segunda-feira, 23 de maio de 2011

SUJEITAR-SE A DEUS É PRÓPRIO DE QUEM SE TORNA DEPENDENTE E OBEDIENTE A ELE!

O que devemos fazer, segundo a Bíblia Sagrada, para termos uma vida vitoriosa e fortalecidos espiritualmente no Senhor? Muitas são as respostas que o texto sagrado pode nos indicar, mas neste momento desejo destacar Tg 4.7 que nos adverte sobre a necessidade da comunhão com Deus, por meio da obediência e dos esforços para resistir à ação satânica que insiste em nos tragar.
I – É PRECISO SE SUJEITAR A DEUS.
O que entendemos por sujeitar-se? O Aurélio nos ensina que sujeitar é reduzir à sujeição, tornar sujeito, subjugar; tornar obediente, ou dependente; conformar-se, obedecendo. Então, aprendamos que a Palavra de Deus nos alerta que devemos nos sujeitar ao Senhor, ou seja, devemos obedecer, dependendo e nos conformando a Ele. O texto nos intima, em primeiro lugar, a sermos obedientes a Deus e a andarmos em conformidade com Sua Palavra, sendo sujeitos de forma integral, no decorrer de nossa existência terrena. I Sm 15.22, parte b afirma:” A obediência é melhor do que o sacrifício e a submissão é melhor do que a gordura de carneiros”. Não é possível, porque não é verdade, que alguém diga que anda com Deus e que segue o Evangelho, sem estar e viver em obediência e sujeição!
II – É NECESSÁRIO RESISTIR AO DIABO.
O que entendemos por resistir? O Aurélio nos ensina, também, que resistir tem o sentido de oferecer resistência; não ceder; opor-se a; fazer face; fazer frente; defender-se; recusar-se; negar-se; não sucumbir. Sem obedecer a Deus, sem andar em santidade e novidade de vida, sem oração e jejum, alimento sólido e o fruto do Espírito (Gl 5.22) é impossível resistir, opor-se, fazer frente, defender-se, não sucumbir aos dardos inflamados do diabo. É ponto destacado da sobrevivência do cristão o fato de que ele vive em obediência a Deus, sujeitando-se a Ele. Em Ef 6.10,11 o apóstolo Paulo ensina: “ Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força de seu poder. Revesti-vos de toda armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo”.
III – QUANDO ENCONTRA A RESISTÊNCIA DO SERVO FIEL E OBEDIENTE A DEUS, NADA MAIS RESTA AO DIABO SENÃO SE RETIRAR, EM FUGA.
O que entendemos, também, por fugir? Mais uma vez recorremos ao Aurélio que nos esclarece que fugir é desviar-se, ou retirar-se apressadamente, para escapar de alguém ou algum perigo; pôr-se em fuga; retirar-se em debandada; ir-se afastando; passar rapidamente; apartar-se. Quando nos sujeitamos a Deus somos investidos de poder, unção e autoridade, e então, temos condições de resistirmos ao diabo (ladrão, acusador, pai da mentira, acusador e príncipe das trevas). E ele, sem ter como resistir, é obrigado a fugir. Aleluia! Glória a Deus, por isso! O Senhor sabe com quem Ele pode contar para realizar Seu querer. Deus não faz acepção de pessoa, mas Ele sabe que pode esperar mais daquele e daquela que diariamente anda com Ele, ouve Sua voz e segue Sua liderança.
À titulo de ilustração sobre erros, pecados, mentiras, ação do diabo, confissão de pecados, acerto com Deus e o perdão do Senhor, quero compartilhar com vocês uma pequena história que recebi via e-mail:
A história do pato
Dois irmãos, Filipe e Beatriz, visitavam os avós em férias no sítio. Filipe brincava muito com um estilingue. Vivia ele sempre a praticar, mas nunca acertava nada. Certa tarde viu o pato de estimação da vovó. Em um impulso mirou e atirou, e eis que acertou a cabeça do pato e o matou. Filipe ficou muito chocado e triste. Mas eis que entrou em pânico e teve a idéia de esconder o pato em um monte de madeira. Ocorre que Beatriz, sua irmã, viu tudo, mas nada disse nem ao irmão, nem à vovó. Após o almoço no dia seguinte, a avó disse: “Beatriz, vamos lavar a louça”. Mas ela respondeu: “Vovó, o Filipe me disse que queria ajudar na cozinha”. E olhando para o irmão sussurrou: “Lembra do pato?”. Então, Filipe lavou os pratos. Mais tarde o vovô perguntou aos irmãos se queriam ir pescar com ele. Mas a vovó disse: “ Desculpem-me, mas eu preciso que a Beatriz me ajude a fazer o jantar”. Beatriz apenas sorriu e disse: “ Está bem, mas o Filipe me disse que queria ajudar hoje”. E sussurrou novamente para o irmão: “ Lembra do pato?”. Então a Beatriz foi pescar e Filipe ficou para ajudar. E transcorreram os dias e Filipe sempre ficava fazendo o trabalho da irmã. Mas eis que, não agüentando mais, Filipe procura sua avó e confessa que tinha matado seu pato de estimação. A avó o abraça e disse: “Querido, eu sei, eu vi tudo. Eu estava na janela e vi o que você fez, mas porque te amo, eu te perdoei. Só estava me perguntando quanto tempo mais você iria deixar que a Beatriz submetesse e o fizesse de escravo!”. O que se pode aprender com essa interessante história? Que qualquer que seja o seu passado, ou o que você tenha feito (práticas ruins e sentimentos maus: mentiras, enganos, traições, ódios, raiva, inveja, amargura, ou outras coisas piores), não importa o que tenha sido, você precisa saber de uma verdade incontestável: Deus estava na janela e viu tudo o que aconteceu! Ele conhece toda a sua vida. E por isso, por conhecer você, como você é, Ele o ama com toda a intensidade e já o perdoou. Mas Ele quer saber, por outro lado, quanto tempo, ainda, vai deixar o diabo fazer de você um escravo. Deus está esperando por sua iniciativa. Inicialmente, chegue-se a Ele. Sujeite-se a Ele. Peça perdão por tudo. Saiba que não somente Ele perdoa, mas não mais considera as faltas. É pela graça e por Seu amor que somos salvos. Tenha fé, rompa os grilhões que o escraviza ao pecado; sujeite-se ao Senhor, receba Seu amor e Sua graça, seja livre, continue resistindo e o diabo estará para sempre longe de você. Permita que sua vida recomece, viva em novidade de vida, viva com o Senhor! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, pela Pra. Isabel Cristina, no culto de domingo 15/05/2011).

3 comentários:

Anônimo disse...

Pastor muito boa as suas explocacoes ajudou muito Deus o abencoe.

Anônimo disse...

Desculpe corrigindo explicacoes.

Anônimo disse...

Mt bom