REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

DEUS É FIEL. E VOCÊ?

O apóstolo Paulo em 1 Co 10.1-13 descreve alguns exemplos na história de Israel em que os hebreus saíram da escravidão do Egito, foram guiados pelo deserto por Moisés, com a total e completa assistência sobrenatural de Deus. Presenciaram e vivenciaram os milagres e a boa dádiva do Senhor; foram cuidados e velados por Ele, como só o Pai que é Amor, é capaz de fazer. Mas afirma o texto bíblico (v.5) que Deus não se agradou da maioria deles, razão por que ficaram prostrados e morreram no deserto. E não se agradou, por que? Pela idolatria de muitos, pela prática da imoralidade, por provarem o Senhor, pela murmuração de tantos. E mais afirma o apóstolo que tudo isso aconteceu para nos servir de exemplos. No v.12, o alerta: " aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia". E continua: "Não veio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que vocês sejam tentados além da força de vocês; pelo contrário, juntamente com a tentação proverá a vocês livramento, de sorte que a possam suportar."
I- A BÍBLIA SAGRADA ASSEGURA QUE DEUS É FIEL E QUE SUA FIDELIDADE PERMANECE PARA SEMPRE.
É verdade que Deus é fiel. Entre tantas evidências bíblicas atentemos para o Salmo 119.90:" a tua fidelidade estende-se de geração a geração; fundaste a terra e ela permanece". Então, saibamos todos e não esqueçamos nunca que Deus é fiel e Sua fidelidade permanece para sempre. Mas Sua fidelidade está estreitamente vinculada à Sua santidade e ao Seu propósito. Aquele era o Seu povo, Ele tinha um propósito maior para todos. Mas o povo foi infiel, afastou-se dEle, não uma, mas inúmeras vezes, e aí Ele continuou fiel, mas rejeitou aquela geração, posto que sabemos que dos homens apenas Josué e Calebe chegaram à Terra Prometida, todos os outros, e eram mais de 600.000 homens que haviam saído do Egito, pereceram no deserto, e a travessia que até Canaã duraria bem menos de um ano, teve a duração de quarenta longos e dolorosos anos. Deus continuou fiel, mas rejeitou os infiéis, abraçando os das novas gerações. Aquele continuava sendo Seu povo, mas todos os que rejeitaram e negaram ao Senhor, foram por Ele negados. Mas Ele continuava, continua e continuará fiel, posto que Sua fidelidade dura para sempre. Parece confuso, não! Não é este meu propósito; aprendamos, então, mais sobre fidelidade.
II. O QUE É FIDELIDADE?
Fidelidade é qualidade de algo ou de alguém que conserva ou mantém suas características originais, permanecendo-se fiel a uma referência.
Fidelidade está relacionada à lealdade, constância, firmeza nas afeições, na crença, nos sentimentos; também é perseverança e observância rigorosa da verdade.
Fidelidade se estende a todos os aspectos da vida, e não apenas a religião e fé, posto que é aplicada tanto a situações, quanto coisas e pessoas, desde que atrelada ao significado de ser ou permanecer de conformidade com suas características primárias e originais.
Fidelidade, finalmente, está relacionada ao que se preserva e não varia, não muda; aplica-se, então, a tudo que se conserva, mantendo-se firme e não gerando alterações.
III. APLICAÇÃO DO CONCEITO DE FIDELIDADE A ALGUMAS ÁREAS
No matrimônio: fidelidade está relacionada à mútua confiança que é a base da estabilidade relacional. Não apenas na área da sexualidade, mas em todos os campos da relação conjugal devem existir acordos de fidelidade e mútua confiança. Você se casa com uma pessoa por acreditar nela, em suas promessas, em seus princípios, em sua constância, em sua originalidade, respeitando sua individualidade, mas acreditando no projeto de construção coletiva de um futuro comum. Qualquer mudança na situação conjugal será promoção de alteração na originalidade da relação, será intenção de adulterar, ou seja, adultério. O que enseja o conceito é a fidelidade conjugal.
