REFLEXÕES PASTORAIS COM GRAÇA

quarta-feira, 29 de julho de 2015

REJEITANDO OS VALORES E O PADRÃO DESTE MUNDO!

Em Romanos 12.2a o apóstolo Paulo enfatiza que não devemos nos conformar com este mundo, antes devemos nos transformar pela renovação do nosso entendimento, da nossa mente.
De igual modo 1 João 2.15-17, o apóstolo João afirma que não devemos amar o mundo, nem o que no mundo há, pois se alguém ama o mundo, o amor de Deus não está nele. Pois tudo o que há no mundo, que se expressam nos desejos da carne, desejos dos olhos e na soberba da vida, não provém de Deus, mas do mundo. E afirma mais, que o mundo passa, e com ele, esses desejos, mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre.
Por outro lado, Efésios 5.8-17 o apóstolo Paulo nos ensina que antes nós éramos trevas (vivíamos na escuridão espiritual, sem discernir as coisas espirituais), mas agora somos Luz no Senhor, então, devemos andar COMO FILHOS DA LUZ.
Pois o fruto do Espírito ESTÁ em toda a bondade, e justiça e verdade).
Temos que viver aprovando o que é agradável ao Senhor.
Assim, não devemos ter parte com as obras infrutuosas das trevas, ao contrário, devemos condená-las.
E aí nos alerta:"DESPERTA, TU QUE DORMES, E LEVANTA-TE DENTRE OS MORTOS, E CRISTO TE ESCLARECERÁ".
Então, nesse caso, precisamos estar atentos e prudentemente ver como andamos, não como néscios (ignorantes), mas como SÁBIOS; neste caso, remindo (resgatando) o tempo, já que os dias são maus.
Não devemos agir insensatamente, pelo contrário, precisamos procurar entender  qual seja a vontade de Deus para nós.
Certamente, que é viver como sábios e não como ignorantes.
Nos dias atuais, o cristão precisa se posicionar diante de muitas situações que podem levá-lo a fraquejar na fé e sair do Caminho de Cristo.
I- É PRECISO SABER QUE DEVEMOS REPUDIAR O QUE NÃO AGRADA A DEUS.
Somente existem dois caminhos, espiritualmente falando, e estes são bem definidos. Não há meio termo em relação à salvação; o homem se propõe a servir e agradar a Deus ou ao pecado (Mateus 6.24 e Romanos 6.22).
1.1.       Importa rejeitar as coisas deste mundo: não se conformar com o mundo implica em não tomar a sua forma, não aceitando suas imposições e suas regras.
1.2.       É importante ter clareza de que o mundo é dominado pelo poder do maligno, em que o pecado impera, e cresce a cada dia, querendo sufocar ou tripudiar os bons propósitos que ainda existem.
1.3.       Não se pode vacilar diante das ofertas atraentes que o mundo oferece. E o que ele oferece: o namoro com sexo, as baladas, rodadas a bebidas, drogas, sexo e rock and roll.
1.4.       Importa ter noção calar quanto aos limites: é preciso possuir uma consciência sensível para conceder ao Espírito Santo a interferência quanto aos limitas das ações do cristão.
1.5.       O ser humano – para os estudiosos das ciências comportamentais – é um ser insaciável. Ele está sempre à procura do mais, do maior e do melhor.
1.6.       Quanto mais se atingem os limites, mãos eles são estendidos. Quanto mais se estendem as permissões, mais o homem deseja.
1.7.       Atualmente, porque a sociedade estendeu os limites, o que antes era indecoroso, ilícito e pornográfico, já não é mais, pois muitas são as imoralidades que estão se tornando naturais. 
1.8.       O que sabemos, à luz da Palavra de Deus, é que isso leva o homem à perdição.
1.9.       O verdadeiro discípulo de Jesus não pode e não deve se conformar com essa situação libertina que é conhecida com o conceito de liberdade ( 1 Coríntios 6.12; 10.23).
 II. É PRECISO SABER QUE O RELATIVO DO HOMEM ESTÁ SE SOBREPONDO AO ABSOLUTO DE DEUS.
Mas isso não pode continuar!
III. PARA ASSEGURAR A SALVAÇÃO, IMPORTA AO CRISTÃO MANTER-SE FIRME EM SUAS CONVICÇÕES.
Finalmente, importa saber:
O discípulo de Cristo – aquele que faz jus a este nome – é separado do mundo; está no mundo, mas se separa para Deus. Não se conforma, não se adapta mais ao pecado, aprendeu a dizer NÃO à imoralidade, à corrupção do corpo e da mente, às festas mundanas, ao pagode, às baladas, aos shows de músicas que enaltecem a carnalidade, e que, portanto, fazem muito mal à espiritualidade.
Quem possui a mente de Cristo, muda o ambiente em que vive; não é mudado por ele.
Quem vive na graça de Deus, aprendeu que é luz, logo deve iluminar o ambiente de escuridão e trevas em que vive. Como bem afirma Paulo em Romanos 5.20: a graça deve superabundar onde o pecado abundou! (Reflexão com base me mensagem anunciada no culto de domingo 26/07/2015).

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<< Página inicial