segunda-feira, 4 de abril de 2011

DE GRAÇA RECEBESTES, DE GRAÇA DAI !

O capítulo 10 do Evangelho segundo Mateus marca o momento especial em que o Mestre chama a Si os doze discípulos e lhes dá instruções concretas sobre a autoridade que estavam recebendo para se tornarem apóstolos. E eles seriam enviados em missão evangelística que iria sacudir e abalar as estruturas do império romano e da cultura, até então, vigentes. Muitas e fortes são as instruções. Vamos refletir sobre o momento vivido por Jesus e os discípulos e sobre as instruções dadas a eles e a nós, que hoje somos discípulos dEle.
1. A ESCOLHA DOS DOZE DISCÍPULOS SOMENTE OCORREU PELA GRAÇA, NÃO POR MERECIMENTO INDIVIDUAL OU COLETIVO.
É fato que os discípulos demoraram muito para assimilar toda a verdade ensinada por Jesus. Eles agiram muito por impulsividade (Pedro), traíram (Judas), negaram (Pedro), quiseram ver para crer (Tomé), e muito mais.
Saibamos que, assim como ocorreu com os primeiros discípulos, Jesus continua escolhendo os Seus pela Graça, não por méritos próprios de cada um dos escolhidos. Simplesmente por que méritos não possuimos. Assim como antes, muitos são os ainda agem impulsivamente, sem pensar e refletir, negam, traem e somente acreditam quando veêm. Ou seja, as circunstâncias mudam, mas o ser humano, muitas vezes, não!
2. A INTIMIDADE DAÍ RESULTANTE ENTRE O MESTRE E OS DISCÍPULOS SE FIRMOU PELA PROVIDÊNCIA DIVINA E POR SUA GRAÇA.
Deus é Santo, Perfeito, Eterno e Todo-Poderoso. O ser humano - eu e você - somos pecadores, imperfeitos, porquanto falhos, e desprovidos de poder, porquanto limitados, no tempo e no espaço. Que intimidade pode existir entre nós e Ele? Muita intimidade pode e deve existir. Na dimensão da Graça sei que sem o Senhor nada sou, nada sei e nada serei. Com Ele, por Sua providência e Sua Graça, sou filho, co-herdeiro com Cristo de todas as riquezas celestiais. Tenho acesso ao Pai - diretamente - por meio do Filho. Tenho o Espírito Santo como intercessor e fiel consolador. Enfim, sou parte integrante da família de Deus. E isso é maravilhoso!
3. OS ENSINOS E AS INSTRUÇÕES QUE OS DISCÍPULOS PASSARAM A RECEBER FORAM PELA GRAÇA DE DEUS.
As instruções eram complexas aos olhos e aos ouvidos deles:
1) devemos ser prudentes como serpentes e simples como as pombas.
2) devemos tomar cuidado com os homens – não confiar, pois eles nos entregarão aos tribunais e açoitarão nas sinagogas (igrejas).
3) por Jesus, nós os discípulos seremos levados à presença de autoridades para ser testemunha.
4) cuidado: irmão entregará irmão; pai entregará filho; filhos se levantarão contra pais e os matarão.
5) como discípulos seremos odiados de todos pelo nome de Jesus – mas aquele que perseverar até o fim, será salvo.
6) discípulo não está acima nem abaixo de seu mestre, mas DEVE SER COMO SEU MESTRE.
OBS: Recentemente li em um cartaz sobre liderança que o verdadeiro discípulo é aquele que se torna maior do que seu Mestre. Mas este não é o ensino de Jesus, importa-nos seguir o Mestre, importa-nos ser como Ele. E Ele é pleno de amor, compaixão e misericórdia. Ele deve ser o nosso padrão, o nosso modelo de vida.
7) precisamos estar vigilantes, mas não temer as astutas ciladas do inimigo, pois “ nada há encoberto que não venha a ser revelado, nem oculto que não venha a ser conhecido" (v. 26).
8) se nada há por que esconder, sejamos o que somos, às claras ou às escuras, que nossa palavra seja sempre a mesma.