Na tradução de textos e obras literárias: fidelidade relaciona-se à manutenção e preservação das características originais do escrito, do texto ou obra, em todos os seus aspectos. Negar ou mudar a fidelidade é falsear, adulterar, modificar. Quando se adquire uma obra de um determinado autor, quer-se o original, se for um texto, sua tradução deve ser cópia autêntica do original. Qualquer mudança que contrarie isso será considerada adulteração. O que enseja o conceito é a fidelidade ao original.
No mercado: fidelidade implica no uso de técnica de promoção de marketing e vendas, em que se procura produzir vínculos e assegurar a permanência do cliente sob uma relação contratual durante certo período.O que enseja o conceito é a fidelidade do cliente.
Na política: fidelidade corresponde ao vínculo entre membro e partido político, entre partidos, no interesse mútuo e ideologicamente definido, ou entre eleitor e candidato. O que enseja o conceito é a fidelidade partidária.
No contexto espiritual: fidelidade está fundamentada no vínculo de alguém à sua base doutrinária, ao comportamento em conformidade com a regra de fé e prática. O que enseja o conceito entre nós cristãos é a fidelidade de Deus aos Seus e a fidelidade nossa a Ele.
Espero que tenhamos aprendido o real significado de Fidelidade. Mas e quanto a você?
IV. A FIDELIDADE APLICADA A VOCÊ.
Socialmente, quanto à família, amizades, trabalho e escola (faculdade) você é fiel? Você inspira confiança?Você é fiel aos seus? Especialmente é fiel à Deus, aos mandamentos e princípios de Sua palavra? É fiel aos seus pastores e líderes? É fiel à visão da igreja? Ainda não é? Ainda vacila? Ainda não se firmou? Ainda tem dúvidas? Então, nunca é tarde para despertar e assumir compromissos de fidelidade. Você é templo e morada do Espírito Santo, então, não esqueça do fruto (Gl 5.22): amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Quem é filho de Deus é guiado por Seu Espírito, logo, precisa ter, também, fidelidade a Deus.
Então, voltemos à afirmação e a pergunta que dá título a este sermão: Deus é fiel e você?
A melhor resposta de um cristão à fidelidade de Deus é a sua fidelidade a Ele.
O cristão deve fugir da idolatria, da imoralidade, das murmurações, e de tudo o mais que não agrada ao Senhor, adverte-nos o apóstolo Paulo ( v. 14). O cristão deve saber que existem limites à liberdade em Cristo. Por isso, v. 23: "Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm; todas são lícitas, mas nem todas edificam".
Assim sendo, cuidado!!!
Deus é fiel. Mas de Deus não se zomba. (Gl 6.7)- "Não se enganem: de Deus não se zomba, pois aquilo que o homem semear isso também colherá". E conclui o v.8: "Porque o que semeia para sua própria carne, da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito, do Espírito colherá vida eterna".
Portanto, antes que seja muito tarde, convido você a fazer desta ocasião um momento especial na presença do Deus Fiel.
Nesta oportunidade renove sua fidelidade, sua aliança e seu compromisso com Deus, na pessoa de Jesus Cristo.
Seja fiel a Ele, fiel aos seus, fiel à igreja. Siga em frente, haja o que houver não olhe para a direita ou para a esquerda, prossiga para o alvo, e o alvo é Jesus. O alvo é o que Ele proporciona: a salvação e a vida eterna.
Saiba que Ele não deseja, apenas, estar com você durante sua curta vida terrena, mas por toda a eternidade.
Deus é fiel e Seu desejo é que você e eu sejamos fiéis.
Lembremo-nos todos de Ap 2.10c: "Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida".
Faça a sua parte, busque a fidelidade, tendo-se entregue à Deus, preserve-se no original da entrega, não mude, resista até o fim, e para sempre estará com o Senhor! (Síntese da mensagem deste pastor levada à Comunidade no culto de domingo dia 29/12/2009)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial