quinta-feira, 24 de setembro de 2009

VENTOS FORTES , TEMPESTADES VIOLENTAS E MAR ENFURECIDO ASSUSTAM MUITO: O QUE FAZER?

O Evangelho de Mateus descreve duas situações vividas por Jesus e os discípulos, ambas no mar, que me chamam muito a atenção. Inicialmente, 8.23-27 e depois, 14.22-33. Na primeira cena: JESUS ESTÁ PRESENTE DURANTE A TEMPESTADE. Lemos que Jesus entra em um barco e os discípulos O acompanham. Logo depois eis que sobreveio no mar uma grande tempestade e com ventos fortes, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Neste momento Jesus estava ali ao lado deles, mas cansado fisicamente, dormia. Porém os discípulos assustados foram até Ele e O acordando, falaram: Senhor, salva-nos, pois iremos todos morrer. De imediato Jesus os repreende: por que temem homens de pouca fé? E depois levantando-se repreendeu os ventos e o mar e se fez grande bonança.
Vejamos bem toda a cena: Estavam todos no barco, Jesus também. Com Jesus presente por que o temor? Com Jesus ao seu lado o que pode representar os ventos fortes, as ondas grandes e furiosas e um mar revolto que se expressa em uma grande tempestade? Com Jesus no barco não há o que temer! Às vezes sentimos que Jesus está presente, mas parece que está dormindo, não escuta o clamor, não ouve o nosso choro! É assim que você está se sentindo? É certo que com Jesus no barco não nos livramos das tempestades e situações adversas, mas quando clamamos logo Ele nos socorre! Cuidado, Ele não está mais presente fisicamente falando, logo não há corpo físico para necessitar de descanso, então, Ele não dorme. Ele é Espírito, sempre presente, sempre atuante. Você está sofrendo, passa por momentos difíceis, sente os ventos fortes, o mar revolto, e a tempestade se aproximando, então não vacile, clame pelo Senhor. Ele está ao seu lado. Clame com fé e Ele rapidamente aplacará a fúria das águas agitadas que formam ondas gigantescas e revoltas que se levantarem contra você. Veja que Jesus aplica duas repreensões, a primeira nos discípulos, por sua pequena fé. Revendo tudo: O Senhor está com você, pois já O aceitou como Senhor e Salvador, mas lhe parece que Ele está dormindo, saiba Ele não está dormindo. Você sim, pode estar dormindo, então, acorde sua fé, e Cristo estará desperto, pronto a operar milagres em sua vida. Às vezes nos sentimos como aqueles discípulos em meio à tempestade, quase a ponto de naufragar, prestes a perder tudo, inclusive a vida. Mas creia, Jesus é a solução para os nossos problemas. Portanto, não vacile, não tema, clame por Ele, com fé e tudo será acalmado e no lugar da dor, da agonia e do sofrimento, o alívio pelo livramento, a alegria pela vitória alcançada. Assim como no texto, Jesus não somente aquieta a tempestade no mar ( a fúria dos inimigos que nos querem tragar), em uma segunda repreensão, mas acalma, também, a tormenta nos corações de Seus discípulos (de ontem e de hoje). O Senhor -revela-nos o Evangelho - ficou indignado não por ter sido perturbado pelos discípulos, mas porque os discípulos perturbaram-se a si mesmos com sua falta de fé. "Por que sois assim tão tímidos, medrosos? Como é que não tendes fé?"( Mc 4.40, outro texto, mesma cena). A pergunta de Jesus mostra que entregar-se ao medo é algo incompatível com a atitude de um cristão. Nos momentos de adversidades, problemas e tentações somos obrigados a optar: ou exercemos a fé ou nos entregamos ao medo. Uma atitude exclui a outra. Quando o temor começa, a fé termina. Mas quando rompe a fé, o temor desaparece. Na segunda cena: JESUS ESTÁ AUSENTE DURANTE A TEMPESTADE. Nesse outro momento, muito tempo depois, vemos Jesus obrigando os discípulos a subirem em um barco e a passar para o outro lado, enquanto Ele despedia a grande multidão. Depois de fazer isso, sobe ao monte para orar. Por que os obrigou a subirem no barco? Aqui não há explicação alguma,ficamos sabendo de toda a história quando lemos Jo 6.15 que explica que Ele assim procedeu porque queria retirá-los dali, uma vez que a multidão maravilhada com Seus feitos, sinais e milagres, queria fazê-Lo Rei. Mas esse nunca foi Seu propósito ou Sua missão. Jesus pretendia livrar os discípulos de serem "contaminados" por essa idéias nacionalistas e distorcidas. Mas no mar eles iriam correr outro tipo de perigo. O mar se enfureceu e eles tiveram dificuldades de remar. Ventos fortes e tempestade se avizinhando era o cenário que estava se formando. E o agravante: era madrugada e Jesus não estava presente. A tempestade os alcançou quando já estavam na metade da travessia. A noite já caíra e daí em diante não avançariam mais até a quarta vigília (três horas da madrugada). Mais uma vez o pânico, o medo, o que fazer? Jesus não está aqui!De longe, surge um vulto, alguém parece vir caminhando sobre as águas! Será possível? Não será um fantasma? Ou será uma alucinação? Os discípulos não sabiam que o socorro e a libertação viriam daquele jeito. Não imaginaram viesse Jesus andando sobre as ondas, algo impossível para qualquer homem. No entanto, a partir de então, todos passariam a saber que Jesus sempre está por perto. Embora não visível aos olhos humanos, Ele faz-se presente. Pedro reconhecendo Jesus se dispõs a ir ao Seu encontro. Chega a dar alguns passos, realmente andando sobre as águas do mar, mas fraquejou ao retirar o olhar de Jesus e se fixar nas ondas revoltas que o cercavam. Vacilou, teve medo e foi socorrido pelo Senhor, pois já estava afundando. Que ensinamentos essas cenas nos revelam!Em qualquer situação, aprenda a buscar ao Senhor, e o socorro, sempre virá, mesmo quando você está atemorizado. Recupere seu fôlego, refaça suas energias, busque a fé, revove-a e não permita que o medo cresça e se transforme em pânico. Quando o medo se instala na alma, o pânico se sente mais à vontade: o medo è o pânico da alma. Nas adversidades e nos momentos mais difíceis da vida, precisamos escutar a voz de Cristo a dizer: " Não temam!"(Síntese da mensagem deste pastor levada à Comunidade no culto de domingo 20/09/2009).