REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

APÓS ENCONTRO COM CRISTO, OUVIMOS, FALAMOS E VEMOS COM NITIDEZ

O Evangelho de Marcos (7.31-33;8.22-26) nos ensina sobre um aspecto comum nos milagres realizados por Jesus que precisamos refletir. Jesus atua em cada um de forma pessoal e simpaticamente. Há aqui duas curas físicas relatadas em que os enfermos são conduzidos para longe da multidão, para receberam a atenção exclusiva de Jesus. Aprendamos um pouco mais sobre Ele e a forma como tratar com o sofrimento das pessoas em nossa volta.
I – MAIS QUE CURA FÍSICA DE SURDEZ E GAGUEIRA, JESUS FAZ NASCER NOVA AUDIÇÃO E NOVA FALA
Aquele homem foi trazido para ter um encontro com Jesus por que era surdo e gago. O surdo não ouve e gago não fala direito. Fisicamente aquele homem era debilitado e certamente vítima de preconceito social e, talvez, até familiar. Como Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente (Hb 13.8), curou e continua curando as doenças e enfermidades físicas e mentais do ser humanos. Isto é certo e os que crêem, vêm isso diariamente. Mas aqui vale ressaltar que Jesus nos dá nova audição e nova fala. Os problemas das limitações físicas do surdo e gago desapareceram, mas o que se destaca é que Jesus concede àqueles que têm um encontro com Ele a capacidade de desconstruir seus valores e conceitos, ouvir algo novo e a falar em novidade de vida. Um novo jeito de ser. Uma nova vida. Novas perspectivas, novas esperanças. Um novo tudo. Pois....”eis que tudo se fez novo...”(2 Co 5.17).
O processo da cura do homem envolveu alguns passos:
Pessoas o trouxeram a Jesus. Muitas vezes por si só, o homem não pode ou não sabe ir a Cristo É preciso que alguém o leve. Você tem conduzido alguém a Jesus, para ser curado, ou apenas, para ouvir Sua Palavra?
Jesus tirou o homem do meio da multidão. Para o Mestre todos são especiais e têm valor. Retirando o homem da multidão, Jesus lhe deu destaque.
Aí, então, usou os dedos para tocar o homem, tanto nos ouvidos quanto na língua (aqui, usando saliva).
Em seguida, ergue os olhos para os céus, suspira e disse “Efatá”. O toque de Jesus é tudo o que precisa o pecador. Aqui Jesus mostra toda Sua humanidade compassiva e misericordiosa, Ele não somente realiza o milagre, mas o faz movido por íntima compaixão.
Jesus instrui o homem para que a ninguém falasse do milagre. Isso evidencia que Jesus não está interessado na divulgação e demonstração fria e impessoal de Seu poder e autoridade, mas no alívio do sofrimento humano.
Como a saliva não tem poder curativo, conclui-se que o homem teve audição e fala, restabelecidas pela vontade de Cristo, A saliva funcionou como ajuda à fé. Ao tratar de cada um o Senhor se compadece de nossa pouca fé. Ele a fortalece com a realidade das coisas externas para que possamos compreender as realidades espirituais.
II – MAIS QUE CURA FÍSICA DE CEGUEIRA, JESUS FAZ NASCER NOVO OLHAR E NOVA VISÃO
De igual modo, trouxeram-lhe um cego e rogaram que o tocassem.
Jesus toma o cego pela mão e o leva para fora da aldeia e lhe aplica saliva nos olhos. Desta feita, pergunta ao homem se via alguma coisa. Ele responde que via, mas não discernia bem, pois o que via era muito embaçado ou misturado,e lhe parecia que os homens eram como árvores andando. Ou seja, tudo lhe parecia confuso e não estava vendo de forma clara.
Aqui Jesus toca-lhe pela segunda vez ao por Suas mãos nos olhos. Imediatamente o homem passa a ver claramente, ficando restabelecida a visão e a tudo distinguindo de forma perfeita.
Novamente a instrução, pois Jesus manda o homem embora e lhe ordena que não entrasse na aldeia.
O segundo toque, espiritualmente, se justifica quando após o primeiro toque, somente captamos uma visão parcial e fraca das verdades eternas. O reforço do toque nos faz chegar às experiências que nos abrem os olhos às realidades divinas. O Espírito Santo nos abre os olhos e, então,  distinguimos as coisas concernentes à nossa salvação (Ef 1.18). Aí se ilumina os olhos de nosso coração e vemos claramente a graça de Deus; reafirmamos nossa fé, aprendemos a ser solidários e generosos, enfim, tornamo-nos discípulos de Cristo.
Com Cristo – após um encontro verdadeiro e completo – há o nascer de novo. Nasce-se de novo quando se muda o jeito de ser e de viver. Nasce-se de novo quando há cura dos ouvidos e dos olhos. Espiritualmente quem está – verdadeiramente – com Cristo OUVE mais e VÊ com nitidez. Ouve e fixa em si mesmo, as verdades do Evangelho e as pratica. Vê e fixa em si mesmo, o outro, como alguém a quem deve amar, ou seja, como seu próximo.
Se você ouve e vê assim, então, em Cristo Jesus, você nasceu de novo! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade,por este pastor, no culto de domingo 23/01/2011).

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial