segunda-feira, 15 de junho de 2015

DESABAFO DE UM PASTOR CANSADO, MAS, AINDA, SOBREVIVENTE E COM FÉ!

Há nove anos, posto que o primeiro culto, oficialmente, ocorreu em 28 de maio de 2006, nascia um novo ministério cristão, nestas terras do norte do Brasil. 
Nascia, assim, a COMGRAÇA e PAZ, Comunidade Graça e Paz Internacional, com um projeto desafiador: proclamar o amor, a aceitação e a inclusão contidos nos ensinamentos de Jesus Cristo. 
Simples, não? 
Alto lá! Mas não é esta a mensagem do Evangelho? Por que o desafio? O que há de inovadora nessa proposta?
"Vinde como estais..." sempre me soou aos ouvidos e chegou ao meu coração, como a proposta mais revolucionária e ousada de Cristo. E aí me perguntava: se a essência das Boas Novas contempla esta revelação, por que a "igreja" tanto dela se afastou, em todos esses vinte e um séculos. Não somente a igreja de Roma, mas a igreja que surgiu a partir de Lutero e dos reformadores, de uma forma ou de outra, com mais intensidade ou não, toda ela, aos poucos, mais consistentemente, foi-se perdendo ao longo do caminho. E aí, o caminho que hoje trilha, não necessariamente, é o Caminho, que leva à Cristo e à Salvação.
Aos poucos, a cada mês, a cada ano que passava, mais e mais se revelava difícil manter e permanecermos  ligados à proposta original, mas persistimos e hoje vivemos uma viva realidade: vimos e sentimos a presença do Espírito Santo em cada encontro, em cada culto, em cada estudo bíblico semanal. Afinal, o pequeno rebanho está se solidificando e começa a crescer de forma mais robusta, sem perder nenhuma das características iniciais de uma igreja acolhedora e que se sustenta em "construir relacionamentos solidários e eternos" como bem expressa o nosso lema.
Sustentar as publicações semanais deste blog tem sido, para mim, um desafio e tanto. Em especial, devido ao surgimento do Twitter, e depois do Facebook, com suas postagens curtas e simples comentários breves sobre os momentos de cada um, aliados a ampla exposição de fotos e mensagens de áudio e vídeo, que logo viram "febre" e incendeiam as redes sociais em milhares e até milhões de acessos diários. 
O acesso é mais rápido e eficaz, mas sua leitura é superficial e rápida; além de não suscetível de reflexão ou questionamento doutrinário, assim, como os fatos e acontecimentos diários que viram notícias de um jornal - impresso ou virtual, televisivo ou de rádio - mas que duram apenas o tempo necessário para a leitura ou audição,sua curtição, compartilhamento ou comentário, depois caem no esquecimento, são descartadas.
O próprio título do blog já diz a que veio: conduzir a reflexão sobre o Evangelho da Graça e da Paz que vincula acolhimento e inclusão aos ensinos de Cristo. 
Mas será se as pessoas - dentro e fora do âmbito da igreja - estão querendo refletir sobre doutrinas, ética, vida e testemunho cristão, amor que acolhe e não rejeita, fidelidade, respeito e boa convivência, mesmo com aqueles que não professam a nossa fé?
Estou cansado, pressionado, mas não desanimado; perplexo, mas não desesperado; perseguido, mas não abandonado; abatido, mas não destruído, conforme 2 Coríntios 4.8,9.
Enfim, este é, apenas, um desabafo! Para frente é que caminhamos, firmes! Oro a Deus para que continue nos dando forças para prosseguir, sempre!  Glória a Ele, por isso!

Nenhum comentário: