REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

segunda-feira, 21 de maio de 2012

A FÉ QUE FAZ RUÍREM AS MURALHAS!

Em Josué 6.1-20 é narrada a extraordinária conquista de  Jericó, por Josué e seus homens. O que se há de destacar é que não foi um ato de guerra comum, uma vez que o plano de Deus exposto a Josué parecia inusitado e estranho (v.3-9): consistia em fazer com que todos os homens  cercassem a cidade uma vez por seis dias, de acordo com o seguinte esquema: na frente, homens armados, logo atrás, sete sacerdotes tocando sete buzinas de chifres de carneiro, mais atrás, a arca da aliança, e, na retaguarda, seguia o restante dos homens. Então, isso deveria suceder por seis dias, todos em silêncio, apenas se ouviria o som das buzinas tocadas por sete sacerdotes. Mas no sétimo dia, Deus instruiu que, ao cercarem as muralhas, fizessem a primeira vez, conforme os dias anteriores, mas tornassem a caminhar em volta até a sexta vez, da mesma forma que das vezes anteriores, e ao cercar pela sétima vez, além do som estridente das sete buzinas, todos juntos, em uma só voz, gritariam o mais alto que cada um podia, e ao som das trombetas e do alarido uníssono de milhares de vozes, a muralha cairia. Assim fizeram, e a cidade foi conquistada!
Este fato que é descrito como um milagre de Deus no Antigo Testamento é citado como um ato de fé em Hb 11.30 (“Pela fé caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias”). As muralhas de Jericó eram enormes. Como a cidade ocupava uma área aproximada de 32 km² era protegida por muros altos de cerca de dez metros de altura por cerca de seis metros de largura. Mesmo decepcionado com o povo, pela constante desobediência, Deus havia prometido levá-lo à Canaã e Ele sempre cumpre Sua promessa! Naquele momento, sendo instruído por Josué o povo não recuou, não vacilou, tampouco murmurou. Ao contrário, seguindo a orientação de Deus, Josué, os soldados e os sacerdotes simplesmente obedeceram e, diante do obstáculo da inexpugnável muralha, confiaram plenamente no Senhor e presenciaram a muralha cair e a cidade ser conquistada. Hb 11 apresenta uma galeria de exemplos de fé, embora resumida,  e se eles conseguiram, igualmente nós conseguiremos. Vejamos o que podemos aprender sobre fé que derruba muralhas. Em um primeiro momento, podemos destacar quatro tipos de grandes muralhas que cotidianamente podem nos impedir de alcançar a vitória. Assim sendo, destaco que:
I – É PRECISO FAZER RUIR A MURALHA DA DÚVIDA:O que significa ter dúvida sobre algo? A dúvida se instala quando ocorre incerteza sobre a realidade de um fato ou sobre a verdade de uma afirmação; duvidar é descrer; não acreditar. Por falta de discernimento ou, simplesmente, por imaturidade, muitos são os que põem em dúvida o poder e a vontade de Deus, quanto ao melhor para suas vidas. Duvidar da ação de Deus é próprio dos incrédulos, e isso constitui, aos olhos de Deus, falta grave, posto que Ele não se agrada dos que duvidam, e não creem nEle e em Sua Palavra. A bênção foi prometida, mas há dúvida no coração e na mente de quem espera, então, talvez nunca seja abençoado!  Tantas são as falsas doutrinas que são ensinadas, que as pessoas têm dúvida sobre o que é e o que não é de Deus!  A dúvida é uma grande muralha que somente pode ser vencida pela fé! Quem tem fé não tem dúvidas!  Ou você abriga em seu coração a dúvida ou você abriga em seu coração a fé. A dúvida somente pode ser vencida se houver em seu coração a firme decisão de confiar em Deus. A dúvida é uma ofensa a Deus e não somente uma atitude qualquer que tomamos sem consequências. Quem duvida de Deus, crê no poder no inimigo, que tem afrontado a Palavra de Deus. Como a dúvida se manifesta, espiritualmente, como ato de ofensa a Deus, Ele não opera em quem duvida.   A incredulidade é sempre repreendida (ver Hb 3.10).
II – É PRECISO FAZER RUIR A MURALHA DO ENGANO E DA ILUSÃO: Muitos são os que se permitem serem enganados, pois se deixam iludir e se enganar. Muitos são os que se impressionam, facilmente, com o brilho das festas, com o discurso inflamado, com o que parece ser bom, com o glamour das baladas, das festividades mundanas, com status dos cargos oficiais, com o poder de compra do dinheiro; com as bebidas, com a euforia e o aparente bem estar dos energéticos, do fumo e das drogas, se de início dão a sensação de leveza, euforia e muito prazer, logo se transformam no pesadelo do vício e da mortal dependência. 
III – É PRECISO FAZER RUIR A MURALHA DOS CUIDADOS DESTE MUNDO: Além de tudo isso, muitos são os que se iludem com os prazeres do mundo e não aceitam a Palavra de Deus, como nos ensina Mc 4. 19 sobre aqueles que ouvem e recebem a semente (Palavra) entre espinhos, “mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a Palavra, e fica infrutífera”. Atualmente, todos estão tão envolvidos com tantas atividades e ocupações que distraem que não tem tempo para muitas outras coisas, em especial para a Palavra de Deus. Muitos hoje vivem de ilusão! Nós fomos feitos para a glória de Deus e em Deus – somente em Deus - nos completamos! Não adianta muito todo o esforço, o trabalho, a luta e até a conquista quando o objetivo é egoísta e individual. Não podemos, como cristãos, sermos completos se nosso semelhante (o próximo) não o é! Não podemos, nem devemos pensar em muita riqueza, se existem em nossa  volta,muita pobreza e miséria!  
IV – É PRECISO FAZER RUIR A MURALHA DO PECADO: A maior de todas as muralhas, aquela que fazia separação entre nós e Deus, foi vencida e derrubada por Jesus Cristo. A muralha do pecado nos afastava de Deus e nos impedia de ter uma vida abundante e próspera diante do Senhor. Por meio de Seu sangue foi destruída essa barreira e hoje com ousadia podemos nos achegar ao trono da graça para acharmos ocasião em tempo oportuno. Mas o pecado nos ronda e faz cerco diário contra nós, então, é preciso buscar mais, orar e vigiar, senão seremos tragados pelas obras da carne (Gl 5.19-21) e são elas que tanto desagradam a Deus, ao ponto de que "os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus" (v.21c). Há, ainda, que se destacar  1 Jo 3.6:”qualquer que permanece nEle não peca; qualquer que peca não O viu nem O conheceu”!   
Extraímos aqui uma grande lição: Não há muralhas em nossas vidas que não possam ser rompidas pela fé! Se uma tão imensa muralha foi derrubada pela fé dos israelitas que estavam sob o comando de Josué, porque Deus tinha um propósito específico na vida deles, quanto mais em nossas vidas, por quem Jesus Cristo por amor deu Sua própria vida?  Mas para que o milagre aconteça e as muralhas sejam derrubadas não se pode deixar dominar pela duvida, pela incerteza, pelo engano ou ilusão, pelos cuidados deste mundo ou pelo pecado! Aja com fé e obedeça a voz de Deus. Torne-se um/uma vencedor/a! Clame pelo Senhor e vença as muralhas que surgirem à frente; não tema, antes, confie no Senhor! Fé e obediência sempre serão ingredientes de uma receita de sucesso! (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 20/05/2012).

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial