sábado, 21 de setembro de 2013

COMENTANDO JESUS 2: IMPORTA MAIS O INTERIOR DO QUE AS APARÊNCIAS!

Este segundo comentário tem como base um texto do livro Jesus, esse exagerado! de autoria de Plutarco Bonilla Acosta, teólogo espanhol (editora Sinodal, 2002, p.100,101), com o que concordo plenamente:
Eis a citação:
Jesus ensinou também que as interioridades são mais importantes que as exterioridades. Ou seja, as aparências, sejam elas negativas ou positivas, têm apenas um valor relativo, se é que têm algum. Um provérbio romano que diz que “a mulher de César não só é honrada como também parece sê-lo” tem valor enquanto não entra em jogo outro princípio superior, como, por exemplo, a prática da caridade cristã. Perdoem-me as mulheres pela natureza machista do refrão, mas está assim formulado, mesmo que eu o aplique a homens e mulheres. Jesus é o modelo. Ele mesmo confessou que o haviam acusado de ser “comilão” e “bêbado” (Bíblia de Jerusalém), “amigo de publicanos e pecadores (Lucas 7.34). A atitude de Jesus, que é a que ele deseja de seus ouvintes, tal como se refletem sua conduta, está vinculada ao que há dentro da pessoa, porque é ali onde se prepara a argamassa com a qual se constroem as ações. Leiamos suas palavras: “Não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto sim, contamina o homem. Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre e, depois, é lançado em lugar escuso? Mas o que sai da boca do homem vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem” (Mateus 15.11,17-20a).
Se em nosso país há assassinatos, roubos (corrupção de qualquer natureza), imoralidade sexual (nas mais variadas formas), mentiras e insultos, é porque no íntimo do ser que pratica essas ações, estas já estavam ali escondidas e prontas para aproveitar a melhor oportunidade. (...)Isso é o que realmente preocupa, porque mostra que valores profundamente arraigados em nosso ser desapareceram ou estão em vias de extinção.
É chegada a hora de nossos lares, nossas igrejas e nosso sistema educativo, desde as séries fundamentais até a universidade, levarem a sério a formação integral dos educandos. O objetivo é que deixemos de prestar atenção nas aparências e busquemos colocar, nos corações de nossas crianças e jovens, princípios como os que o nazareno nos ensinou”. 
Então, eu concluo: no decorrer de toda uma vida, o que aprendemos e o que praticamos, parece estar mais embasado na superficialidade do exterior do que na complexidade da interioridade. O ser humano está - cada dia mais - vivendo de aparência, não sendo, mas parecendo ser! Assim, presenciamos na política, na família e até na igreja cristã! Muitas são os políticos profissionais que parecem estar a serviço do povo eleitor, mas apenas se preocupam em tirar vantagens e extrair o máximo de benefícios para si mesmos; muitos são os servidores públicos que assumem ares de devotados e competentes gestores, mas é só aparência e, ainda há pessoas que se dizem cristãs, mas agem desprovidas de entendimento da real mensagem de Cristo: os que são grandes no Reino de Deus, são os que se diminuíram diante dos homens, os que renunciaram aos conceitos e valores que guiam os homens. Não se deixe guiar pelas aparências, procure ver a essência, o interior, e aí, guiado pelo Espírito de Deus, você verá o melhor e o pior do ser humano, mas não se enganará tão facilmente, quanto aqueles que, apenas, julgam pelas aparências e se iludem com o exterior!

Nenhum comentário: