domingo, 2 de agosto de 2009

A ALEGRIA PELA LIBERTAÇÃO E RESTAURAÇÃO!

O salmo 126 nos mostra a alegria do povo judeu após o retorno dos exilados do cativeiro babilônico. Era natural que houvesse júbilo, pois a alegria surge natural e efusivamente após a opressão e a subseqüente conquista da liberdade, após a recuperação de algo perdido, enfim, após a restauração da dignidade e do direito à própria vida.
I - A ALEGRIA NOS CONDUZ AO ÊXTASE, COMO OS QUE SONHAM UM SONHO BOM.
Qual a conseqüência de sonho bom? Nossa boca se enche de riso e nossa língua de cântico. Nesse momento, muitas vezes ocorre, e aconteceu ali com os judeus, que se alegraram e experimentavam o gosto da liberdade, e o povo não-judeu (não crente em Javé) que habitava aquela região dizia sobre eles: Grandes coisas fez o Senhor a estes! Que coisa extraordinária! A libertação provoca isso. Muitos são os que ao se converterem ficam tão impactados com a Graça de Deus que ficam como os que sonham. E em conseqüência louvam, pois, quando somos ou nos sentimos libertos experimentamos forte gratidão e louvamos a Deus por tudo. E aí as pessoas a nossa volta estranham. O que estão eles vendo hoje? Aquele homem violento ou aquela mulher escandalosa mudaram, tornaram-se pessoas amáveis, gentis, sorridentes, e irradiam paz.
II – A RESTAURAÇÃO DA SORTE.
Ao chegarem do cativeiro aqueles homens e aquelas mulheres viram sua terra devastada e abandonada após 70 anos, em ruínas, daí o clamor: “ RESTAURA A NOSSA SORTE, Ó SENHOR!”. Antes de sermos discípulos de Cristo estávamos todos cativos e nossas vidas estavam em ruínas. Apenas agora podemos ver como o pecado devasta e arruína nossas vidas:
- nos relacionamentos familiares (falta de confiança conjugal, ausência de diálogos, traição, até separação);
- nos relacionamentos profissionais (desemprego, ou ameaça de demissão, mentiras, enganos e desenganos, desajustes e desencontros);
- na vida em geral (má fama, vícios, drogas, doenças constantes).
O exemplo que o salmo nos dá é de que essa restauração da sorte fosse como as torrentes no Noguebe. Explicação: os desertos da parte sul do território de Judá durante a estação chuvosa, experimentavam enchentes súbitas que extravasavam as suas margens. Daí a comparação, pois Judá precisava tal qual de restauração completa, que extravasassem o sentido e o alcance de suas próprias vidas.
III – SEMEANDO COM LÁGRIMAS, MAS COLHENDO COM ALEGRIA.

Na Babilônia (assim como em qualquer cativeiro) há choro e lágrimas. Mas após a libertação adquirida, poderemos plantar e a colheita que se segue (é chegada a restauração) revela que é tempo de alegria. Na semeadura pode haver alguma dúvida e alguns questionamentos. Haverá chuva? Eu vou prosseguir, vou seguir em frente, mas será que serei bem sucedido? As torrentes das águas continuarão a fluir? Os gafanhotos e outros insetos ( as pragas e as doenças) destruirão tudo? Todos esses perigos potenciais ou experiências de tribulação em nosso dia-a-dia são comparáveis às lágrimas que os agricultores derramam. E essas lágrimas simbolizam tudo por que Judá passara no cativeiro. Mas isso era passado. A semente que fora semeada em meio às lágrimas iria produzir frutos abundantes de alegria. O cativeiro seria completamente revertido. Jerusalém seria reconstruída e se tornaria um Novo Israel, por meio da restauração da tribo de Judá. Essa seria uma das maravilhosas obras de Javé e os homens se alegrariam nela. Ainda que para muitos pareça difícil e até impossível, a restauração de áreas de nossas vidas é possível e a recompensa é certa. Assim, semeie com lágrimas, mas com júbilo colha os frutos. Somos libertos para restaurar e não para vivermos em estado de ruína, quer física, moral ou material. Sua vida pode até estar como uma terra em ruínas, mas fique certo que Jesus a restaura e nela planta o bom fruto do Espírito. Muitas podem ser as lágrimas que verteremos, mas na colheita estaremos alegres e festejaremos. Quem leva a preciosa semente andando e chorando, VOLTARÁ. E essa volta será COM ALEGRIA, trazendo consigo os seus molhos (seus produtos) em abundante colheita! E que nunca nos esqueçamos de dizer: GRANDES COISAS NOS TÊM FEITO O SENHOR!(Síntese da mensagem deste pastor levada à Comunidade no culto de domingo 26/07/2009).

Nenhum comentário: