REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

quarta-feira, 20 de maio de 2015

PARA SERMOS DE CRISTO, PRECISAMOS TER O ESPÍRITO DE DEUS. E PARA ISSO, DEVEMOS FAZER COM QUE DEUS HABITE EM NÓS

Romanos 8.9, ao final, nos declara que “ se alguém não tem o Espírito Santo, esse tal não é de Cristo”.
Ao lermos Gênesis 1.1 é possível associar a criação a Deus – o que é correto – mas o v.2 deve ser associado ao Espírito Santo, posto que afirma que “ a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas”.
Na criação, o Espírito Santo atuou naquele caos total, trazendo ordem e estrutura ao mundo. 
No Antigo Testamento vemos que Ele concedia dons a certas pessoas e as capacitava para tarefas específicas. Assim, como exemplo, temos que, no deserto, pessoas foram capacitadas com diferentes habilidades para a construção do tabernáculo (Ex 31.3).
Por outro lado, a unção com óleo dispensada aos sacerdotes, profetas e reis era símbolo da unção do Espírito que os capacitaria a cumprir suas tarefas.
Uma forte característica daqueles tempos era a de que essa capacitação era limitada a esses indivíduos.
Mas no Novo Testamento essa questão muda radicalmente, pois todo o povo escolhido de Deus é dotado e capacitado pelo Espírito Santo para cumprir um chamado divino, uma vocação (Gálatas 4.6).
 E quanto a atuação do Espírito Santo em nós?
Cada seguidor, cristão e discípulo de Jesus Cristo é (ou está apto para ser) morada do Espírito Santo.
Ele produz o Novo Nascimento e vem habitar em nós.
Cristo está em nossos corações por meio da presença de Seu Espírito, que faz de nosso corpo Seu templo e nos dá a certeza da salvação.
E como se dá essa transformação?
Por meio do Evangelho que é aplicado em nossos corações (Efésios 1.13,14).
É certo que como resultado de todo o processo da salvação, enfrentamos a cada dia um grande conflito interior entre os nossos desejos humanos (que a Bíblia denomina de carne) e o Espírito (ver Romanos 8.1-11).
Esse processo de combater a carne é algo que acontece no dia a dia, quando o Espírito age em nós:  1)   ELE OPERA EM NOSSA MENTE, CAPACITANDO-NOS A DESCOBRIR A VONTADE DE DEUS. 2)   ATUA EM NOSSA CONSCIÊNCIA, CAPACITADO-NOS A DISTINGUIR ENTRE O CERTO E O ERRADO. 3)   AGE EM NOSSO CORAÇÃO, CAPACITANDO-NOS A DESEJAR OS CAMINHOS DO SENHOR. 4)   OPERA EM NOSSA VONTADE, CAPACITANDO-NOS A SER DETERMINADOS A SEGUIR A VONTADE DE DEUS. 5)   POR ÚLTIMO, OCORRE O REALIZAR, ISTO É, A VITÓRIA CONTRA A CARNE. OU SEJA, MINHA VONTADE E MEUS DESEJOS DE FAZER OU DEIXAR DE FAZER JÁ NÃO MAIS IMPORTA. O QUE IMPORTA MESMO É DEIXAR QUE O ESPÍRITO SANTO CONDUZA MEU QUERER, CONDUZA MINHA VIDA. 
Certamente que todo este processo é uma luta diária, que deve produzir uma separação entre mim e o mundo, entre os valores do mundo e os valores de Deus, isto é que se chama de santidade. 
A santidade, assim, torna-se algo que sentimos no outro – ou não – porque os efeitos da separação tornam-se visíveis e são identificados por meio do fruto do Espírito (Gálatas 5.22). Quando vivemos pelo Espírito, tornamo-nos árvores frutíferas, como nos recomenda Jesus em João 15.  Jesus habita em você, se o Espírito Santo estiver em você. Você tem alguma dúvida sobre isso? Leia Efésios 4.30 e 5.18-20 e transforme esse texto em uma oração. Quando Jesus está em nossos pensamentos e em nosso coração, a salvação chega até nós e nos é assegurada por meio do Espírito, que não nos abandona, nunca! Glória a Deus por isso! (Reflexão com base em mensagem anunciada no culto de domingo 17/05/2015).