REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

COM QUEM DEUS TEM COMUNHÃO?

A primeira carta do apóstolo João foi escrita para combater heresias que ameaçavam a verdadeira fé cristã. É preciso estar alerta para se certificar que o que parece ser, verdadeiramente seja! A carta expõe verdades básicas da vida do discípulo de Cristo, com ênfase no amor e na retidão de uma caminhada iluminada por Sua divina presença e direção. Mas é preciso deixar evidente que discípulo de Cristo é todo aquele que tem comunhão com Deus, em Cristo Jesus. Mas o que é comunhão? Os dicionários sustentam, em um sentido amplo, que é o ato ou a condição de compartilhar das mesmas ideias, valores e sentimentos; tomar parte em; compartilhar; ter em comum com alguém. O discípulo de Jesus Cristo precisa, então,  atentar para algumas condicionantes que marcam a verdadeira comunhão com o Senhor:
I – TEM COMUNHÃO COM DEUS QUEM ANDA NA LUZ (1 Jo 1.5-7).
Deus é luz; aqueles que não andam na luz não têm comunhão com Ele. Esta afirmação contundente expressa uma verdade extraordinária. Andar na luz é andar na presença de Deus, andar orientado por Deus. Jesus é a luz do mundo. Ele é a perfeita revelação de Deus (Jo 1.4; 8.12;9.5). Ele afirmou que nós devemos ser luz neste mundo (Mt 5. 14 – 16). Como luz, Deus se revela a Si mesmo em Sua perfeita santidade e majestade. Andarmos na luz é um teste de comunhão com Deus, uma vez que a vida de comunhão é a vida que é continuamente purificada do pecado pelo sangue de Jesus. Como também envolve nosso relacionamento uns com os outros, a caminhada na luz é vivida responsavelmente perante Deus e o homem. O apóstolo Paulo nos exorta a vivermos como filhos da luz (Ef 5.8-10).
II – TEM COMUNHÃO COM DEUS QUEM ANDA EM VERDADE (1 Jo 1.8-10; 2.1,2)
Quem afirma que não tem pecado é mentiroso e engana a si mesmo. Podemos enganar as pessoas, mas não a Deus. A Palavra de Deus afirma que todos somos pecadores (Rm 3.23), logo andar na verdade é admitir isso, confessando nossos pecados, pois Ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça. Quando afirmamos que não pecamos, fazemos-Lhe mentiroso e a Palavra de Deus não está em nós. Portanto, devemos estar limpos diante de Deus, confessando os pecados, ou seja, admitindo os erros diante de Deus. É impossível ter comunhão com Deus estando na prática do pecado.
III – TEM COMUNHÃO COM DEUS QUEM GUARDA OS SEUS MANDAMENTOS E PRATICA A JUSTIÇA (1 Jo 2.3-29)
Somente existe comunhão quando há conhecimento e intimidade. Somente conhecemos Deus se guardamos os Seus mandamentos. Aquele que diz que está Nele deve andar como Ele andou. Guardar a Palavra de Deus é condição para conhecê-Lo. Ninguém pode dizer que conhece a Deus se não obedecer a sua Palavra. É mentiroso aquele que afirma que conhece a Deus e não anda em obediência ao que determina a Palavra de Deus. Então, viver de forma diferente do que exorta a Palavra de Deus é viver uma vida mentirosa. Guardarmos a Palavra de Deus é uma clara evidência de que amamos a Deus. Ao andarmos em obediência, manifestamos o amor de Deus que está em nós e desprezamos o mundo. Ao andarmos em obediência, manifestamos o amor de Deus que está em nós e amamos aos nossos irmãos. E amamos aos nossos irmãos porque Deus nos amou primeiro. Guardarmos a Palavra de Deus é uma evidência de que pertencemos a Deus. A obediência a Deus é prova de que estamos nEle.
IV – TEM COMUNHÃO COM DEUS QUE ANDA EM AMOR E TEM (1 Jo 3, 4 e 5)
A ênfase na comunhão com Deus é estabelecida a partir do amor. Em especial, destaca-se um mandamento que precisamos praticar para nos firmar em comunhão com o Senhor, que os homens se amem uns aos outros; porque o amor é de Deus. Qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Ele. Contrariamente, quem não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. A comunhão com Deus é um privilégio dos que recebem Jesus como Senhor e Salvador. A verdadeira comunhão com Deus está alicerçada em uma vida de compromisso com Ele. Devemos ter fé nEle. Devemos andar como Ele andou. Devemos vigiar nossas vidas para evitar um coração impuro e devemos obedecer a toda orientação que a Palavra de Deus nos dá. Para uma comunhão ampla e permanente com Ele, então, precisamos andar na luz, andar em verdade de vida, andar em obediência, guardar os mandamentos e andar em amor!  A comunhão com os irmãos é o resultado natural de uma comunhão verdadeira com Deus. É impossível queremos ter comunhão com os irmãos se não tivermos uma comunhão verdadeira com Deus - Sl 122.1. A comunhão com os irmãos é condição para o perdão dos pecados. Por esta razão, na Comunidade, sentimos imenso prazer em estarmos juntos, construindo relacionamentos que sejam solidários, fraternos e que nos conduzam à eternidade com Deus, a quem amamos, louvamos e adoramos! E assim procedemos porque entendemos ser esta a grande missão da Igreja: promover comunhão entre as pessoas e destas com Deus, em Cristo Jesus! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 15/01/2012).

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial