segunda-feira, 25 de abril de 2011

TODAS AS COISAS SÃO PURAS PARA OS PUROS... PARA OS IMPUROS E DESCRENTES NADA É PURO (Tt 1.15).

A carta foi escrita pelo apóstolo Paulo a um cristão grego chamado Tito. Ela iria servir como guia para Tito, dando-lhe apoio para a ação pastoral  nas congregações em Creta. Sua missão não era nada fácil, pois tinha de lidar com falsos mestres, falsas doutrinas e pessoas rebeldes. Como Paulo escreveu: "Há muitos indisciplinados, conversadores improfícuos e enganadores da mente, especialmente os homens que aderem à circuncisão. É preciso fechar a boca de tais, visto que estes mesmos persistem em subverter famílias inteiras por ensinarem coisas que não deviam, por causa de ganho desonesto." (1.10, 11) Também, entre os cretenses, eram comuns a mentira, a glutonaria e a preguiça, e, pelo visto, alguns dos cristãos refletiam essas características ruins. Por esse motivo, Tito tinha de repreendê-los com severidade e mostrar-lhes o que se exigia dos cristãos, quer jovens, quer idosos, varões ou mulheres, escravos ou livres. Pessoalmente, tinha de ser exemplo de obras excelentes e mostrar incorruptibilidade no ensino (1.12–3.2).
Há pessoas que se comportam como os  cretenses, que eram afamados por sua impureza, ao ponto de Paulo lembrar ao jovem pastor que o poeta Epimênides (século VI, a.C)- a quem ele chama "profeta",  já apontara isso com muita dureza (v. 12b: ” Cretenses, sempre mentirosos, feras terríveis, ventres preguiçosos”).
Algo só é PURO quando se conserva de forma GENUÍNA, mantendo sua forma original, que não foi alterado, tocado, adulterado e contaminado; o que é puro se apresenta sem nódoas, sem manchas, limpo; inocente e íntegro.
Puro é algo intocado, que se conserva em estado de total limpeza e transparência.
Reflitamos com mais profundidade sobre o que é realmente pureza. Qual o real sentido e significado de pureza?
Pureza é uma palavra pouco falada em nossos dias. Na verdade, está ofuscada, e intacta dentro de nós. Só precisamos acessá-la e vivê-la. Parece  difícil o entendimento, a princípio, mas é extremamente simples. A partir do momento que entendemos e assumimos o estado de pureza, torna-se fácil Ser com Simplicidade.
Ser Puro…
é retirar da vida o que turva nossa visão da compreensão da verdade, desfazendo os  conceitos equivocados que temos.
é olhar o próximo como se fôssemos crianças em processo de aprendizado e ele também.
é ver o outro na dimensão do Amor de Deus que não faz acepção de pessoas.
é clamar por Deus e orar com sentimento intenso pois sabemos que só Ele é poderoso e fiel para nos acolher. E se sentimos o aperto no coração, por que não chorar para que Ele venha até nós?
Pureza é ...
querer escutar somente o bem e falar o bem.
fazer o impossível pelo próximo sem reservas.
querer dar mais do que se tem, e até o que não se tem.
querer a cura para o outro.
desejar abençoar e não ser abençoado.
querer freqüentar lugares onde haja somente pureza.
escutar mensagens e músicas que purificam o coração.
se desfazer de tudo que seja supérfluo na vida: atitudes, pensamentos, movimentos e ações.
procurar perceber o que está além do que se vê.
buscar, incessantemente, significado profundo para a existência.
querer SER, mas acima de tudo e unicamente, SER puro.
I – O PADRÃO DE PUREZA DOS QUE PROFESSAM A SÂ DOUTRINA E QUE, PORTANTO, SÃO SADIOS NA FÉ
1) Os homens cristãos idosos devem ser moderados, respeitáveis, sensatos, constantes na fé e no amor (2.2).
2) As mulheres cristãs idosas devem ser sérias em seu proceder, não caluniadoras, sejam mestras do bem, pois irão ensinar às jovens recém-casadas (2.3)
3) As mulheres cristãs jovens recém-casadas devem amar seus maridos e filhos, sendo sensatas, sujeitas ao marido, para que a Palavra de Deus não seja difamada (2.4,5)
4) Os moços cristãos devem praticar todas as coisas de forma criteriosa, tornando-se padrão de boas obras – para tanto, o líder (Tito) precisava dar o exemplo (2.6)
5) Os líderes da Igreja – assim como Tito, o jovem pastor – devem mostrar integridade e reverência, linguagem sadia e irrepreensível para que o adversário seja envergonhado, não tendo indignidade nenhuma que dizer ao seu respeito (2.7,8)
6) Quanto aos servos (na época os escravos, mas hoje é válida a instrução a todos os homens e mulheres que vendem sua força de trabalho e se sustentam recebendo uma renda) que se submetam a seus superiores, dando-lhes motivos de satisfação, pelo testemunho de sua pureza (2.9,10).
7) A graça de Deus se manifestou salvíficamente, trazendo entendimento para que, sufocando e renegando a impureza, impiedade e as paixões mundanas, TODOS vivam de forma sensata, justa e piedosamente.
II - OS SADIOS NA FÉ – SENDO SALVOS PELA GRAÇA – SÃO LEVADOS ÀS BOAS OBRAS.
Observemos as recomendações paulinas:
1) É preciso se submeter aos governantes, às autoridades, estando pronto para as boas obras.
2) Não se pode difamar ninguém, nem discutir, mas ser cordato, dando prova de cortesia para com todos os homens.
3) É importante não perder de vista que antes éramos ignorantes, estúpidos, desobedientes, desgarrados, escravos das paixões e prazeres, vivendo em malícia e inveja, odiosos e odiando-nos uns aos outros.
4) Mas agora sadios na fé, pelo lavar regenerador e renovador (3.5) do Espírito Santo, fomos transformados e justificados pela Graça, tornamo-nos herdeiros de Deus (3.7).
5) A partir deste entendimento surge a certeza de que somos guiados e conduzidos para a prática de boas obras (3.8).
III – É PERDA DE TEMPO ENTRAR EM DISCUSSÕES INSENSATAS E DEBATES COM PESSOAS FACCIOSAS
No nosso meio não raro surgem pessoas que gostam de impor suas vontades e suas certezas. São aquelas que têm opinião formada sobre tudo, contestam as decisões das autoridades e ousam criticar e disseminar seus pontos de vista, arregimentando seguidores, tão néscios quanto elas.
Sobre estas pessoas o apóstolo faz o seguinte comentário:
- “Evita discussões insensatas (sem senso, sem sentido), contendas sobre o que é legal ou não, porque não têm utilidade e são fúteis (3.9).
- “Evita o homem (e a mulher) faccioso/a (que faz facção: cria divisão e se comporta como um bando faccioso - dic. Aurélio- constituindo a parte dissidente de um grupo ou de uma comunidade de fé) depois de adverti-lo/a, pois sabes que tal pessoa está pervertida, e vive pecando, e por si mesma, está condenada” (3.10,11).
Finalizando: a decisão é sempre nossa: queremos estar em estado de pureza com Cristo ou contaminados pelas coisas do mundo? Tt 1.15 deve nos fazer refletir: para quem é impuro, para quem é descrente e  tem a visão deformada e contaminada pelo mundo, NADA presta, nada serve, nada é puro e belo; mas para quem é de Deus, "todas as coisas são puras", pois puro/a  ele/ela é!
Somos de Cristo, buscamos ser puros e do bem.... ou somos do mal... e aí não seremos de Cristo! O que é que seremos ... o que é que somos?  (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 24/04/2011).

Um comentário:

Antônio César Alves disse...

Em meio a tantos partidarismos, intolerâncias, preconceitos e dissimulação, a verdadeira pureza e moderação tem sido ofuscada pela malícia dos legalistas que veem mal em tudo. Sábias palavras que motivam para fé, o amor e a comunhão com os irmãos, para uma vida de retidão em Cristo Jesus.