REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

REVENDO CONCEITOS E VALORES PARA FIRMAR UMA VIDA MAIS ESPIRITUAL!


Fp 3.1-14 nos apresenta uma exortação do apóstolo Paulo sobre alegria, vocação e valores espirituais que deve merecer nossa melhor atenção neste início de um novo ano. Vejamos, passo a passo, segundo alguns versículos escolhidos:
v.1: devemos nos alegrar no Senhor;
v.7: o que antes, segundo os valores dos homens, era lucro, agora, em Cristo, é perda.
v.8: realmente é perda, por causa da grandiosidade do conhecimento de Cristo; por amor a Ele, perdi todas as coisas .
v.9: eu me encontrei nEle, não por minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé.
v.10: quero conhecer Cristo, o poder de Sua ressurreição e a participação em Seus sofrimentos, tornando-me como Ele na morte.
v.11: para, de alguma forma, alcançar a ressurreição dentre os mortos.
v.12: Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus.
v.13: Irmão, não penso que eu mesmo já tenha alcançado, mas uma coisa eu faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante,
v.14: prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.
Estamos no início de mais um ano. Muitos são os que estão fragilizados, inclusive, espiritualmente, porquanto perderam a alegria cristã. Isso aconteceu porque começaram a ficar desanimados e desgostosos com a vida. Outros tantos perderam alguns valores de uma vida de comunhão com Cristo, como a fé ou o prazer de ouvir a voz de Deus. Muitos, também, perderam a capacidade de avançar e não mais cresceram espiritualmente. Isso se aplica a você? Ou a alguém que você conhece, e sente que perdeu o sentido e a direção na caminhada com Cristo?
Com base, então, no texto sagrado, vamos refletir sobre alguns valores que precisam ser restituídos em nossa vida espiritual.
1. A IMPORTÂNCIA DE TER A ALEGRIA RESTITUÍDA.
No v. 1 o apóstolo afirma: “Quanto ao mais, irmãos meus, alegrai-vos no Senhor!”. Um dos principais temas da carta de Paulo aos Filipenses é a alegria. Paulo sintetiza isso em 4.4 quando diz: “… regozijai-vos sempre no Senhor, outra vez digo: regozijai-vos!”. O apóstolo nos ensina que não importa o que venha acontecer, os cristãos podem gozar de profunda alegria, serenidade e paz. Essa alegria vem do conhecimento pessoal de Cristo e da dependência de sua força, em vez da nossa. Assim, podemos sentir alegria mesmo nos infortúnios da vida. Essa alegria não vem de circunstâncias exteriores, mas da força interior presente em nós através do Espírito Santo. Sendo discípulos, não devemos confiar no que temos ou experimentamos, mas em Cristo que está dentro de nós.
Jesus nos faz a maravilhosa promessa em Jo 16.22: “ Assim também agora vós tendes tristeza; mas outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar”. Então, entendemos que há certa inalterabilidade na alegria cristã; e isto acontece assim porque nossa alegria esta firmada no Senhor. O cristão deve estar sempre na presença e na companhia de Jesus Cristo. Podemos perder tudo: posses e amizades, mas jamais poderemos perder a Cristo. Até em circunstâncias em que a alegria parece impossível, a alegria cristã deve perdurar, porque todas as ameaças, terrores e desconfortos da vida não podem separar o cristão do amor de Deus em Cristo Jesus, seu Senhor (Rm 8.35-39).  Davi após ter adulterado e recebido a visita do profeta Natã que vinha da parte do Senhor para repreendê-lo, declara no Sl 51.12, clamando: “Restitui-me a alegria da tua salvação”. A alegria da salvação significa a alegria de ser cristão, estando em comunhão com Deus, e na casa do Senhor. Se este for o seu caso, talvez não esteja afastado da Igreja, mas se encontra distante de Deus; ou até ocupe cargos na Igreja, mas encontra-se distante de Deus e da alegria da salvação, pois em algum momento o altar da alegria foi quebrado, então, pare e ore: “Senhor restitui-me a alegria da salvação".
2. A IMPORTÂNCIA DE TER OS VALORES REAIS RESTITUÍDOS.
Nos v.7 e 8 Paulo afirma: “….Mas o que para mim era lucro, passei a considerar como perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. O apóstolo poderia se orgulhar de muitas coisas que havia obtido em sua vida. Nos versículos 4 ao 6 ele declara: “ É verdade que eu também poderia pôr a minha confiança nessas coisas. Se alguém pensa que pode confiar nelas, eu tenho ainda mais motivos para pensar assim. Fui circuncidado quando tinha oito dias de vida. Sou israelita de nascimento, da tribo de Benjamim, de sangue hebreu. Quanto à prática da lei, eu era fariseu. E era tão fanático, que persegui a Igreja. Quanto ao cumprimento da vontade de Deus por meio da obediência à lei, ninguém podia me acusar de nada.” Qualquer Judeu se orgulharia de ter um líder com o currículo de Paulo, pois ele tinha credenciais extraordinárias. Paulo poderia ter considerado tudo isto, como um crédito a seu favor, no balanço de sua vida; mas quando se encontrou com Cristo, considerou todas aquelas credenciais como dívidas inúteis e prejudiciais para o seu avanço no conhecimento de Cristo. As coisas em que tinha acreditado poder se auto glorificar eram em realidade completamente inúteis. Toda realização humana devia ser colocada de lado, para poder aceitar a livre graça de Cristo. Assim, Paulo teve que se despojar de toda pretensão de honra para poder aceitar, na mais completa nudez e humildade, a misericórdia de Deus em Jesus Cristo. Paulo nos ensina que na medida em que avançamos no conhecimento de Cristo, descobrimos que Ele é o nosso bem maior. Portanto, nossa verdadeira riqueza é a presença de Deus em nós.
3. A IMPORTÂNCIA DE TER RESTITUÍDA A VONTADE DE PROSSEGUIR E AVANÇAR RUMO AO ALVO.
Os v.13 e 14 destacam:…”mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus".
É até fácil iniciar algo, mas apenas os ousados terminarão. Nas coisas de Deus, precisamos de determinação para terminar o que começamos. Não podemos mais olhar para trás. Quando Paulo nos recomenda esquecer, está-se referindo àquelas lembranças que nos atrapalham a caminhar com Cristo. São os pensamentos negativos, as mágoas do passado e as pessoas mesquinhas que nos entristeceram. Esquecer, tem o sentido de deixar para trás toda forma de pensamento que nos impede de avançar. Assim, não fique preso ao passado, antes cresça no conhecimento de Deus, concentrando-se no relacionamento que você tem com Ele agora. Assim cresça e avance sempre, sem nunca desistir! Oro, então, a Deus para que em 2012, aquilo que foi perdido em sua vida seja restituído, pelo Senhor, e que você possa prosseguir, em Cristo Jesus, para o alvo, que é sua salvação e a eternidade com Ele! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 08/01/2012).