.
No capítulo 19 eis que dois anjos surgem na casa de Ló. Eles foram até ele, porque talvez fosse ele o único que adorava ao Deus único. Embora tentasse protegê-los da insanidade e perversão do povo, a questão toda foi agravada e a ordem para que Ló e sua família deixasse a cidade não pode ser seguida na íntegra. 
Repetindo: Ló era hebreu, sobrinho de Abraão, igualmente, adorador de Deus, mas no decorrer de sua vida fez muitas escolhas erradas, sofrendo as consequências. 
Muitos são os cristãos que igualmente fazem escolhas erradas e pagam por elas.
Deus não ultrapassa o livre-arbítrio de ninguém. A escolha sempre vai ser nossa.
Vivemos fazendo escolhas a cada momento. Quando fazemos determinadas escolhas sem consultar a voz de Deus, amargamos com a consequência, e depois, ficamos questionando Deus: “ Senhor, por que isso aconteceu assim”?
Quando alertou os genros para saírem da cidade, eles riram de Ló, demonstrando que este não tinha autoridade em sua própria casa, embora ocupasse uma posição de autoridade na cidade, pois a Bíblia diz que ele estava assentado á porta da cidade, e quem assim procedia eram os juízes. A ordem de Deus era não olhar para trás, para o que a cidade lhes oferecia. Havia um alvo a ser alcançado. A mulher de Ló não pode resistir e olhou para trás. E foi transformada instantaneamente em estátua de sal! Ela olhou para trás, provavelmente porque era da região e estava ligada emocionalmente ao povo daquela terra. Quem ainda não rompeu com o que deixou para trás, sente vontade de olhar para trás, olhar para o passado, sentir saudade de tempos que já passaram!
No mais, na parte final do texto, vemos um duplo caso de incesto. As filhas de Ló conviveram tanto com o pecado que tiveram a mente cauterizada, como a mãe. E aí, longe de esperar uma resposta de Deus, sobre o futuro da descendência de Ló, embriagaram o pai e tiveram relações sexuais incestuosas com ele. A coisa toda foi tão abominável aos olhos de Deus, que nasceram dois filhos, Moabe e Bem-Ami, de onde descendem os moabitas e os amonitas, povos que lutaram muitas vezes com os israelitas, sendo historicamente inimigos do povo de Deus.
Mais uma escolha infeliz e terrível, que trouxe sérias e danosas consequências! 
Portanto, cuidado com suas escolhas! Cuidado com as coisas que aparentemente são boas!
Muitas vezes, é somente a aparência que é bela, ou está bem, o interior é cheio de sujeira e cheira mal, muito mal! Ao fazer escolhas, busque a direção de Deus!
Ao buscar a direção de Deus, saiba esperar nEle! 
Em tudo, Abraão buscava a direção de Deus! Vejamos mais diferença de Abrão em relação ao sobrinho Ló: 1)    De volta do Egito quando vai armar as tendas, em Betem, Abraão invocou ali o nome de Deus, segundo Gn 13.4, no lugar onde antes havia construído um altar ao Senhor. 2)    Depois da separação de Ló, quando chega a sua nova terra, nas terras de Canaã, a primeira coisa que fez foi um altar a Deus, segundo Gn 13.18. 
Assim, aprenda com Abraão, coloque Deus em primeiro lugar em sua vida, e aí sim faça sua escolha.
Consulte a Ele, antes da decisão final, e aguarde...! A resposta vem! A resposta virá! Glória a Deus por isso! (Reflexão com base em mensagem anunciada por este pastor no culto de domingo 12/07/2015).