sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A RENÚNCIA E OS SEUS DESAFIOS!

Lucas 18.18-30 descreve o encontro de Jesus com um jovem rico e que é confrontado pelo Mestre para que renuncie aos seus bens materiais, se quiser alcançar a vida eterna. 
Mas o que é renunciar a algo por Deus?
É abrir mão da sua própria vontade por Ele.
É reconhecer que Deus é maior que sua vida e que você precisa dEle.
É entender que é importante viver para Ele. E que, portanto, o Senhor tem toda a liberdade para agir em sua vida.
O seu "Eu" cai por terra, deixando prevalecer a vontade de Deus, não a sua!
Mais importante do que riquezas materiais é a comunhão e a intimidade com Deus, assim, Jesus não exige que você venda tudo, materialmente falando.
O que Ele queria daquele jovem, e continua querendo de mim e de você, é a atitude (a disposição) de renunciar a TUDO por Ele.
Você necessariamente não precisa perder nada para segui-Lo, material e financeiramente falando! 
Mas deve deixar o orgulho, a vaidade, os maus hábitos, a intolerância, a prepotência, a auto suficiência, enfim, tudo o que pode atrapalhar seus relacionamentos com Ele e com as outras pessoas.
Muitos são os apegos excessivos das pessoas por suas coisas e até por outras pessoas, mais íntimas, como filhos, pais, cônjuges, amigos, mas Jesus PEDE a mim e a você que nos desapeguemos dessas coisas e dessas pessoas, e façamos dEle o bem mais importante, o bem mais precioso, o de maior valor que temos!
(Reflexão com base em destaque de aprendizagem de reunião de Pequenos Grupos em um estudo bíblico semanal).    

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

A RESPEITO DO ANÚNCIO DE QUE NASCEU O SALVADOR, CRISTO, O SENHOR!

Em Lucas 2.1-14 há a descrição do cumprimento da tão aguardada promessa: o Messias havia nascido! 
Interessante mesmo, na sequência extraordinária de todos os acontecimentos, é destacar que no nascimento do Salvador não houve procissão, nem sonido de trombetas, nem apoteótica recepção, tampouco feriado  por três dias, festas ou banquetes. Ele, o Messias, a Glória de Israel e Luz dos gentios nasceu e foi acolhido, em um pequeno berço, em uma manjedoura!
O anúncio único, impactou tanto os que o ouviram, que foram lá para ver e se certificarem do extraordinário feito.
Os detalhes da passagem bíblica nos revelam que:
1. O nascimento trouxe grande alegria (v.8-10).

2. O nascimento trouxe grande paz (v.13,14).

E mais aprendemos quando nos detemos nos pormenores do nascimento de Jesus, o Cristo:
- Ele estava para nascer, mas não havia, entre os homens e suas hospedarias, um lugar para recebê-Lo.
- Ele havia nascido, e a mensagem primeira de seu nascimento foi dada a singelos homens do campo, os humildes apascentadores de ovelhas, os pastores!
Estes dois destaques nos esclarecem muito da intenção de Deus e de Seu extraordinário conhecimento sobre o homem, Sua criação:
O ser humano se tornou insensível e egoísta e, no geral, não se solidariza com o sofrimento ou a aflição do outro.
Pouco importava se ali estavam dois caminhantes, sendo que a mulher já estava prestes a dar à luz a uma criança e precisam de um lugar para se hospedarem!
Pouco importava, no fim de tudo, se o único lugar que restava era um simples estábulo onde os animais se abrigavam para comer, beber e passar a noite!
Ali em Belém residiam os doutores da lei e autoridades locais - romanas ou judaicas e certamente eles não identificariam naquela mulher a mãe do Filho do Altíssimo, o Rei dos reis!
A aparência deles não lhes era favorável! Aquela, certamente, a julgar pelas condições físicas, de vestuário e transporte, não era uma família de posses! Ao contrário, eles eram pobres. Que importância poderiam ter? 
Será que ao longo dos séculos e dos dois milênios que se seguiram àquele dia, muita coisa mudou?
Será que o homem aprendeu com a mensagem de Jesus Cristo, em Suas Boas Novas de amor, graça, solidariedade, humildade, compaixão, comunhão, perdão, misericórdia, aceitação, acolhimento, e paz?
Será que hoje seria diferente?
Será que aprendemos que Deus se revela aos humildes e mansos, mas rejeita os presunçosos, arrogantes e indiferentes?
Faça Jesus nascer em seu coração!
Torne-se um discípulo dEle! Alguém mais espiritualmente amadurecido e verdadeiramente convertido.
Cuidado com a opressão da religiosidade que aprisiona e não traz libertação!
Não se esqueça que somente Cristo liberta,na compreensão plena do Amor à Deus e ao Próximo - quem quer que necessite de você !
(Reflexão com base em mensagem anunciada na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 02/11/2014).