9) não devemos temer aos homens, que somente podem matar o corpo físico; devemos temer ao Senhor que pode fazer perecer no inferno, tanto a alma quanto o corpo.
10) confessemos o Senhor diante dos homens, pois assim Ele nos confessará diante de Deus, que está nos céus. Mas aquele que O negar, será por Ele negado diante do Pai que está nos céus.
11) neste contexto, Jesus em Sua missão veio trazer a Verdade e Sua Palavra é cortante e esmiuça as estranhas do ser humano, e não produz paz, mas divisão entre os homens e seus familiares, posto que quando o Senhor entra em uma casa por intermédio de um de seus membros, os outros podem se rebelar contra o que se converteu, e isso gera divisão.
12) portanto, os inimigos do homem podem ser os da sua própria casa. Cuidado, então!
13) não devemos AMAR os pais mais do que a JESUS; nem aos filhos mais do que a JESUS pois quem age assim NÃO É DIGNO DE JESUS.
14) quem não tomar a sua cruz e vir após Ele não é digno dEle.
15) quem estiver sem Jesus e crer que se achou ou achou a sua vida, na verdade, a perdeu; ao contrário quem perdeu a sua vida por amor a Jesus, verdadeiramente a encontrou.
16) se somos discípulos de Jesus, quando alguém nos recebe, verdadeiramente está recebendo a Jesus.
4. OS PODERES ESPECIAIS QUE RECEBERAM PARA REALIZAR CURAS, EXPELIR DEMÔNIOS E RESSUSCITAR OS MORTOS FORAM CONCEDIDOS PELA GRAÇA DE DEUS.
Finalmente, não somente os primeiros discípulos mas TODOS os Seus discípulos - ontem, hoje e para sempre - poderão em Seu nome curar, expulsar demônios e ressuscitar mortos, enfim, abençoar pessoas que precisam da ajuda divina.
E não nos esqueçamos: De graça recebestes, de graça dai (10.8b)!
Por de graça dai entende-se que o ministério deve ser realizado sem que o crente espere por recompensa de espécie alguma. Os discípulos de Jesus devem DAR LIBERALMENTE de SI MESMOS, não negando serviço espiritual a ninguém. Devem os discípulos aprender a liberar graça, simplesmente. O que deve mover o verdadeiro discípulo é a compaixão e a misericórdia pelo outro. Por Graça entende-se o favor não merecido. Ou seja, recebemos o favor, a bênção, não porque somos merecedores, mas porque o Senhor tem compaixão de cada um, com suas aflições e necessidades. Quando recebo e sei que é de graça, devo fazer algo pelas pessoas que me cercam, também, de graça. De graça recebo, de graça dou. Simples, como simples, direto e objetivo é a instrução do Senhor aos Seus discípulos. Assim como antes, discípulo que é discípulo somente Graça pode liberar. É preciso entender que TODOS e TODAS necessitam de Deus. Mesmo aqueles e aquelas que O negam, que não O aceitam como Senhor de suas vidas, não importa. Espiritualmente falando, todos nós necessitamos de Deus e de Sua Graça. A lógica das coisas de Deus é - mais uma vez insisto em realçar - total e completamente diferente da lógica das coisas do homem. Assim, quem tem intimidade com Deus, quem é discípulo de Jesus, conjuga muito bem os verbos amar, abençoar e doar. Quem é discípulos de Jesus quer a toda hora - em obediência às instruções do Mestre - amar o outro, acolhendo-o e abençoando-o, e doando-se a ele. E por que o discípulo age assim? Porque sabe que é amado, acolhido e abençoado pelo Pai, pelo Filho e pelo Espírito Santo! E se assim é, nada mais lhe resta fazer que praticar a graça, porquanto como de graça recebeu, de graça deve dar! Pense e reflita sobre isso! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 03/04/2011).

Nenhum comentário: