segunda-feira, 6 de agosto de 2012

A QUEM DEUS AJUDA?

Em Marcos 1.40-42 o  texto sagrado descreve o episódio em que um leproso se aproxima de Jesus e lhe suplica de joelhos para que seja purificado e curado. Como leproso era ele considerado não “limpo”, e, portanto, proibido de participar da adoração pública. Aquele homem havia perdido a comunhão com os seus, mas tinha fé. Ele ouvira falar sobre o grande poder de Jesus. Sabia que Jesus tinha poder para curá-lo, mas estava ali e fez a pergunta a Ele sobre se queria purificá-lo.Qual a atitude de Jesus? A rigor, Jesus teve uma atitude composta por três momentos:
A COMPAIXÃO E A ACEITAÇÃO: Jesus aceitou a situação e a aproximação daquele miserável homem. Sua condição o excluía do convívio social; ele era e vivia como um pária, totalmente isolado pelos familiares e por todos; a lei mosaica o considerava impuro e determinava sua exclusão social.
Mas através de Jesus, Deus nos aceita. Em Jesus, o pecador que se chega a Ele é aceito, não importam suas péssimas condições higiênicas e morais. Não existem méritos em nós mesmos para que o Senhor se chegue a nós; quando Deus se chega ao ser humano é sempre por Sua Graça! A aceitação de Jesus nos mostra que em Cristo há um aviso para o pecador que deve ir a Ele como está!
O TOQUE: Enquanto todos fugiam da simples presença do leproso, Jesus age de forma diferente, pois fala com o impuro homem e contrariando os preceitos da lei,  estende a mão e o toca. Jesus não precisava de toque para curá-lo, mas ao agir assim, estabelece uma ligação afetiva. Mostrou Jesus ao leproso e a nós, que se importa com todos os homens e mulheres, pois ninguém está excluído de Sua Graça e de Seu amor. O leproso sabia que Jesus podia efetuar a cura, mas estava incerto sobre a vontade dEle a esse respeito. Somente a incredulidade impede a ação de Deus a nosso favor.
A CURA: Após ter sido movido por íntima compaixão por aquele “desgraçado”  homem, Jesus estendeu Sua mão e o tocou ao mesmo tempo em que responde afirmativamente às palavras do leproso, que afirmara com fé: “ Se quiseres, podes purificar-me.” A resposta de Jesus”quero, seja purificado” deve ter soado como hino celestial ao coração, posto que antes que a esperança pudesse alimentar seu coração, ele sentiu e viu (v.42) que imediatamente a lepra o deixou e que estava purificado.
De repente a condição de leproso e excluído social era coisa de passado. Agora tudo se fazia novo. A cura fora instantânea e completa, para o corpo e para a alma. Agora aquele homem poderia participar do culto público religioso, e do convívio social e familiar. Que lição se pode extrair desse episódio? Que Jesus ajuda e socorre a quem recorre a Ele. Jesus é o socorro bem presente na angústia. Ele nos aceita, apesar de nossas impurezas, apesar de nossos muitos pecados. Jesus teve e continua tendo um propósito: buscar os perdidos; tocar os impuros e curar os enfermos e doentes. Quem recebe de Jesus o olhar de compaixão, quem vê Sua mão estendida, quem recebe Seu toque, tem sua vida transformada; recebe dEle vida e vida em abundância. Com Ele, temos vida e vida eterna! Qual a condição para receber ajuda do Senhor? A quem Deus ajuda? A quem recorre a Ele, a quem vai ao Seu encontro e suplica por ajuda! Qual a sua condição atual? Você precisa de ajuda? Então, o que está esperando? (Reflexão com base em sermão proferido na Comunidade, por este pastor, no culto de domingo 05/08/2012).

Nenhum comentário: