domingo, 1 de março de 2009

CRENTE SIM, DISCÍPULO NÃO NECESSARIAMENTE

O texto sagrado em Jo 8.29-59 nos relata algo extraordinário, mas quero me deter em alguns poucos versículos. Jesus inicia no v.29:” E aquele que me enviou está comigo; não me tem deixado só; porque faço sempre o que é do Seu agrado”. Aqui aprendemos que:
- O Pai enviou o Filho em Sua missão.
- A presença permanente do Pai foi o impulso que deu poder à missão de Cristo.
- Esse poder operava sobre a humanidade de Cristo, a fim de elevar os homens à divindade dEle.
- A grande vitória de Jesus foi obtida por Ele como um homem – o Messias em Sua humanidade.
- Ele aprendeu a obediência ao seguir o Caminho, sendo Ele o próprio Caminho
.
O versículo seguinte, 30: “Falando Ele estas coisas, muitos creram nEle”. Que maravilha, após isso muitos creram nEle! Que bênção, não? Infelizmente, as coisas não sucederam assim..! Ao continuar a leitura percebemos que houve, depois do “crer”, muita polêmica teológica e no final, v.50 lemos que muitos pegaram em pedras para atirar nEle. O que aprendemos neste texto? A expressão crer em Cristo, torna alguém crente nEle, mas nem sempre indica ser este alguém um discípulo autêntico de Cristo. Na seqüência eis que surgem alguns versículos muito conhecidos no meio da igreja evangélica brasileira. (31,32): “Dizia, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nEle: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos, e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. E disse mais no v.36: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. É a verdade, em Cristo Jesus, que conduz ao verdadeiro discipulado, à verdadeira liberdade, posto que molda o verdadeiro caráter. A verdade liberta a mente da ignorância, do preconceito e dos maus hábitos. Jesus ensinou àqueles “crentes” que:
- teriam que consertar suas vidas se quisessem permanecer na doutrina dEle, mesmo que se considerassem impecáveis em sua conduta.
- que eram ignorantes quanto à salvação.
- que não tinham liberdade religiosa, pois estavam supersticiosamente presos à letra da Lei mosaica.
Aqui a grande tônica é o permanecer em Cristo, mediante o conhecimento da Palavra de Deus e a sua prática diária em nossas vidas. A libertação do pecado que nos escraviza ocorre quando Jesus Cristo atua em nossas vidas como Mestre, como Senhor e Salvador. Assim, não basta CRER, é preciso VIVER, não basta declará-LO, é preciso SER DISCÍPULO. A verdadeira libertação ocorre na vida daquele que crê e não faz a sua vontade, mas a de Jesus Cristo. Assim, mais do que CRENTE, torna-se DISCÍPULO. (Síntese da mensagem deste pastor levada à comunidade no culto de domingo 22/02/2009)

Nenhum comentário: