REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 2 de maio de 2011

SOBRE OS MALES QUE NOS AFLIGEM E A INICIATIVA DE CLAMAR POR JESUS: O CASO DE BARTIMEU

Há um momento – dentre tantos extraordinários e incontáveis vividos por Jesus - que merece agora nossa melhor atenção. Jesus passa por Jericó (Mc 10.46-52) com seus discípulos e numerosa multidão, e tem um encontro com um cego que mendigava. Aquele homem é identificado como o filho de Timeu, Bartimeu. Sabemos que o ministério de Jesus era itinerante. Ele fazia a vontade de Deus, cumprindo Sua missão, percorrendo vários lugares, pregando, curando e libertando a muitos. E quanto a você? Qual é o seu ministério?  Eu não sei, mas o que sei é que é preciso ir e levar mensagens de fé, esperança e amor às pessoas, pois todas estão necessitadas de Deus.
Bartimeu recorreu a Jesus demonstrando ter fé, mas Jesus era considerado filho de José, por que então O chamou de Filho de Davi? O cego cria que Jesus era o Messias, o descendente de Davi, prometido no Velho Testamento para ser o rei de Israel. O que podemos extrair de ensinamentos para a vida e nossa caminhada com este episodio marcante, que impactou a vida de Bartimeu e continua nos alertando sobre a vida e os milagres que acontecem quando clamamos pelo Senhor?
Vejamos por partes:
I – MUITOS SÃO OS QUE ESTÃO ASSENTADOS À BEIRA DO CAMINHO (v. 46c).
Bartimeu era um cego que vivia à beira do caminho, à margem da estrada. Era marginalizado pela sociedade, como tantos hoje. Ele não estava andando pelo caminho, mas parado. Sua vida estava parada. Ele estava sem perspectivas, sem projetos. Ele dependia dos outros. Estava sempre esperando que alguém o ajudasse. E quanto a você, como está? Está à beira do caminho? Desnorteado, não sabe o que fazer? Sua vida está parada? Não há sentido em seu viver? Aprendamos com Bartimeu sobre o que fazer quando se está entre os que estão assentados á beira do caminho!
II – MESMOS ESTES, ENCONTRAM UM MOMENTO E CLAMAM A JESUS (v.47b).
Bartimeu ouvira sobre Jesus. Ouvira o ruído da multidão se aproximando e alguém disse que Jesus estava chegando. Ele era cego, mas ouvia muito bem. Os cegos desenvolvem mais os outros sentidos ou os utilizam melhor que as demais pessoas. O pior cego é aquele que não ouve. Muitos “cegos espirituais” são também “surdos”, pois se recusam a ouvir sobre Jesus. Observe a importância de se falar sobre Jesus, para que todos ouçam. Como ouvirão se não há quem pregue? (Rm 10.14).
Bartimeu começou a clamar: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Ele era cego, mas não tinha nenhum problema para falar. Começou a gritar. É importante que clamemos a Jesus em oração. Não adianta clamar a outra pessoa, ou outra divindade. Clame por Jesus. Somente Ele tem palavra de vida, e vida eterna!
III – NESTE MOMENTO DESCOBREM QUE MUITOS SÃO OS QUE DESEJAM QUE ELES PERMANEÇAM NO ESTADO EM QUE ESTÃO (v.48).
Muitos o repreendiam para que se calasse. Os que enxergam querem que o cego fique em silêncio. É uma atitude egoísta. Quando queremos Jesus, muitos se levantam contra nós. Isso pode acontecer no trabalho, na escola, na família, entre os amigos, etc. O cego não deu ouvidos às vozes opositoras. Continuou clamando. Ele era perseverante, insistente, determinado. E quanto a você? Diante dos problemas e das adversidades, frente aos adversários que insistem em desanimar você e que tudo fazem para atrapalhar, você desiste? Ou segue em frente?
IV – JESUS SEMPRE OUVE A VOZ DO QUE CLAMA E PARA TUDO PARA ATENDÊ-LO (v.49 a).
Jesus parou e mandou chamá-lo. O cego pediu compaixão e foi atendido. Jesus se compadeceu. Ele parou, interrompeu tudo, para atender ao cego. Havia uma multidão envolvendo Jesus, mas ele parou para atender a um homem. Jesus está atento a cada indivíduo. Ele está atento a você. Ele ouve a oração e atende.
V – MUITOS SÃO OS QUE SE DISPÕEM A AJUDAR, POIS APRENDERAM E SE TORNARAM GENEROSOS E SOLIDÁRIOS (v. 49b).
Depois das vozes negativas, agora o cego ouviu vozes que diziam: “Tem bom ânimo. Levanta-te. Ele te chama”. Oro ao Senhor para que sejamos como aqueles desse segundo grupo que levaram palavras tão animadoras para o cego. Oro ao Senhor para que nos livre do mal, e daqueles que compõem o primeiro grupo e que reprenderam o cego por estar clamando pela ajuda de Deus. Em Cristo, sempre surgem pessoas dispostas a nos ajudar a superar os problemas e a contornar os obstáculos. Estes são os anjos enviados pelo Senhor e que manifestam seu carinho, seu respeito e seu amor por nós. Somente é preciso confiar Nele, e esperar. Confiar e esperar, crendo que Ele é fiel e justo para nos socorrer!
VI – POR MAIS QUE UM MAL AFLIJA, É POSSÍVEL RECORRER À FORÇA INTERIOR QUE RESTA E SE LANÇAR AO ENCONTRO DE JESUS (v. 50).
O cego deu um salto e andou até Jesus. Ele era cego, mas não tinha nenhum problema nas pernas. Atendeu ao chamado de Jesus imediatamente. Não havia tempo a perder. Jesus pergunta o que o cego quer e ele responde: “Mestre, que eu veja.” (v.51). Ele podia pedir a Jesus uma esmola, uma capa nova, um prato de comida, uma bengala, um cachorro, uma casa, ou outra coisa qualquer, mas ele foi direto ao principal: a visão. Podemos pedir tantas coisas a Jesus hoje, mas não nos esqueçamos de pedir que ele abra nossos olhos espirituais (Sl 119.18). Aquele que ainda não se converteu, está vivendo em cegueira, vive nas trevas, tropeçando e caindo, sem saber a direção certa. Jesus é a luz para os olhos dos cegos (Jo 12.35,46).
VII – O ENCONTRO COM JESUS – PERSISTÊNCIA EM ORAÇÃO, LEITURA E REFLEXÃO DA PALAVRA DE DEUS – CONDUZ AO DIÁLOGO, EU FALO - ELE ESCUTA; ELE FALA-EU ESCUTO E OBEDEÇO (v.51.52).
Bartimeu pediu compaixão, misericórdia. Como são nossas orações? Vamos determinar o que Deus vai fazer? Vamos anunciar nossas virtudes e nossas obras? Nada disso. Devemos pedir misericórdia ao Senhor, sempre.
VIII – QUEM RECEBE A BÊNÇÃO DO SENHOR SOMENTE PODE TER UMA ATITUDE PARA COM ELE: SEGUI-LO PELO CAMINHO, ESTRADA FORA (v.52).
Aquele homem foi curado. Jesus cura ainda hoje, mas o mais importante é que Bartimeu foi salvo, conforme Cristo declarou. Em seguida, o texto diz que ele foi seguindo o Senhor pelo caminho. E assim sua vida mudou completamente. Ele não ficava mais à margem do caminho, agora via seu próprio caminho. Ele seguia o Caminho, o próprio Cristo. Tudo se fizera novo; o cego e mendigo não mais existia. Agora havia o homem de fé, que havia recebido cura e se transformado em discípulo de Jesus.
E quanto a você: quer ser abençoado? Clame pela misericórdia de Jesus. Mas após a benção, faça a sua parte: Siga-O! Deixe suas convicções, valores e perspectivas de futuro, simplesmente siga-O e a enfermidade se transformará em cura, a inanição, em ânimo, as dúvidas, em certeza, a derrota, em vitória, a perdição, em salvação!
Finalizando: O cego clamou a Jesus, porque não sabia se ia encontrá-lo novamente. Ele não podia perder aquela oportunidade. Oro a Deus, para que você não se perca, perdendo a oportunidade. Não recorra a nenhuma outra pessoa, recorra a Ele. Clame a Jesus. E você será tratado, será curado, será, enfim, salvo! Glória a Deus, por isso! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 01/05/2011).

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial