REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

HOMEM NATURAL x HOMEM ESPIRITUAL x HOMEM CARNAL

Em 1 Coríntios 2.14,15 o apóstolo Paulo afirma que há dois tipos de humanos.
Nasce-se homem ou mulher; ambos têm uma centelha de Deus – pois foram criados por Ele – constituídos por corpo e alma (centro dos sentimentos, emoções, sentidos, vontade), mas o espírito que possibilita ter uma relação com Deus, não está ativado, já que os conecta com o Espírito Santo, e ainda com Ele não têm comunhão. 
Eles são naturalmente humanos, crescem, tornam-se adultos e não compreendem as coisas de Deus, pois lhes parecem loucura. 
E não podem entendê-las, porque coisas espirituais só se discernem espiritualmente. 
Mas quando se relacionam espiritualmente com Deus, tornam-se eles espirituais e podem discernir bem todas as coisas. 
Daí a grande dificuldade que a maioria das pessoas tem, não conseguem entender como nós – discípulos de Cristo – vivemos distante do que é valorizado, naturalmente, pelas pessoas: as festas, as bebidas, as baladas, o carnaval, a pornografia, as drogas, a ostentação, a corrupção, as intrigas e a ambição desmedida, enfim, tudo o que dá até muito prazer (naturalmente)! E isso parece loucura para essas pessoas.
Mas e quanto ao que se diz religioso, mas dá mau testemunho? 
Nos versículos seguintes – capítulo 3 da carta – o apóstolo afirma que há um terceiro tipo de pessoa. 
É quem um dia foi espiritual, mas foi se desviando do Caminho de Cristo, e mesmo dentro de uma igreja, não age mais segundo o espírito, mas segundo a alma (sua carne, seus desejos). 
Este ser humano carnal, antes espiritual, nutre fortes sentimentos e desejos próprios do homem natural, deixando-se levar pelos preconceitos, pela inveja, pelas contendas! Portanto, saiba distinguir: há muitos homens naturais de bem; todos os homens espirituais deveriam ser, igualmente, do bem. 
Mas não: há aqueles que não são, e deveremos chamá-los de homens/mulheres carnais. Infelizmente estes são mais reprováveis que os naturais, que têm a seu favor o fato de que não conhecem Deus, enquanto aqueles sim!