REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 4 de julho de 2011

A IMPORTÂNCIA QUE IMPORTA: CADA UM ASSUMINDO COMO MELHOR O QUE O SENHOR TEM DE MELHOR PARA CADA UM.

At 9.1-19 descreve os passos iniciais que marcaram o processo de conversão de Saulo, religioso implacável e perseguidor de cristãos, em Paulo, o extraordinário evangelista, doutrinador e apóstolo cristão. Muito se escreveu e, certamente, muito mais se escreverá sobre o apóstolo Paulo, destacando-o como líder inconteste do primeiro século e uma influência permanente na história do cristianismo. Em maior ou menor grau, destacam-se, em todas as áreas da atividade humana, as figuras fortes de seus líderes. Assim se sobressaem na história do Brasil, pessoas consagradas como líderes de sua época, os imperadores D. Pedro I, D. Pedro II, os presidentes Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e, mais recentemente, Lula, somente para citar alguns poucos. De igual forma, na Bíblia se destacam Abraão, José, Moisés, Elias, Isaías, David, Salomão, Pedro, João e Paulo, também, para citar alguns poucos. Isto sem falar, por sua peculiaridade especial, posto que homem e Deus, o próprio Senhor Jesus Cristo, líder inconteste, que tem como seguidores, atualmente, mais de um terço dos habitantes de toda a terra. Em toda a história da humanidade, sobressaem líderes e protagonistas inesquecíveis, posto que homens e mulheres que exerceram forte e definitiva influência sobre muitos, durante muito tempo. De igual forma, no ambiente eclesiástico, destacam-se muitos homens e muitas mulheres de Deus, líderes de suas respectivas comunidades de fé. Mas o que dizer daqueles e daquelas que não exercem papel de liderança, mas atuam no contexto da história como coadjuvantes? O texto descreve, como já citado, o início do processo de conversão de Paulo, o futuro grande protagonista da Igreja de Cristo, mas muito pouco ou nunca se cita, ou não se comenta a importância da atuação do coadjuvante Ananias, que foi usado por Deus para que ocorresse todo o processo! A atuação silenciosa, mas decisiva, de Ananias, permitindo-se servir de instrumento nas mãos de Deus, possibilitou o chamado de Paulo. Vamos refletir sobre a importância de alguém que como Ananias se dispõe a atuar secundariamente em apoio à ação de Deus, considerando os versículos 10-18. Aprendemos, a partir do texto sagrado que:
I – É PRECISO OUVIR E RESPONDER À VOZ DE DEUS (v. 10)
Somente pessoas sensíveis, espiritualmente,  ouvem a voz de Deus. Pessoas assim aquietam seus corações com o sussurro de Deus, porque aprenderam a discernir quando é o Senhor lhes sondando o coração e lhes falando. Assim aconteceu com Ananias, que respondeu: ”Eis-me aqui, Senhor”!. Aqui aprendemos que responder é tão importante quanto ouvir a voz de Deus.
II – É PRECISO NÃO SOMENTE OUVIR A VOZ DE DEUS, MAS DISTINGUIR OS DETALHES (v. 11-13)
É importante ter paciência e fé de que Deus nos guiará nos detalhes de nossa missão, vida e profissão, levando-nos ao cumprimento de Sua perfeita vontade. Vejamos os detalhes que Ananias reteve da visão: deveria ir imediatamente à Rua Direita, na casa de Judas, procurar por Saulo, apelidado de Tarso, que estava orando e naquele momento estava tendo uma visão de que um homem chamado Ananias estaria entrando e lhe impondo as mãos para que recuperasse a visão.
III – É NECESSÁRIO CRER NO QUE DEUS QUER REALIZAR NA VIDA DE OUTROS (v. 13-16)
Às vezes, passamos muito tempo esperando a bênção de Deus e ela continua demorando a acontecer. Aí surge uma oportunidade de ajudar e abençoar alguém, até se sente no coração que é preciso atuar como Ananias, mesmo que seja para outro Saulo que não mereça coisa alguma de boa, mas a pessoa se nega a abençoar. Simplesmente não crê que o Senhor queira abençoar alguém antes, inclusive usando-a como instrumento! Não podemos permitir que as aparências nos enganem. Muitas são as vezes em que temos dificuldades em crer na conversão de certas pessoas e mais ainda na possibilidade de Deus fazer uso delas. O texto diz que Ananias foi até Saulo, mas não sem antes reclamar, mais ou menos assim: Senhor, mas este homem é perseguidor dos que te seguem, este homem é do mal, ele está em Damasco porque veio com autorizações para prender todos os que são teus seguidores. Tu queres que eu vá neste endereço que me dás e que impondo as mãos sobre ele, contribua para que recupere a visão? Não, não pode ser verdade!
O mais extraordinário é que mesmo tendo agido dentro de certa previsibilidade com que age o ser humano, questionando a ordem superior, Ananias se destaca como um fiel discípulo porque vai até Saulo e faz conforme lhe ordenara o Senhor! Deu-se conta Ananias que o Senhor tinha planos para Saulo e que o queria discípulo Seu, logo, o que poderia fazer, que não sendo instrumento de Deus para tal extraordinária missão?
IV – É NECESSÁRIO ORAR PELOS ESCOLHIDOS PARA REALIZAR OBRAS (v.17,18)
Pessoas verdadeiramente de Deus, são isentas de egoísmo e atitudes invejosas ou despeitosas, então, alegram-se com as bênçãos recebidas, mas não deixam de se alegrar vendo outras por Ele escolhidas para realizar obras maiores que as suas. E isso Ananias fez no v. 17: impôs as mãos sobre Saulo, chamou-o de irmão e orando declarou a ele o que estava acontecendo, por ordem direta de Jesus Cristo. Tendo feito isto –  e somente após Ananias ter feito isto – Saulo tornou a ver, ficou cheio do Espírito Santo, e levantando-se, foi batizado.
Concluindo, sabemos que o mundo não é constituído somente por líderes e autores de grandes obras, mas por todos os que nele vivem. Assim como em uma boa história, seja real ou ficcional, não há somente protagonistas e líderes, mas muitos coadjuvantes. Também em um filme, muitos são os que sonham com os papéis principais, sem se dá conta de que a história somente é contada por completo se existirem todos em atuação, protagonistas, coadjuvantes e muitos figurantes. Não importa sua posição no Reino! Deus não faz acepção de pessoas! Você é Saulo? Você é Paulo? Ou você é Ananias? Não busque a importância que o homem dá a posições de honra! Jesus esclarece muito bem a questão sobre ser maior e menor entre Seus seguidores, conforme aprendemos em Lc 22.26,27 quando afirma, pondo fim a uma infrutífera discussão suscitada pelos discípulos sobre qual deles era o maior: “... o maior entre vós seja como o menor; e aquele que dirige seja como o que serve. Pois qual é o maior: quem está à mesa ou quem serve? Porventura, não é quem está à mesa? Pois, no meio de vós, Eu sou como quem serve.”
Não busque, pois, a importância que, para Deus, não importa! Seja como Ananias! Assuma que seu papel na obra do Senhor é servir, simplesmente servir, não levando em conta a posição, se protagonista, se coadjuvante; se pequena ou se grande obra o Senhor tem para você, não importa! Faça sua parte! Faça! Simplesmente faça acontecer e a obra do Senhor acontecerá, seja em sua vida, seja na vida de outrem, segundo o propósito de Deus! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 03/07/2011).

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial