REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 26 de março de 2012

COMO SUPERAR OS PROBLEMAS, AS AFLIÇÕES E NÃO DEIXAR TURBAR O CORAÇÃO?

Em João 14.1-3 Jesus está falando aos discípulos: ” Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede em mim. Na casa do meu Pai há muitas moradas....eu vou preparar-vos lugar. Quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde eu estou, estejais vós também!”.
Jesus alerta para as promessas vindouras e para a falta de sentido em o discípulo dEle ter o coração turbado! Mas o que é um coração turbado? É o que se turbou, escureceu, perturbou-se, agitou-se e inquietou-se. Um coração turbado é algo comum entre os seres humanos, independentemente de classes sociais, etnias, idades ou crenças religiosas. Muitas são as causas que levam um coração a se sentir turbado; elas veem de fora e de dentro da alma humana; emanam tanto da mente quanto do corpo; pessoas que amamos podem nos deixar assim, bem como pessoas que tememos. Mesmo os que têm uma vida mais consagrada a Deus já experimentaram ou irão beber o cálice mais amargo da dor na caminhada cristã. Jesus estava se despedindo dos seus discípulos. Aquela não era uma quinta-feira comum, ao contrário, era a quinta-feira do Getsêmani, a do suor de sangue, a da traição de Judas e da prisão de Jesus. Os discípulos se encontravam com o coração turbado porque estavam:
 tristes – era iminente a partida de Cristo; e depois, a solidão os atingiria.
 envergonhados – recentemente eles haviam demonstrado todo o egoísmo humano ao perguntar ao Mestre quem era o maior entre eles.
 perplexos – tinham sabido que Judas trairia Jesus; que Pedro o negaria e os demais ficariam ficariam dispersos.
vacilantes na fé – perguntavam-se como podia o Messias ser alguém que iria ser traído!
angustiados – diante das aflições, açoites, perseguições, prisões e torturas que enfrentariam pela frente.
Mas Jesus os consola, dizendo-lhes: “Não se turbe o vosso coração”. Mas como? Como superar e triunfar diante de tantas turbulências?
I. É PRECISO TER E MANTER A CONFIANÇA EM CRISTO APESAR DAS CIRCUSTÂNCIAS (v. 1): Confiar em Deus e no Seu Filho é crer, confessar e descansar no Seu poder, na Sua sabedoria, na Sua providência, no Seu amor, e na Sua salvação. Sabemos que as crises vêm, os problemas aparecem e as tempestades nos ameaçam, mas "continuem confiando em mim, disse Jesus"!  Sabemos que as sombras cairão sobre nós, que a perseguição virá, que carregar a cruz é inevitável, mas "continuem confiando em mim, disse Jesus"! Sabemos que as prisões e os açoites nos alcançarão, que o sofrimento e a morte nos apanharão, mas "continuem confiando em mim, disse Jesus"! A solidão, a crise financeira, a doença, o luto, a dor, as lágrimas, os vales profundos e as noites escuras virão, mas "continuem confiando em mim, disse Jesus"! A fé olha para Jesus e não para a tempestade. A fé ri das impossibilidades e triunfa nas crises.
III. É PRECISO SABER QUE NESTE MUNDO SOMOS PEREGRINOS, MAS O CÉU É O NOSSO LAR (v. 2,3): Diante das provas, das tribulações e do sofrimento, precisamos levantar a cabeça e olhar para a recompensa final. Na jornada cristã há  sofrimento, dor e cruz, mas o fim do caminho nos revela a glória e o céu!  Mas como é o céu? O céu é o nosso destino, lugar de gozo e descanso: A morte não é o fim da vida. A morte não tem a última palavra. O aguilhão da morte foi arrancado. Morrer para o que crê é deixar o corpo e habitar com o Senhor. Morrer para o que crê é habitar com Cristo. Quando quem crê morre não irá para o cemitério, mas para o céu. Lá está o trono de Deus, o nosso tesouro, o nosso galardão, a nossa herança incorruptível. O céu é a Casa do Pai e lugar de segurança! Aqui no mundo somos estrangeiros, mas no céu vamos estar em casa, na Casa do Pai. Lá não vai entrar maldição; hão há doentes, deficientes físicos, feridos, oprimidos, morte e choro! Lá é o lugar onde somos amados e aceitos, não pelo que temos, mas por quem somos. Lá é onde todos os filhos são tratados sem preconceito, sem acepção. O céu é o lugar onde há muitas moradas: No céu há lugar para todos os filhos de Deus. Ap 21.16 diz que a cidade mede 2.200 km de largura e 2.200 km de cumprimento. Há lugar para todos. O céu é o lugar da nossa morada permanente. Agora no corpo, moramos numa tenda frágil, mas lá, habitaremos as mansões celestiais. Nós não compramos esse lugar no céu, pois não o merecemos. O Senhor nos dá como presente. É graça, pura graça. Jesus preparou esse lugar na cruz, na Sua morte, ressurreição, ascensão e intercessão. Lá na cruz Jesus abriu-nos um novo e vivo caminho para Deus. O céu é o lugar onde teremos comunhão eterna com Ele e uns com os outros!
III. É PRECISO SABER QUE NÃO ESTAREMOS SOZINHOS, MAS JESUS VOLTARÁ PARA NOS BUSCAR (v. 3): Jesus voltará, mas como Ele virá? Ele certamente voltará: Ele prometeu, Ele virá .Ele pessoalmente voltará: O mesmo que subiu é o que vai voltar. Atos 1.9-11. Voltará entre nuvens. Voltará em glória. Ele visivelmente voltará: Todo o olho o verá. Todas as nações se lamentarão sobre Ele. Ele virá com o soar da trombeta de Deus. Será o evento mais estupendo da história! Ele gloriosamente voltará: A última palavra não será do mal. A verdade triunfará sobre a mentira. O ímpio não prevalecerá na congregação dos justos, mas será disperso como a palha. A Igreja triunfará com Cristo. Quando a voz do arcanjo soar e a trombeta de Deus ressoar, Cristo surgirá nas nuvens como relâmpago, com poder e muita glória. Ele julgará as nações. Ele lançará os ímpios e o diabo no lago do fogo. Mas quando Jesus voltará? Ele voltará inesperadamente: Muitos serão surpreendidos. Muitos não estarão vigiando. Muitos não estarão preparados (Mt 25.1-11). Muitos lamentarão amargamente por terem vivido dissolutamente e não estarem preparados para esse encontro. Para que Jesus voltará? Ele virá para levar os que perseveraram até o fim. Para onde? Para a Casa do Pai, para as bodas.
Finalizando: Aqueles discípulos que estavam abatidos, tristes e turbados foram consolados, revestidos com o poder do Espírito Santo, confiaram em Cristo e proclamaram Seu nome. Eles viveram como peregrinos, ajuntaram tesouros no céu, viveram sob as leis do céu, aguardando o céu, preparados para a segunda vinda de Cristo. E você? Está ainda com o coração cheio de temor? Ponha sua confiança em Cristo. Não se angustie e não se inquiete, antes confie em Jesus Cristo e Ele há de consolar você! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto do domingo 25/03/2012).