terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

O HOMEM E SEU VALOR

Em Mc 5.1-20 presenciamos um encontro muito especial entre um homem lunático, aprisionado por uma legião de demônios, e Jesus. Na pequena cidade de Gadara, em si, ele era uma atração. Vivia em cemitérios e não se sabia nada sobre seus familiares, seus traumas, feridas da alma e das suas perversões morais. O que acontecera mesmo com ele? Ninguém mais se questionava e todos se conformavam com o seu lastimável estado. Todos conheciam suas brutalidades e se assustavam com sua grande força. Algumas vezes até fora preso, mas logo ressurgia solto. Parecia se divertir muito assustando a todos. Vivia em sepulcros e perambulava por todos os lugares. À noite ouviam-se seus gritos. O gadareno queria ser livre; procurava sua vida de volta, mas não conseguia encontrá-la. No desespero de arrancar de dentro da alma tanta degradação, ele já apresentava manias auto-destrutivas. Pela manhã, era comum vê-lo retalhado por cortes feitos com pedras. Mas em um final de dia estafante, Jesus resolveu visitar esse lugarejo esquecido de todos. Tomou um barco e cruzou o lago que o separava do lugar onde vivia. Logo que aportou em Gadara, aquele homem veio a Seu encontro. Jesus dialogou com os demônios que o possuíam. Na curta conversa, consentiu que a legião deixasse o louco em paz, e dominasse uma vara de porcos que pastava por perto. Quando os demônios entraram nos porcos, eles se desesperaram e se precipitaram num despenhadeiro. Os que cuidavam dos porcos fugiram. Ao narrarem esses fatos na cidade, o povo foi ver o que havia acontecido. A surpresa foi muito grande. Todos viram aquele homem transformado, vestido e em perfeito juízo. A notícia correu e quando os curiosos relataram o que acontecera tanto ao gadareno como aos porcos, o povo da cidade estava assustado. E logo depois insistiram para Jesus se retirar dali. Mas o que realmente fez a população se levantar e expulsar Jesus? O prejuízo financeiro, certamente, aflorou a ira naquele povo. Enquanto aquele homem era destruído por forças satânicas, ninguém tomou nenhuma providência para resgatá-lo. Os empresários, os políticos, os religiosos, enfim, os “incomodados” com aquela situação não se mobilizaram para ajudar a minorar seu sofrimento. Aquele indigente continuava preso, acorrentado às forças maiores do que ele. Muitas são as pessoas que continuam amando porcos e outros animais bem mais do que amam mulheres e homens. Para muitos um cavalo de raça vale mais do que uma criança faminta que perambula por nossas ruas. Um ancião que vive em asilos não tem a mesma importância que o poodle da “madame”. A história continua e Jesus permanece um estorvo. Enquanto Ele considera que uma única pessoa vale mais do que o mundo inteiro, milhares são os que mantêm essa esquisita predileção por porcos e outros animais. Se você, caro leitor e cara leitora, atentamente ler e reler o episódio bíblico perceberá que Jesus, após um cansativo dia de atuação ministerial, simplesmente decide ir para aquele lugar sem nenhuma razão aparente. E lá, Ele tem o encontro com o gadareno, e em seguida é “convidado” a se retirar, expulso pela revoltada população. Portanto, só nos resta a explicação: Jesus somente foi a Gadara por um único motivo, ter um encontro com aquele “louco e desprezado homem” e liberar Graça sobre sua vida, posto que Ele veio para "buscar e salvar os que se encontram perdidos"!( Síntese da mensagem deste pastor levada à Comunidade, no culto de domingo 03/02/2008)

Nenhum comentário: