segunda-feira, 1 de novembro de 2010

AS PROVAÇÕES DE CADA DIA E O ÂNIMO PARA CONTINUAR NA LUTA!

Os textos que motivam esta reflexão são Juízes 2.10-3.1-6 e Romanos 12.1-3. Quando cremos que somos filhos de Deus e que a salvação se dá inteiramente pela graça, o favor imerecido, em alguns, surge certo conformismo espiritual, como se Deus, por Sua Soberana vontade, impedisse simplesmente qualquer possibilidade de problema, doenças ou situações adversas em nossa vida! Quanto engano! Em muitos há até certo conformismo espiritual quando optam por cruzar os braços, e passivamente esperam o tempo passar. É verdade que tudo ocorre segundo a vontade de Deus, mas é errado nos submetermos passivamente à aflição como sendo a vontade de Deus, posto que Ele é soberano e poderia nos ter prevenido dela. Isto é verdade, mas a Palavra de Deus afirma que devemos reagir, de forma correta às situações que nos são apresentadas.
Tão grave quando deixar-se levar pelo conformismo espiritual é aderir à algumas práticas, igualmente corriqueiras, nestes tempos de pós-modernidade, como a murmuração e a teologia da prosperidade. Muitos são os que não resistem às situações adversas e, simplesmente, murmuram, criticam Deus e se queixam dEle. Outros tantos, adotam a confissão positiva e os ensinos tortuosos da teologia da prosperidade e, simplesmente, negam qualquer possibilidade de as situações adversas existirem, pois são mais que vencedores, em Cristo; não há, então, lutas que não conduzam à vitória, assim como não há enfermidades ou obstáculos, pois o Senhor se encarrega de retirá-los do caminho do cristão. Há o texto de Juízes, conforme a citação, que descaracteriza tal assertiva, posto que o Senhor irado com Seu desobediente povo toma uma atitude que bem demonstra a forma como Ele prova a cada um de nós. No texto bíblico vemos que o Senhor afirma que manteve os povos estrangeiros na terra prometida para que os filhos de Israel aprendessem a guerrear. Da mesma forma acontece conosco, depois de certo tempo, acomodamo-nos e deixamos de estar vigilantes, baixamos a guarda contra as astutas ciladas do inimigo que está entre nós com um grande e estarrecedor propósito, posto que veio para “matar, roubar e destruir” nossa vida (Jo 10.10); a questão ampla é que tanto os que vem para matar, roubar e destruir, quantos os lobos, procedem dos ardis de Satanás em afastar os homens da comunhão com Deus. Deus quer que Seus filhos se comportem de forma ativa, não passivamente, que aprendam a lutar, que sejam mais altivos, porém dependentes dEle. O que aprendemos é que é preciso resistir e enfrentar as adversidades e lutar! Diante dos problemas e impasses, não há outra atitude a tomar, é necessário enfrentá-los. É preciso não desistir. É importante oferecer-se à Deus em um culto racional (não fique só na emoção, fé e razão andam juntas e se completam!) como ensina Rm 12.1,2, não se permita a acomodação aos padrões deste mundo, mas seja transformado pela renovação da mente e aí, certamente, será capaz de experimentar e comprovar a boa, a agradável e a perfeita vontade de Deus. E mais alerta Paulo, que “ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, ao contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida de fé que Deus lhe confiou” (Rm 12.3). Portanto, não se esqueça: é preciso lutar. É preciso estar vigilante, sempre. É preciso não se deixar amoldar-se. É preciso resistir e não se acomodar. Lutar é preciso, sempre. Quando não for hora para lutar, o Senhor nos alertará, conforme afirma Sl 46.10 (NVI): “Parem de lutar! Saibam que Eu sou Deus! Serei exaltado entre as nações, serei exaltado na terra”. Finalmente, crendo na absoluta soberania de Deus, não se submeta às situações adversas que são impostas, inclusive como prova, pelo Senhor, ao contrário, reaja a essas situações com orações e súplicas, segundo a vontade revelada em Sua Palavra, até que a paz que excede todo o entendimento guarde sua mente e seus sentimentos em Cristo. E não se esqueça: quando em batalha, não reclame de Deus aos outros, mas reclame com Deus em oração. Não se queixe de Deus, queixe-se à Deus! E a despeito das provações de cada dia, não desista, anime-se e prossiga, pois é importante continuar na luta; a seu tempo, o socorro do Senhor virá e a vitória, também!(Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 31/10/2010).

Nenhum comentário: