quarta-feira, 22 de abril de 2015

INSISTINDO: A LIBERTAÇÃO QUE VERDADEIRAMENTE NOS TORNA LIVRES!

Lendo e relendo Marcos 5.1-20 e João 8.36 confirmamos que Jesus, realmente, transforma vidas. No texto de Marcos identificamos um mar agitado (Marcos 4.35-41) e um homem, igualmente, agitado. Ambos eram indomáveis, mas Jesus os subjugou.
Ele enfrentou a fúria do mar e depois a fúria desse homem possesso. Quanto vale uma vida para Jesus? 
Era noite, depois de uma tempestade em um lugar deserto. 
O lugar era íngreme, cheio de cavernas, um cemitério onde havia corpos expostos, alguns deles em decomposição. 
Daquele lugar sombrio, eis que sai um homem louco, desvairado, possesso, nu, ferindo-se com pedras.
Pelo seu aspecto todos já haviam desistido dele. Ele estava sozinho, perdido, enlouquecido, entregue à própria sorte.
Mas para Jesus não, aquela viagem foi proposital. Jesus vai a uma terra de pagãos, depois de um dia exaustivo de trabalho, depois de uma terrível tempestade, para salvar um homem possesso.
O ser humano tem um valor imenso para Deus!
Quanto vale uma vida para Satanás, nosso inimigo?
Satanás roubou tudo de precioso que aquele homem tinha: família, liberdade, saúde  física e mental, dignidade, paz e decência.
O texto diz que havia dentro do homem uma legião de demônios (v. 9). Legião era uma corporação de quatro mil a seis mil soldados romanos. Por onde uma legião passava, deixava um rastro de destruição e morte.
Realmente, para Satanás não temos nenhum valor. Seu interesse é destruir-nos. “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir...” (João 10:10).
 Qual tem sido o objetivo de Satanás?
 1) Dominar as pessoas – (v. 2 e 9)
O gadareno estava possuído por uma legião de demônios. Satanás procura dominar as pessoas deste mundo. 
Geralmente a influência satânica é exercida sobre os homens para perturbar- lhes os sentidos, dominar a mente para o mal, incitar à violência e ao crime. 
Essa influência, ainda, enfraquece o corpo, obscurece a mente e corrompe a alma.
 2) Arrastar as pessoas para a impureza - (v. 2-3)
Satanás levou esse homem para um lugar impuro: o cemitério. Levou-o para viver no meio dos sepulcros. 
Os espíritos malignos fazem com que as pessoas se envolvam com tudo o que é imundo.
A depravação moral hoje está atingindo patamares insuportáveis, tanto em áreas de corrupção, de imoralidade quanto de injustiça.
 3) Tornar as pessoas violentas - (v. 3-4)
O endemoninhado tornou-se um problema para a família e para a sociedade.
O amor de seus familiares e a repressão da lei não pôde controlá-lo.
Ele era como um animal selvagem.  As pessoas não o suportando mais, expulsaram-no. Ele foi morar com os mortos, entre os demônios.
O inimigo  torna  as  pessoas  furiosas,  violentas  e  indomáveis nos dias de hoje.
Há seres humanos que se transformam em monstros.
Nem o amor da família, ou os rigores da lei têm abrandado a avalanche de crimes violentos em nossos dias.
 4) Atormentar as pessoas - (v. 5)
O gadareno estava perturbado mentalmente.
Ele andava de noite e de dia gritando por entre os sepulcros. Não havia descanso para sua mente nem para o seu corpo.
Além da perturbação mental, ele golpeava-se com pedras. 
Vivia nu e ensanguentado, correndo pelos montes, andando como se fosse um fantasma, no meio de cavernas e sepulcros.
Seu corpo emagrecido refletia o estado deprimente a que um ser humano pode chegar, quando está sob o domínio de Satanás.
Hoje, também, há muitas pessoas atormentadas, inquietas e   sem sossego vivendo nas regiões sombrias da morte,sem família, sem liberdade, sem dignidade, sem amor próprio, ferindo-se a si mesmas e espalhando terror aos outros.
É isso que Satanás procura fazer com as pessoas.
Mas o que a Sociedade pode fazer pelas pessoas? 
A solução para o seu drama pode ser buscada na sociedade?  
A história do homem possesso de Gadara mostra que a sociedade humana não pode resolver seu problema:
 1. A sociedade afastou o homem possesso do convívio social (v. 3-4).
O máximo que as pessoas puderam fazer por esse homem, foi tirá-lo de circulação.
Arrancaram-no da família e da cidade. Desistiram do seu caso e consideraram-no uma causa perdida. Uma ameaça à sociedade. Consideraram-no um caso irrecuperável e descartaram-no como a um ser asqueroso.
O máximo que a sociedade pode fazer por pessoas problemáticas é isolá-las, colocá-las sob custódia ou jogá-las numa prisão (Lucas 8.29).
As prisões não libertam as pessoas por dentro nem as transformam. Ao contrário, tornam-nas ainda mais violentas.
Ainda hoje é mais fácil e mais cômodo lançar na caverna da morte, no presídio e no desprezo aqueles que caem nas garras do pecado e do diabo.
 2. A sociedade acorrentou esse homem (v. 3 e 4).
 A prisão foi o melhor remédio que encontraram para deter esse homem.
Colocaram correntes em suas mãos e pés. Mas a corrente não pôde resolver o seu problema. Ele continuou espalhando terror por onde andava.
A sociedade não tem poder para resolver o problema do pecado nem de libertar as pessoas das garras de Satanás.
Somente o Evangelho transforma. Somente Jesus liberta.
A esperança para o homem, para a família e a sociedade está em Jesus!
 3. A sociedade deu mais valor aos porcos do que a esse homem.
 A sociedade de Gadara não apenas rejeitou o homem, mas também nada fez para salvá-lo e curá-lo. Por causa dos porcos as pessoas daquele lugar expulsaram Jesus. Elas amaram mais os porcos do que a Deus.
Amaram mais os porcos do que o homem. 
Os porcos valiam mais do que a vida de uma pessoa. Infelizmente vivemos em uma sociedade onde há inversão de valores. O ter é mais importante que o ser.
Por isso falta saúde, educação, alimentação e outras coisas básicas à vida das pessoas.
 E quanto a Jesus, o que Ele faz pelas pessoas?
Mas nós temos um grande valor para Deus.
Jesus demonstrou que amava o homem possesso com algumas atitudes que  resultaram na transformação de sua vida:
 1.     Jesus libertou o homem da escravidão dos demônios (v. 6-15).
A Bíblia afirma que Jesus Se manifestou para destruir as obras do diabo (1 João 3.8). Diante de Jesus todo joelho precisa se dobrar.  Até os demônios estão debaixo da autoridade de Jesus. Mediante a autoridade da palavra de Jesus a legião de demônios bateu em retirada e o homem escravizado ficou livre. Cristo é o libertador dos homens.
 Ele veio libertar os cativos (Lucas 4.18). Jesus quer libertar você hoje! Ele quer transformar sua vida!
2.     Jesus devolveu ao homem possesso a dignidade da vida (v.15).
Aquele que vivia perturbado, correndo de dia e de noite, sem descanso para a mente e para o corpo, agora está quieto, sereno, assenta- do aos pés do Salvador.
O homem estava vestido. Esse homem havia perdido o pudor e a dignidade. Ele andava nu. Havia muito que não se vestia (Lucas 8.27). 
Tinha perdido o respeito próprio e o respeito pelos outros.
Agora, que Jesus o transformou, ele está vestido, sua nudez foi coberta, sua dignidade recuperada.
O homem estava em perfeito juízo. Jesus lhe restituiu a saúde mental e a consciência. Onde Jesus chega, Ele restaura a mente, o corpo e a alma.
Esse homem não estava mais violento. Ele não oferecia mais nenhum perigo à família  nem à sociedade. Jesus mudou a sua vida. A prova da conversão é a mudança. 
A conversão sempre toca nos pontos nevrálgicos, os pontos críticos de uma pessoa.
Jesus continua transformando monstros em homens santos, escravos de Satanás em homens livres.
 3.     Jesus deu ao homem uma missão importante (v. 18-20).
Jesus o enviou como missionário para a sua casa, para ser uma testemunha dEle.
Antes,aquele homem espalhava medo e pavor, agora iria espelhar as Boas Novas de salvação. Antes era ele um problema para sua família, agora, uma bênção!  
Antes, era um mensageiro de morte, agora, um embaixador da vida. Jesus amou a quem ninguém amava. Valorizou a quem ninguém valorizava. 
E, assim como antes, Ele continua operando e libertando vidas! Glória a Deus por isso! (Reflexão com base em mensagem anunciada no culto dominical de 19/04/2015).  

Nenhum comentário: