REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

SIGNIFICADO E SENTIDO DE SEGUIR A CRISTO

Esta reflexão está fundamentada em Lucas 9.57-62. O texto bíblico descreve uma determinada situação em que Jesus ia pelo caminho com seus discípulos e muitos outros O seguiam. Há, então, uma cena com três atos no episódio bíblico: um homem declara que queria segui-Lo onde quer que Ele fosse; depois, um segundo homem recebe um convite de Jesus para que O siga e, por último, há um terceiro homem que manifesta, também, a vontade de seguir ao Senhor. Portanto, o episódio descreve uma sequência de fatos que se relacionam com seguir a Cristo. Mas o que significa seguir a Cristo? Vamos, então, procurar entender o significado e o sentido de ser discípulo de Jesus e como se deve segui-Lo. No texto, há, então, três homens que se posicionam quanto a seguir Jesus, no que considerei - fazendo uso de elementos de uma peça de teatro - como uma cena com três atos:
PRIMEIRO ATO: UM HOMEM DECLARA A JESUS QUE ESTÁ DISPOSTO A SEGUI-LO ONDE QUER QUE FOSSE.
Muitas vezes declaramos algo, falando que faremos isso e aquilo, sem avaliar bem e refletir sobre as reais e possíveis conseqüências do fato. Quando se afirma que se quer fazer, ou deixar de fazer algo, é preciso pensar. Este parece ser o caso do homem que declarou que seguiria Jesus onde quer que Ele fosse. Jesus não ignorou ou desprezou a afirmação de que iria segui-Lo para onde quer que fosse, mas procurou explicar a ele o que significava ser Seu seguidor. De um lado a pessoa estava declarando que estava assumindo um compromisso, uma responsabilidade de seguir Cristo; por outro lado, Jesus esclareceu sobre as condições que teria que suportar se estivesse realmente disposta a segui-Lo. Ele estava ensinando que animais têm abrigos e aves seus ninhos, mas Ele não tinha lugar para reclinar a cabeça. Jesus estava ensinando, na verdade, que para segui-lO, muitas vezes, é necessário deixar o conforto, a comodidade e certas regalias da vida. Enfim, seguir Jesus exige compromisso e renúncia. Não existe vida cristã sem renúncia. Na medida em que se estabelece primazia e prioridade para Jesus, as outras coisas, as outras pessoas, enfim, passam a ser consideradas em plano secundário. São pessoas e coisas importantes, é verdade, mas Cristo precisa estar em primeiríssimo lugar na vida do seguidor. Isso é tão certo quanto o fato de não existir cristianismo sem cruz. “E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me”. (Lc 9.23).Aprendamos que Jesus deseja que a pessoa deixe de lado o seu egoísmo, o conforto, o luxo. Quem sufoca seu egoísmo, seus interesses pessoais e imediatos, segue Jesus e está pronto para ser provado; perseverando até o final, será vitorioso. Aquele homem, também, passa-nos certo entusiasmo. Nada há de errado com o entusiasmo, exceto que não é fruto de arrependimento e conversão. Nos dias atuais, multiplicam-se os que querem seguir Jesus sob o fundamento da emoção e do entusiasmo. As campanhas de avivamentos, curas, libertação e prosperidades, geram muitas conversões falsas, bem como geralmente discípulos mal firmados, fruto, com muita freqüência, do mero entusiasmo. É preciso entender que os sentimentos humanos são sujeitos a alterações quando argumentos veementes e fortes apelos emocionais pressionam a mente. E isso nada tem a ver com conversão. Aí está muito do uso de meios artificiais de parte da igreja atual, quando realça a ênfase em música agitada, show midiático, pregação acalorada, entusiástica e aos gritos, a fim de criar uma atmosfera fácil, em que homens e mulheres sintam ser atrativo aceitar a Cristo. Mas importa saber que Jesus nunca fez essa aceitação parecer atrativa. Ele falava em solidariedade, perseguição, em dificuldades e sacrifícios. Para seguir Jesus – verdadeiramente - é preciso deixar-se esvaziar, liberando o “eu” enfraquecido para que o Senhor preencha esse vazio com Seu amor, Sua graça e Sua paz. Aí, então, pode-se afirmar como Paulo “... Estou crucificado com Cristo; logo, já não ou quem vive, mas Cristo vive em mim...” (Gl 2.19b; 20a).
SEGUNDO ATO: JESUS OLHA PARA UM OUTRO HOMEM, FAZ O CONVITE PARA QUE O SIGA, MAS OUVIU UM PEDIDO DE TEMPO.
Agora é Jesus quem chama uma pessoa para segui-lO. Parece até que o convite é bem recebido, mas a pessoa passa a colocar impedimento para cumprir o chamado divino. Para essa pessoa havia coisa mais urgente e prioritária, como sepultar seu pai, por exemplo. Ora, é importante dar importância aos pais, afinal é o quinto mandamento da Lei de Deus, mas o Senhor lhe adverte que as coisas do Reino de Deus são mais importantes do que as preocupações com o presente século (Mt 6.33). O Reino de Deus é prioridade primeira. O alvo principal de quem segue Cristo deve ser priorizar o Reino de Deus e a Sua Justiça. Há pessoas que somente dão desculpas e cumprem seu chamado, logo, estão priorizando coisas supérfluas e sem importância espiritual.
TERCEIRO ATO: POR ÚLTIMO, UM HOMEM DECLARA AO SENHOR QUE O SEGUIRÁ, MAS QUE ANTES PRECISA SE DESPEDIR DE SEUS FAMILIARES.
Esta terceira pessoa mostra,igualmente, a falta de prioridade para o chamado de Deus. Ao aceitar o Senhor como único e suficiente salvador, não há mais como voltar atrás. Uma vez colocada a mão no arado, não há como recuar! “Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele”. (Hb 10.38). Existem aqueles que se convertem e ficam olhando para trás. Foram libertos das coisas do mundo, tudo isso ficou no passado, mas ainda têm olhos para os prazeres do mundo. Tudo o que afasta de Deus, como certas práticas correntes do pecador e da pecadora, devem ser removidas para sempre, quando da conversão. Portanto, é preciso riscar o passado de sua história! O seu alvo agora está à sua frente. Projete o seu futuro, mantenha o seu olhar na cruz! Jesus deu oportunidades para essas três pessoas segui-lO, porém, não entenderam a substância da primazia que o Senhor deseja e exige dos Seus filhos e de Suas filhas. Você que está aqui continua tendo essa oportunidade. Mas depende de você. A salvação é um processo pessoal que se dá entre você e Deus. Tem a ver com sua caminhada com Ele, com suas escolhas, com seus olhares e com suas leituras de vida. Viver para si mesmo, é morrer para Cristo. Viver para Cristo é morrer para si mesmo! Reflita nisso! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 19/12/2010).

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial